27.1 C
São Paulo
quinta-feira, 27 janeiro, 2022

DOSE DE FÉ | Bárbara

Revista Mensal
Leônidas Pellegrini
Professor, escritor e revisor.

Assassinada pelo pai, vive eternamente com o Pai

Hoje é dia de Santa Bárbara, virgem e mártir.

Bárbara nasceu em Nicomédia, na região da Bitínia, na Ásia Menor, e viveu durante o século III. Seu pai Dióscoro, um homem rico e ciumento, resolveu trancá-la em uma torre, onde ela passou toda a sua infância e adolescência sendo instruída por tutores e observando o mundo de uma janela.

Quando atingiu a idade de 17 anos, seu pai apresentou-lhe diversos pretendentes, todos rejeitados por sua superficialidade ou interesse. Autorizada pelo pai a visitar a cidade, teve contato com cristãos de Nicomédia, apaixonou-se pela Santíssima Trindade, converteu-se e foi batizada.

Quando Dióscoro descobriu sobre sua conversão, entregou-a ao juiz local para ser punida, mas nem sob cruéis torturas ela renegou sua fé. Foi então condenada à morte, e o próprio pai, tomando a espada do juiz, degolou-a. No mesmo instante em que isso ocorreu, ele foi fulminado por um raio.

Santa Bárbara é modelo de perseverança na fé, sobretudo entre os jovens, e sua história não nos deixa esquecer que haverá um tempo, talvez não muito distante, em que, pela fidelidade a Cristo, estarão “o pai contra o filho e o filho contra o pai; a mãe contra a filha e a filha contra a mãe” (Lc 12:53).

Invocada contra raios e tempestades, Santa Bárbara é considerada Padroeira dos artilheiros, arquitetos militares e mineiros.

Santa Bárbara, rogai por nós!

 

O brilho de Bárbara

 

Pelo pai numa torre enclausurada,

bem triste a bela Bárbara vivia,

até que liberada, um certo dia,

 

a visitar o burgo, revelada

foi-lhe a Trindade, e agora, aprisionada

passou a Ela viver com alegria.

Porém, seu pai maldoso, em fúria impia,

mandou-a para ser martirizada,

 

e, não contente, a espada da injustiça

empunhou ele próprio, e a degolou,

ao que no mesmo instante ali provou

 

do Pai Celeste a autêntica Justiça,

c’um fulminante raio, enquanto a filha,

ao Céu alçada, para sempre brilha.


Assine Esmeril e tenha acesso a conteúdo de Alta Cultura. Assine!
- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

Finados

Finados   I Dos bisos conheci o Nona e a Nono, avós do pai, bem pouco conhecidos, na verdade, em seus mundos recolhidos, alçados quase...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img