23.5 C
São Paulo
sábado, 28 maio, 2022

MUNDO | O moderno Estado de Israel comemora 74 anos

Revista Mensal
Lawrence Maximo
Política Internacional. Escreve artigos para o jornal Gazeta do Povo, Portal Pleno News e Revista Esmeril.

Yom HaAtzmaut, o Dia da Independência, é um feriado nacional cheio de festividades e significado

Hoje e amanhã, o moderno Estado de Israel comemora 74 anos. Yom HaAtzmaut, o Dia da Independência, é um feriado nacional cheio de festividades e significado. 

📖 “Quando o Senhor trouxe os cativos de volta a Sião, parecíamos estar sonhando. Nossas bocas se encheram de risadas, nossas línguas, de canções”.

Salmo 126

Por ocasião de seus 74 anos de independência, o Estado de Israel tem muito a comemorar, não apenas pelas conquistas em ciência e tecnologia, mas por transformar o deserto árido em um jardim florescente para o deleite de todos os seus cidadãos e visitantes. 

Ontem, o “Dia da Memória” dos soldados israelenses mortos em combate e vítimas civis do terrorismo, foi o dia oficial da memória do Estado de Israel, que lembra dos seus homens e mulheres que faleceram em guerras e hostilidades. 

Neste dia de luto, a nação se torna parte da dor das famílias, parentes e amigos das vítimas, honrando sua memória e sacrifício. Prestamos homenagens a todos aqueles que deram suas vidas pelo Estado de Israel.  

Você conhece a relação entre o Dia da Memória (Yom Hazikaron) e o Dia da Independência de Israel (Yom Haatzmaut)? 

No dia 4 de lyar (oitavo mês do calendário hebraico, correspondendo este ano a 3 de maio), o Estado de Israel honra a memória dos seus soldados que tombaram no campo de batalha.

Três anos após o estabelecimento do Estado, em 1951, o dia 4 de lyar, foi designado como o “Dia da Memória dos Caídos”.  

As famílias dos caídos (dos soldados que caíram no campo de batalha) achavam que o Estado de Israel não fazia o suficiente para honrar a memória de seus entes queridos. Em 1963, o parlamento aprovou a Lei do Dia da Memória das vítimas das guerras de Israel. 

A decisão de colocar o Dia da Memória junto com o Dia da Independência, foi baseada na ideia de que as vítimas das guerras de Israel “legaram sua vida a nós com sua morte”. Frase da poesia de Haim Nájman Bialik: “Se você tiver espírito para saber”, Dvir, 1983, pág. 405. 

O Dia da Memória começa com o som de uma sirene de dois minutos. Em seguida, uma cerimônia é realizada em frente ao Muro Ocidental.  

No dia seguinte, às 10h da manhã, soa outra sirene. É assim que começam os memoriais em cemitérios e acampamentos militares, em todas as escolas e outras instituições públicas. 

A flor chamada “Sangue dos Macabeus” (Helichrysum sanguineum) é o símbolo do Dia dos Caídos e aparece em pôsteres, banners e broches usados naquela data. 

Todos os anos, na véspera do Dia dos Caídos, o Ministério da Segurança divulga o número atualizado de soldados caídos no exército israelense. No Dia da Memória dos Caídos de 2022 este número foi 24.068 e 4.219 (atualizados hoje) de vítimas de ataques terroristas. 

Dado: em 1948 havia 600 mil residentes judeus no Estado de Israel. Durante a Guerra da Independência, mais de 6 mil soldados e cidadãos judeus morreram. 

Eles morreram para que pudéssemos viver. Que a memória deles seja uma bênção.


Com informações do Estado de Israel.


Gosta do nosso conteúdo? Assine a Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

Esmeril Editora e Cultura. Todos os direitos reservados. 2022

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

Acordo Nuclear: Israel se protegerá contra o Irã se o mundo não o fizer

É obrigatório destacar a obsessão do Irã em destruir Israel, desde quando começou sua militância, em 1979, após a...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img