14.3 C
São Paulo
terça-feira, 28 junho, 2022

O ”Dia-D” no Pacífico: a Batalha sangrenta por Saipan

Revista Mensal
Jonas Buccini
Jonas Buccinihttp://www.revistaesmeril.com.br
Patriota, Conservador e Entusiasta da História Militar!

Pouco mais de uma semana após a invasão da Normandia (França) pelos Aliados na Europa, os americanos começariam uma Grande Ofensiva no Pacífico

Objetivos

Mapa com as Ilhas Marianas, e Saipan, ao centro.

Em março de 1944, o Estado-Maior Conjunto dos Aliados concluíram que a tomada das Ilhas Marianas seria o próximo passo contra o Império Japonês. As Marianas eram um elo vital na linha de defesa do Japão, sendo a chave para o Pacífico Central, porque dominavam as linhas de comunicação do Japão com suas ilhas satélites mais ao Sul do Pacífico (ricas em recursos). A captura das Marianas não apenas cortaria as defesas do inimigo, mas também forneceria bases aéreas e marítimas a partir das quais os Estados Unidos poderiam atacar efetivamente as Filipinas, Formosa, China e as ilhas japonesas.

Esperando pelos americanos na ilha estavam quase 30.000 soldados inimigos. A invasão de Saipan foi única na campanha do Pacífico Central, pela primeira vez um ataque anfíbio foi feito em uma massa de terra montanhosa de tamanho considerável, em contraste com ataques anteriores a minúsculos atóis de corais planos.

Caças bombardeiros TBF-Avenger voando em direção à Ilha de Saipan, para atacar os japoneses.

A partir de 11 de junho, Saipan foi submetido a intenso bombardeio aéreo e naval como preparação para invasão, entretanto, não foi capaz de neutralizar totalmente o inimigo nas áreas de desembarque. Um padrão que se repetiu em inúmeras invasões no Pacífico.

Desembarque

A primeira onda de fuzileiros navais a atingir a praia de Saipan, buscando proteção atrás de uma duna de areia enquanto esperam mais apoio rumo o interior da ilha (15 de Junho de 1944).

Em 15 de Junho de 1944, no Teatro de Operações do Pacífico, durante a Segunda Guerra Mundial, os fuzileiros navais americanos (USMC) invadiam as praias de Saipan (na região das Ilhas Marianas) ocupada pelo Império Japonês. Os americanos contavam com uma armada de 535 navios, 127.000 soldados, incluindo 77.000 fuzileiros navais. Pouco depois das 8:00 de 15 de junho, os fuzileiros americanos embarcaram nos veículos leves de transporte para o desembarque na costa sudoeste da ilha. Muitos eram veteranos de vitórias duramente conquistadas nas Ilhas Gilbert e Marshall. Os japoneses continuaram a resistir ferozmente aos invasores depois que a cabeça de praia foi protegida.

Batalha nos Mares

Um avião Kamikaze japonês foi abatido enquanto tentava atacar um grupo de porta-aviões, perto das Ilhas Marianas, no Pacífico, de 13 a 17 de junho de 1944. Foto tirada do porta-aviões USS Kitkun Bay (CVE-71).

Enquanto os fuzileiros navais atacavam em Saipan, a Marinha garantiu uma grande vitória em alto-mar. Uma poderosa armada de porta-aviões japoneses foi despachada para as Marianas para destruir a força de ataque em Saipan. No que ficou conhecido como ”Batalha do Mar das Filipinas”, os japoneses perderam três porta-aviões e centenas de aeronaves. Esta vitória garantiu aos Estados Unidos um controle total dos mares adjacentes à Saipan, frustrando qualquer desembarque futuro do inimigo como contra-ataque.

Ataque Suicida: ”Tenno Heika, Banzai!” (Vida Longa ao Imperador!)

Concepção artística de um ataque ”banzai” japonês contra os americanos.

Na madrugada do dia 7 de Julho, a 27ª Divisão de Infantaria do Exército dos EUA sofreu o impacto do maior ataque Banzai da guerra. Quando a fumaça se dissipou e a poeira baixou, mais de 4.000 soldados japoneses estavam mortos e quase 1.000 americanos mortos e feridos. Percebendo que não poderia mais resistir ao avanço americano, já que os reforços navais não chegariam a ilha, o comandante japonês em Saipan (Tenente General Yoshitsugu Saito) cometeu suicídio através de ritual samurai (seppuku) e ordenou que suas tropas fizessem um grande ataque suicida banzai.

Desfecho

Fuzileiro Naval americano em Saipan, 27 de Junho de 1944.

O problema em Saipan para as forças americanas, não era que a vitória ali parecesse duvidosa, mas sim que teria um custo alto. O terreno ofereceu às forças japonesas vantagens de vários esconderijos para uma luta contínua. Embora pequenos bolsões de resistência no interior da ilha tenham sobrevivido por algum tempo, Saipan foi oficialmente declarado protegido pelas forças dos EUA em 9 de Julho de 1944. A natureza de uma guerra global é revelada pelos desembarques na Normandia que ocorreram quase simultaneamente com essa batalha sendo travada no Pacífico.

Referência

Operation Forager: The Battle of Saipan, Naval History and Heritage Command, acessado pela última vez em 15 de Junho de 2021 – https://www.history.navy.mil/browse-by-topic/wars-conflicts-and-operations/world-war-ii/1944/saipan.html


”Com confiança nas nossas forças armadas, com a grande determinação do nosso povo, iremos alcançar o inevitável triunfo – assim Deus nos ajude.”

– Discurso do Presidente Franklin D. Roosevelt (EUA) ao Congresso, 8 de Dezembro de 1941. Declaração de Guerra ao Japão.

Este conteúdo é exclusivo para assinantes da Revista Esmeril. Assine e confira as matérias dessa edição e de todo nosso acervo.

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

A TERCEIRA GUERRA MUNDIAL JÁ COMEÇOU?

Guerra Biológica (Vírus), Guerra Psicológica (Mídia), Guerra Econômica (Embargos) e Guerra Cibernética (Instabilidade em Aplicativos) “A guerra não é mais...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img