“(…) é uma ameaça à segurança nacional“, disse o relatório oficial dos EUA sobre os empreendimentos espaciais da China

Sob o nome de Avaliação Anual de Ameaças da Comunidade de Inteligência dos EUA, o relatório que fora divulgado pelo Escritório do Diretor de Inteligência Nacional conclui que a construção da Agência Espacial Chinesa representa uma ameaça objetiva para a segurança nacional.

 “A China pretende lançar uma estação espacial em órbita baixa da Terra a fim de obter os benefícios militares, econômicos e de prestígio que Washington acumulou com a liderança espacial”.

Afirma o texto do relatório

O documento cita ainda a preocupação dos Estados Unidos com a possibilidade de expansão tecnológica no âmbito espacial que os empreendimentos da China possibilitarão ao exército do Partido Comunista. “[O Exército de Libertação do Povo] continuará a integrar serviços espaciais – como o reconhecimento e posicionamento por satélite, navegação e cronometragem (PNT) – e comunicações por satélite em suas armas e sistemas de comando e controle para minar a vantagem de informação do exército dos EUA“, diz o texto do relatório.

O receio do bloco americano é de que o acesso das novas tecnologias desenvolvidas pela China ao Espaço tenha consequências negativas para a manutenção da primazia militar dos Estados Unidos no mundo. Sobre a possibilidade do Governo Chinês interferir nos satélites americanos, o relatório diz: “Pequim continua a treinar seus elementos espaciais militares e a colocar em campo novas armas antissatélites terrestres e espaciais destrutivas e não destrutivas“.

A China tem demonstrado grande interesse em fazer significativa oposição ao Ocidente também no âmbito espacial. Na semana passada, a Revista Esmeril divulgou informações oficiais da Agência Espacial Chinesa sobre o projeto de conquista de Marte. No dia 21 de abril deste ano, a Esmeril divulgou também notícias oficiais sobre o descontentamento do Governo Russo com a administração da Estação Espacial Internacional. Parece que os grandes blocos que disputam o poder global com os Estados Unidos estão determinados a estenderem até o Espaço a malha dos seus ressentimentos.

No fim do mês passado, a China lançou com sucesso o Tianhe-1, o primeiro módulo da sua futura Estação Espacial. Para a conclusão da construção da base espacial chinesa, segundo informações da Agência Espacial do país, serão necessárias 11 missões até 2022: quatro missões tripuladas, quatro missões de carga e o lançamento de três módulos. Quando finalizado o projeto de construção, a Estação, batizada de Tiangong, terá uma vida útil padrão de 10 anos que, através de eventuais upgrades futuros, poderá ser estendida para 15 anos.

Com informações dos sites Olhar Digital e Poder Aéreo.

“A política é uma guerra sem derramamento de sangue, e a guerra uma política com derramamento de sangue”.

Mao Tsé-Tung

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar