14.3 C
São Paulo
terça-feira, 28 junho, 2022

DOSE DE FÉ | Ascensão de Jesus

Revista Mensal
Leônidas Pellegrini
Leônidas Pellegrini
Professor, escritor e revisor.

Em Sua Ascensão, Nosso Senhor relembra a mensagem de Sua Segunda Vinda e reforça Sua promessa de Eterna Salvação àqueles que a Ele se mantiverem fiéis

Hoje a Igreja celebra a Ascensão de Nosso Senhor Jesus Cristo.

No quadragésimo dia após Sua Ressurreição, Jesus Cristo, diante de Seus então 11 Apóstolos, foi elevado ao céu em Seu corpo físico. Esse evento marca um dos cinco grandes marcos da narrativa evangélica sobre a vida de Jesus, junto com o Batismo, a Transfiguração, a Crucifixão e a Ressurreição.  

A Transfiguração está brevemente descrita nos Evangelhos de São Marcos e São Lucas:

Depois que o Senhor Jesus lhes falou, foi levado ao céu e está sentado à direita de Deus.” (Mc 16, 19)

Enquanto os abençoava, separou-se deles e foi arrebatado ao céu.” (Lc 24, 50)

Com um pouco mais de detalhes, o evento também é narrado no livro dos Atos dos Apóstolos, em que dois Anjos anunciam que a Segunda Vinda de Jesus será igual à Sua Ascensão:

Dizendo isso, elevou-se à vista deles e uma nuvem o ocultou aos seus olhos. Enquanto o acompanhavam com seus olhares, vendo-o afastar-se para o céu, eis que lhes apareceram dois homens vestidos de branco, que lhes disseram: ‘Homens da Galileia, por que ficais aí a olhar para o céu? Esse Jesus que acaba de vos ser arrebatado voltará do mesmo modo que o vistes subir para o céu.’” (At 1, 9 – 11)

A Ascensão de Jesus é evocada no Credo Niceno-Constantinopolitano e no Credo dos Apóstolos, profissões de fé que rezamos na Santa Missa, e encerra a promessa de vida eterna de Nosso Senhor a Seus fiéis após Seu retorno e o fim deste mundo. Lembremo-nos sempre da mensagem presente nessas orações:

“… e subiu aos céus, onde está assentado à direita do Pai. E de novo há de vir, em Sua glória, para julgar os vivos e os mortos; e Seu Reino não terá fim.” (Credo Niceno-Constantinopolitano)

 

A Ascensão

 

No quadragésimo dia

após Sua Ressurreição,

aos céus Jesus ascendia,

por entre alva turvação.

 

Os Apóstolos, pasmados,

ficaram o céu olhando,

e dois Anjos abençoados

apareceram bradando:

 

“Por que para o céu olhais,

ó varões da Galileia?

Livrai-vos de vossos ais,

dispersai essa assembleia.

 

Jesus sobe agora ao Céu,

e como vai, voltará,

mas ornado de um Laurel,

e Eterno Ele reinará.”

 

Os Onze, então, se puseram

em gratífica oração,

a animados bendisseram

a salvífica Ascensão,

 

mais confiados ainda

na promessa de Jesus,

em Sua Segunda Vinda

e o Reino de Eterna Luz.


Este conteúdo é exclusivo para assinantes da Revista Esmeril. Assine e confira as matérias dessa edição e de todo nosso acervo.

Esmeril Editora e Cultura. Todos os direitos reservados. 2022
- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

Finados

Finados   I Dos bisos conheci o Nona e a Nono, avós do pai, bem pouco conhecidos, na verdade, em seus mundos recolhidos, alçados quase...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img