Vinte anos após o fim da Primeira Guerra Mundial, os alemães conquistam a França

Em 22 de Junho de 1940, um segundo Armistício foi assinado em Compiègne (cidade francesa) entre a França e a Alemanha. Só que agora com uma vitória alemã. O colapso da França, apenas seis semanas após o ataque inicial de Hitler, destruiu o equilíbrio de poder na Europa.

No dia 23 de Junho de 1940, Adolf Hitler faz uma excursão de três horas pela arquitetura de Paris com o arquiteto Albert Speer e o escultor Arno Breker em sua única visita à cidade.

As Forças Aliadas na França tiveram uma derrota dramática e inesperada. A derrota deste poderoso exército (tanto o francês como os expedicionários britânicos) em apenas seis semanas em 1940, transformam o episódio em uma das campanhas militares mais notáveis da história.

Campanha alemã na Europa Ocidental

O Junkers ”Ju” 87, popularmente conhecido como Stuka, foi um bombardeiro de mergulho utilizado pela força aérea alemã (Luftwaffe) nos seus avanços ”Blitzkrieg” (Guerra-Relâmpago).

Entre final de Abril e Junho de 1940, um ataque alemão varreu a Dinamarca, Noruega, Bélgica, Holanda, Luxemburgo e a França. Também testemunhou a retirada do exército britânico e sua evacuação de Dunkirk (França). Assunto que já foi tema em nossa coluna (você pode acessar clicando aqui).

Da noite para o dia, se tornaram obsoletos os pressupostos estratégicos com os quais o Reino Unido planejara lutar contra Hitler. Com a França fora da equação, a guerra dos britânicos nos próximos quatro anos foi travada no ar, no mar e no Mediterrâneo, mas não na Frente Ocidental. Só depois do Dia-D, em 6 de Junho de 1944 (quatro anos depois), um exército aliado voltou à França.

França Ocupada

França ocupada pelos alemães ao Norte, França de Vichy ao Sul e territórios anexados pela Alemanha e Itália ao Leste. Mapa de 1940-1944.

Foi criado um governo fantoche liderado pelo marechal Philippe Pétain (França de Vichy) e a Alemanha ocupou o Mar do Norte e as costas atlânticas da França e seu interior. A invasão italiana da França sobre os Alpes tomou uma pequena quantidade de terreno e, após o armistício, a Itália ocupou uma pequena área no sudeste. O governo de Vichy manteve o território não ocupado no Sul (zona livre). Em novembro de 1942, os alemães e italianos ocuparam a zona até a libertação dos Aliados em 1944. O legado desse período de ocupação (1940-1944) foi complexo para a própria França. Muitos colaboraram com os alemães. Já outros formaram grupos de resistência (partisans), mas suas ações trouxeram represálias violentas à população civil.

Os motivos da rápida derrota Aliada

Tropas alemãs desfilando em Paris (França), com o Arco do Triunfo ao fundo.

Em termos puramente militares, as forças militares alemãs eram uma força superior, embora não em número, mas em estratégia. Eles usaram sua mecanização e manobra com mais eficácia, além de se beneficiaram da dominação aérea. As comunicações alemãs eram superiores – até as menores unidades de campo eram equipadas com rádios que lhes permitiam mover-se e reagir mais rápido do que os Aliados. A estreita coordenação das forças aéreas e terrestres alemãs, para produzir o máximo de poder destrutivo diante de um inimigo maior número, foi crucial. Era a ”Blitzkrieg” alemã (Guerra-Relâmpago) em ação.

Já o plano operacional anglo-francês era profundamente falho e ainda com uma mentalidade estática da Primeira Guerra Mundial (1914-1918). A sociedade francesa estava com o moral baixo e dividida já no pré-guerra.

Rendição

O fim veio com a rendição da França em 22 de Junho. Um Armistício foi assinado às 18:36 em Compiègne (cidade francesa), por oficiais da Alemanha Nazista e da Terceira República Francesa. Só entrando em vigor depois da meia-noite de 25 de Junho.

A França assinou os termos de rendição no mesmo vagão de trem que a Alemanha se rendeu em 1918.

Tendo cumprido em tão pouco tempo sua vingança contra a França, feito aquilo que os líderes alemães não foram capazes de conseguiram durante o primeiro conflito de 1914 a 1918, Adolf Hitler fez os franceses se renderem no mesmo vagão que em Novembro de 1918 a Alemanha se rendera a eles.

Retorno de Hitler à Berlim após a Campanha da França, 9 de Julho de 1940.

Próximo alvo dos alemães: o Reino Unido.

Referência

Franco-German Armistice, Encyclopædia Britannica, acessado pela última vez em 22 de Junho de 2021 – https://www.britannica.com/topic/Franco-German-Armistice


”Enquanto a filosofia que declara uma raça superior e outra inferior não for finalmente e permanentemente desacreditada e abandonada; enquanto não deixarem de existir cidadãos de primeira e segunda categoria de qualquer nação; enquanto a cor da pele de uma pessoa não for mais importante que a cor dos seus olhos; enquanto não forem garantidos a todos por igual os direitos humanos básicos, sem olhar a raças, até esse dia, os sonhos de paz duradoura, cidadania e governo irão continuar a ser uma ilusão fugaz, a ser perseguida mas nunca alcançada.”

– Liga das Nações, Discurso da Majestade Imperial Haile Selassie I (Ras Tafari), Imperador da Etiópia, 1936.

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

fim
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar
Ad Clicks : Ad Views :