“Supra terra espanhola, volat aquila legionum”. Arqueólogos encontram complexo de banho romano na Espanha

É consenso: objetivamente, Roma é civilização, é filosofia, é jurisprudência, mas é também higiene. Os povos bárbaros que viviam para além das fronteiras do Império Romano não só desconheciam as benesses da ordem político-social da administração dos latinos, mas como também não tinham ideia dos hábitos higiênicos dos engenhosos romanos. Quando Roma conquistava uma nova província para o seu Império os novos vassalos, depois do choque inicial, encantavam-se com o conforto, a ordem e a segurança que ganhava a vida cotidiana. Os romanos, engenhosos como nenhum outro povo antigo, salvaram milhares de vidas quando apresentaram aos povos conquistados as maravilhas da água corrente, dos aquedutos, das latrinas, dos chafarizes e das casas de banho.

Aqueduto da Amoreira, em Elvas, Portugal. A magnífica construção tem 8,5 Km de extensão e mais de cinco arcadas que se elevam a 31 metros de altura.

Na Espanha, escondida sob as dunas de uma praia, fora descoberto por pesquisadores da Universidade de Cádiz um valioso complexo de banhos construído pelos romanos no século V da Era Cristã. Segundo as informações veiculadas pelo periódico Independent UK, a área total da estrutura estende-se por cerca de 25.000 m2 e está dotada com cômodos íntegros com portas, janelas e salas com altura de quase quatro metros! O achado, que se deu nas proximidades de Canos de Meca, ao Sul de Andaluzia, deverá alimentar novas interpretações sobre o período histórico da dominação romana ou reiterar as narrativas já existentes.

Parte da casa de banho descoberta por arqueólogos na Espanha. Divulgação/Universidade de Cádiz.

A descoberta de mármore multicolorido somou com as evidências de que as casas de banho romanas eram lugares magnificamente ornamentados. Providos de água quente, esses lugares eram os shoppings da Antiguidade, onde os cidadãos obtinham toda sorte de entretenimento. Dario Bernal, um dos arqueólogos envolvidos na descoberta, explica que as casas de banho eram uma forma eficiente de oferecer higiene e momentos de relaxamento para os cidadãos.

Esta ilustração mostra o funcionamento de uma casa de banho romana. Fonte: arte/G1

Os romanos desenvolveram um sistema mui engenhoso para aquecer a água das termas: a distribuição do calor para as várias salas e piscinas se dava através do método denominado Hipocausto. Uma fornalha aquecia o ar que era distribuído através dos espaços ocos das paredes e subsolos do complexo. Canos e bombas de chumbo levavam a água aquecida por caldeirões.

“Uma área incrivelmente atraente para todos os tipos de civilizações, o que nos dota de uma história incrível. É maravilhoso!”.

Patricia Del Pozo, Ministra da Cultura da Andaluzia

Com informações do portal Aventuras na História, do periódico britânico Independent UK e do site do G1.

“A persistência sempre anda de mãos dadas com o propósito”.

Julio César

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar