sexta-feira 19, agosto 2022
11.4 C
São Paulo

DOSE DE FÉ | Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Leônidas Pellegrini
Leônidas Pellegrini
Professor, escritor e revisor.

A imagem de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, difundida a partir século XIX, constitui uma variante bizantina da “Hodegétria”, primeira pintura da Mãe de Deus, atribuída a São Lucas

Hoje também é data mariana, dia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro.

A devoção a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro começou a difundir-se em 1870, a partir de uma história que começa no século XIII, com um quadro de Nossa Senhora em estilo bizantino, inspirado na primeira pintura da Mãe de Deus, atribuída a São Lucas, a “Hodegétria”.  

Diz a tradição que essa pintura foi roubada por um comerciante na ilha de Creta, na Grécia, no século XV. Esse comerciante, em viagem de volta a Roma, teria sofrido um naufrágio em meio a uma tempestade em alto mar, e sobreviveu graças à proteção de Nossa Senhora, pela qual clamou. Quando chegou a Roma, ele adoeceu mortalmente e deixou a um amigo a missão de devolver a imagem a uma igreja, como forma de reparação por seu ato sacrílego.

O ícone ainda ficou em posse da família do comerciante por mais um tempo, até que Mãe de Deus apareceu à filha dele, de apenas 6 anos, em 27 de março de 1499, para cobrar da família o ato de reparação não realizado. Os familiares obedeceram e entregaram o quadro à Igreja de São Mateus, onde permaneceu por mais de 300 anos.

Com a invasão do franceses a Roma no século XVIII, a Igreja de São Mateus foi destruída, e os agostinianos que guardavam o ícone o esconderam por cerca de 30 anos, até ele ser reencontrado pelos redentoristas, a quem foi entregue a guarda, em 1866, pelo Bem-Aventurado Pio IX, com a seguinte recomendação: “Fazei com que todo o mundo conheça esta devoção”. Eles fizeram, então, diversas cópias da imagem e a espalharam mundo afora. Por essa obra, Nossa Senhora do Perpétuo Socorro passou a ser oficialmente reconhecida como Padroeira dos Redentoristas, e sua festa passou a ser comemorada em 27 de junho.

A imagem original da Mãe do Perpétuo Socorro permanece hoje na Igreja de Santo Afonso  Maria de Ligório no Esquilino, Seu fiel devoto. Enquanto ícone bizantino, o quadro é o mais venerado no mundo. Sua simbologia é bastante rica. Entre diversos detalhes, Nossa Senhora traz no colo o Menino Jesus, e seu olhar é entre grave e sereno, e algo melancólico. Rodeiam a Mãe e o Filho os Arcanjos Gabriel e Miguel, que trazem em suas mãos a cruz, a lança e a vara com uma esponja, objetos da Paixão de Cristo (na Igreja Ortodoxa, a imagem recebe os nomes de “Mãe de Deus da Paixão” e “Virgem da Paixão”). O Menino Jesus, um tanto assustado, deixa cair uma de suas sandálias. O colo da Mãe representa Seu amparo perpétuo, que se estende a nós, seus filhos adotivos.

Imagens da Igreja de Santo Afonso Maria de Ligório no Esquilino, em Roma, onde se encontra a pintura original de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro exorta-nos à fidelidade, à coragem e à confiança em Seu constante auxílio, mesmo nos momentos mais sombrios. Ela jamais desampara Seus filhos. Antes, sofre por nós e conosco, como o fez na Paixão de Nosso Senhor. Evitemos magoá-La, e, cheios de confiança, clamemos:

Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, rogai por nós!

 

À Mãe do Perpétuo Socorro

 

Ó, Mãe do Socorro,

ó, Mãe da Paixão,

ampara e protege

o povo cristão.

 

Ó, Mãe do Socorro,

ó, Mãe tão amada,

ampara-me a vida,

a Ti consagrada.

 

Ó, Mãe do Socorro,

a Ti agradeço

por todo esse amor

que pouco mereço.

 

Ó, Mãe do Socorro,

ó Mãe tão querida,

ampara-me e salva

a alma e a vida.

 

Ó, Mãe do Socorro,

do Mal, Doce Algoz,

protege-nos todos

e roga por nós!


Esse conteúdo é exclusivo para assinantes da Revista Esmeril.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Abertos

Últimos do Autor