Vladimir Putin & Tucker Carlson: a velha mídia e os novos tempos

Kit Knightly | Off Guardian, 10/02/2024 *

Todo mundo está falando sobre a entrevista do jornalista Tucker Carlson com o presidente russo Vladimir Putin, transmitida pelo Twitter/X no dia 8 de fevereiro. Como desde 2014 eu tenho acompanhado e relatado os acontecimentos no leste europeu, eu poderia contar praticamente tudo o que Putin iria dizer nessa entrevista.

Ele contou a história da Rússia e da Ucrânia e mencionou as muitas promessas quebradas que os diplomatas ocidentais fizeram sobre a expansão da OTAN para o leste. Putin é um orador inteligente e persuasivo. Se estivéssemos em 2014, isso seria ótimo. Mas estamos em 2024, e o mundo está sendo levado rapidamente em direção ao Admirável Novo Normal.

A Rússia está a bordo da Agenda 2030, e algumas vozes muito poderosas no Ocidente têm promovido Putin e suas opiniões. Lembre-se, TODOS estão falando dessa entrevista. Compare essa repercussão com a da longa entrevista que o cineasta Oliver Stone gravou com Putin em 2017: que diferença brutal! Isso diz muito sobre as mudanças na condução do poder global.

Mas eu não quero falar sobre Putin: quero falar sobre Tucker Carlson.

O Carlson que foi repentinamente posicionado como uma suposta ameaça ao establishment, e que hoje duvida das narrativas oficiais sobre o assassinato do presidente JFK e o 11 de setembro. O Carlson cujo pai foi diretor do programa Voz da América, e que anos atrás insultava e censurava os céticos do 11 de setembro. O mesmo sujeito que se inscreveu para trabalhar na CIA, mas que (supostamente) não foi aceito.

Não que tudo que Tucker diga hoje seja errado: seus monólogos sobre economia, as eleições de 2020 e outros assuntos polêmicos são razoavelmente precisos. Mas isso deveria nos levar a fazer fazer mais perguntas, não?

Mesmo que você acredite que Carlson tenha ‘despertado’, você acha que os ex-chefes dele na Fox News, ou o Elon Musk, também ‘despertaram’? Ou que esses impérios midiáticos seriam impotentes para impedir Carlson de lançar supostas “bombas” às custas deles, se não quisessem que ele fizesse exatamente isso?

Tucker Carlson Tonight foi o programa jornalístico mais assistido da TV nos EUA. Desde sua demissão da Fox News no ano passado, e com todos os elogios de um herói exilado, Carlson tem transmitido ao vivo seus programas no X/Twitter, obtendo mais audiência do que a CNN e a MSNBC e a Fox… somadas. Interessante, não?

O fato é: a mídia tradicional está morrendo. Mas você acha que o Sistema não vê isso? Você acha que ele não correu pra assumir o controle das novas plataformas e plantar líderes em movimentos supostamente independentes?

As pessoas e instituições que governam o mundo não estão ligadas a nenhuma plataforma, método, nação, bandeira ou mídia em particular. Eles compraram todos os jornais porque lhes eram úteis, e transmitiam todas as redes de televisão porque era isso que as pessoas assistiam. Agora, como um caranguejo trocando de concha, eles simplesmente deslizaram de sua velha casa para uma bela e nova casa indie.

Adeus, CNN corporativa e antiquada. Olá, notícias-relâmpago orgânicas, transmitidas ao vivo no X e promovidas pelo algoritmo. Adeus, longos editoriais em jornais. Olá, tiktoks de dez segundos de falsos influenciadores em uma fábrica de opinião administrada pelo governo. Adeus, Tucker Carlson, promotor de desinformação pago pela Fox. Olá, Tucker Carlson, voz da nova mídia que de alguma forma é promovida pelas mesmas forças às quais ele supostamente se opõe.

O ponto forte das novas mídias é o acesso instantâneo e a crueza da realidade que elas transmitem. O establishment rapidamente se aproveitou desses marcadores de autenticidade: agora, essa crueza é fabricada, e a realidade é falsificada em uma linha de produção. Além disso, as novas mídias também podem ser cooptadas para a construção de falsas narrativas binárias que conduzem a agenda: a velha mídia vende um “lado”, e a nova mídia o “outro lado”.

É assim que temos esse cenário maluco, onde bilionários como Elon Musk são considerados outsiders, não importa o quanto ele apoie as pautas do Grande Reset, ou onde podcasters como Joe Rogan recebem US$ 250 milhões do sistema para atacar o sistema. Ou ainda, onde a “dark web intelectual” vende vacinas e Israel na mesma medida.

É muito legal ter um grande e velho ex-mainstreamer participando do seu podcast, certo? Os parabéns são efusivos. “Vejam, até esse Grande Nome admite que estamos certos sobre isso”.

É muito fácil ser seduzido pelas narrativas das “celebridades rebeldes”. Todos nós queremos acreditar nelas, não é mesmo?

Tucker Carlson é o primeiro nome realmente grande a fazer essa mudança importante, mas não será o último. Segundo o Twitter, a entrevista foi vista 140 milhões de vezes em 24 horas. Tucker e Putin têm sido promovidos no site de propriedade do homem mais rico do mundo, ao mesmo tempo em que aparecem nas primeiras páginas de todos os jornais. Uau. A nova mídia está tão “certa” que o establishment não tem outra escolha senão promovê-la.

Não é muito fácil perceber que não há nada realmente “novo” nesse tipo de mídia. Mas cuidado: ela é apenas um caranguejo velho em uma concha nova.

* Traduzido e adaptado do original em inglês

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Abertos

Últimos do Autor