Ato 1 – O abre-alas do desfile

Janeiro de 2020. Começa o ano novo chinês. As festividades costumam se dar em eventos ao ar livre, sobretudo na capital, Pequim. Vários turistas asiáticos viajaram pelo mundo para comemorar. Segundo o Conselho Estadual da China, três bilhões (sim, bilhões) de viagens ocorrem em razão das festividades. Na bagagem de várias dessas viagens, um presente para o mundo: o coronavírus, chamado assim por seu formato de coroa. A jóia da festa.

O Presidente chinês sabia do vírus desde 07 de janeiro. Xi Jinping ordenou “impedir e controlar o novo surto de coronavírus” em reunião no mais alto órgão do Partido Comunista Chinês. Porém, a epidemia só foi publicamente reconhecida por Xi em 20 de janeiro.

Para o mundo, as ocorrências eram registradas como casos de pneumonia. Apesar disso, e a despeito da ciência do presidente chinês (e de toda a cúpula do governo) sobre a gravidade do problema, dia 18 de janeiro a província de Wuhan deu um banquete para quarenta mil famílias a fim de bater um recorde mundial. De quebra, àquela altura o vírus já cruzara as fronteiras da Tailândia e do Japão, além dos turistas em viagens pelo mundo. Somente a 23 de janeiro a cidade foi fechada.

A punição às autoridades chinesas (exceto a Xi, é claro) não tardou. Dia 27 de janeiro, o prefeito de Wuhan admitiu ter demorado para reagir ao surto e compartilhar dados em virtude da “burocracia do governo chinês”– embora o mandatário máximo da China, lembremos, já tivesse ciência do assunto havia pelo menos três semanas…

Um dia antes da declaração do prefeito de Wuhan, Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor da Organização Mundial de Saúde (OMS), declarou estar a caminho da China para reuniões com autoridade locais.

Ato 2 – Itália, Rainha da Pandemia

A China é uma das maiores credoras de títulos norte-americanos. O valor gira em torno de um trilhão de dólares. Com tanto dinheiro para gastar, ela mirou em um projeto audacioso: reeditar a antiga rota da seda através da iniciativa “one belt, one road”. Essa rota comercial passa por vários países e desperta a atenção em vista do dinheiro oferecido a investimentos para sua construção, e acordos com os países envolvidos.

A Itália não se conteve diante do projeto chinês: em meio a um governo de coalizão de esquerda, desaceleração econômica e desemprego em massa, abraçou os chineses de duas formas:

  • Aderiu ao projeto: várias empresas italianas de artigos em couros e têxteis foram vendidas à China. A Itália permitiu, então, que cem mil trabalhadores chineses de Wuhan e Wenzhou se mudassem para Itália para trabalhar nessas fábricas, em vôos diretos entre Wuhan e o norte da Itália. O tráfego de pessoas entre as localidades continuou mesmo após o surto do coronavírus. Não é mera coincidência que o norte da Itália seja um dos maiores focos do vírus.
  • Abraçaram chineses literalmente: mesmo tendo ciência do surto, mesmo vendo as restrições dos Estados Unidos em viagens à China, mesmo com o tráfego de populações provindas do epicentro do vírus; o governo italiano, estimulado pelas iniciativas esquerdistas de suas autoridades, ignorou as sugestões de restrições e bloqueios que se concentravam em onze áreas, as quais formavam uma “zona vermelha”. Também ignorou a medida de isolar chineses. Tudo por temer acusações de racismo. O prefeito de Florença, na maré dos absurdos e irresponsabilidades contra os italianos, resolveu fazer uma proposta inusitada e imbecil ao mesmo tempo. A campanha #AbraçeUmChinês, feita para absolver a Itália das acusações de racismo, trouxe-lhe uma coroa de mortos pelo vírus, superando o número de cadáveres em Pequim. Nicola Zinganetti, governador do Lazio, afirmou que a melhor forma de combater a enfermidade era socializá-la.

Como se não bastasse de absurdos, o carnaval italiano coroou a tragédia europeia.

Compreendido entre oito e vinte cinco de fevereiro, apenas se cancelou os dois últimos dias de festividades. Ainda que o governo italiano soubesse do problema, tendo inclusive posto em quarentena vinte chineses, liberados no dia 13 de fevereiro… A imprensa tupiniquim, é claro, noticiou aos leitores a “responsabilidade” de se cancelar dois dias de carnaval italiano, ao invés de denunciar as duas semanas de folia de carnaval regada a uma ducha de corona. Duas semanas de chineses, entre eles inúmeros turistas e trabalhadores imigrantes, tendo saído do norte da Itália, transitavam, abraçavam e coroavam a população italiana de coronavírus.

Ato 3 – A ala da ONU: OMS

Considerando o carnaval de imbecilidades e gritante descaso do governo italiano para com seu povo, o que lhe vale responsabilidade direta nas mortes em massa ocorridas no país; assim como a ida do diretor da OMS à China para conversar com autoridades locais dia 26 de janeiro, era de se esperar que a Organização das Nações Unidas, através de sua agência de saúde global, tomasse a atitude sensata de atribuir à situação o grau de seriedade exigido. Não foi o que ocorreu.

Para a OMS, os mortos pelo coronavírus na China, Itália e (potencialmente) em outros países eram menos importantes que… Manter uma boa imagem da China no cenário internacional.

Mesmo após Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, ter visitado a China no dia 26 e conversado com Xi Jinping; mesmo após o prefeito de Wuhan ter confessado publicamente, dia 27 de janeiro, que pelo menos cinco milhões de pessoas deixaram a cidade antes do isolamento, ainda assim, o discurso da OMS se resumiu a colocar panos quentes no assunto e a fazer recomendações.

“Não há razão para medidas que interfiram desnecessariamente nas viagens e no comércio internacional. (…) A OMS está pronta para aconselhar qualquer país que esteja considerando quais medidas tomar”

Foi o que disse Tedros no final de janeiro. Enfatizou o pedido para que os países não fechassem as fronteiras, por causa do coronavírus, aos estrangeiros que viajavam da China mundo afora. Enquanto o governo chinês, com o qual o diretor da OMS se reunira, bloqueou os acessos de Wuhan, Tedros, estranhamente, fechou os olhos à medida e defendeu manter fronteiras abertas ao vírus. A postura irresponsável da OMS colaborou para a disseminação do vírus pelo mundo em carnavais, como o italiano.

Pergunta no ar: que falar de Tedros Adhanom?

Durante os três anos de campanha para galgar a direção da Organização Mundial de Saúde, Tedros foi acusado de ter encoberto três grandes epidemias de cólera enquanto Ministro de Saúde da Etiópia, classificando incorretamente os casos como “diarreia aquosa aguda” (AWD) – um sintoma da cólera – em uma manobra para minimizar os efeitos da epidemia.

A classificação incorreta foi o mesmo procedimento –estranha coincidência! – adotado pelo governo chinês para ocultar o coronavírus, pois Xi Jinping conhecia, desde janeiro, a gravidade da pandemia. Outra estranha coincidência: Tedros visitou a China, calou-se sobre o fechamento de Wuhan, sendo partidário de fronteiras abertas, sem nenhuma restrição, e de brinde defendeu o país propagador da pandemia de quaisquer críticas por parte de outros países com as alegações mais infantis possíveis.

Estranha que etíopes como Tedros defendam o governo chinês, que afundou a Etiópia, seu país natal, em dívidas de bilhões de dólares (com empréstimos vindos de bancos chineses), para ligar uma ferrovia ligando a capital da Etiópia ao vizinho Djibuti; ferrovia esta diretamente ligada à iniciativa chinesa “one belt, one road”…

Beira o absurdo observar o embaixador da Etiópia na China, Teshome Toga Chanaka, defender uma iniciativa que está na raíz de um mergulho sem volta do país africano em dívidas com os chineses. Mesmo vendo seu próprio país ter no pescoço um grilhão pior que o das eras de escravidão, Teshome, comportando-se como agente de negócios chinês, afirma:

“Quem pensa que este é um investimento no qual não vale a pena investir, acho errado, porque… Se você está falando de uma lógica econômica, acho que faz muito sentido”.

A Etiópia recebeu mais de US $ 12,1 bilhões dos bancos estatais chineses desde 2000, de acordo com relatório do ano passado feito pela Universidade Johns Hopkins.

A lógica chinesa para o “one belt, one road” é muito simples: com muitos dólares garantidos na mão, através dos títulos americanos, Pequim oferece empréstimos, através dos bancos estatais chineses, aos países que lhe interessem ter no projeto. Seduz agentes governamentais, que por sua vez amarram os países-alvo em dívidas, mantendo o “negócio da China” como prepostos, gerando dependência econômica e política da iniciativa. Por um lado, cria-se uma colônia moderna, político-econômica, para saciar a prosperidade de Pequim. Por outro, cria-se uma amarra econômica abismal para os países que aceitam seu projeto.

Mais uma curiosa coincidência quanto a Tedros é sua carreira: trabalhou na Universidade de Asmara, na Eritreia, sob a ditadura marxista do ditador Mengitsu. Com tantas coincidências, a defesa quase intestinal de Xi Jinping beira à obviedade…

Num contexto desses, o que se podia esperar de uma agência global de saúde? Surpresas da pior espécie.

Em 14 de fevereiro, a OMS defendeu a “transparência” chinesa, após críticas do governo americano sobre as ações irresponsáveis e equivocadas de Pequim:

“Temos um governo que coopera conosco, que convida especialistas internacionais, que compartilhou sequência [genéticas do vírus], que continua a trabalhar com o mundo exterior, que publicou em revistas médicas internacionais confiáveis.”

Michael Ryan, chefe do departamento de emergências sanitárias da OMS.

Mandetta contra a OMS

No dia 26 de fevereiro, enquanto a Organização Mundial de Saúde relativizava a questão sanitária grave vinda da China, o ministro da Saúde brasileiro, Luiz Henrique Mandetta, cobrou que o coronavírus fosse considerado uma pandemia. Até aquele momento, a agência de saúde da ONU apenas reconheceu a situação do coronavírus como uma emergência global, sinalizando alerta apenas a países com mais de cinco infecções adstritas ao território. Na prática, pessoas com sintomas suspeitos de corona vírus vindas de nações fora da lista de países em alerta de emergência global eram descartadas do monitoramento.

Qual seria a solução para a contenção racional de um vírus de rápida transmissão, já considerado uma pandemia? No caso do Brasil, por exemplo, seria viável testar duzentos milhões de habitantes de uma só vez para identificar os casos? Ou cumpriria fazer os testes nos locais de transmissão comunitária, em casos graves e em pessoas internadas?

Para a OMS, a solução era (em 17 de março) “testar, testar e testar”, pois “você não consegue parar essa pandemia se não souber quem está infectado”. Como se um vírus incubado entre dois a vinte e quatro dias fosse atender a uma chamada de presença, similar ao feito em escolas do ensino fundamental.

O Coordenador do Centro de Contingência para o Coronavírus de São Paulo, David Uip, afirmou estar “…surpreso entre o mundo ideal e o mundo real. Uma coisa é disponibilizar testes, a outra é realizar testes”. O secretário-executivo do Ministério da Saúde respondeu o óbvio à loucura proposta pela agência global de saúde:

“Vamos manter a nossa posição: testar, nos locais onde tiver transmissão comunitária, os casos graves e [de pessoas] internadas. Me estranha muito a OMS recomendar dessa maneira, uma vez que os insumos são insuficientes para testar todo mundo”

Digno de estranheza que a OMS não tenha notado ser a população da Coréia do Sul, exemplo referenciado como sucesso, corresponder a um quarto da população brasileira, além do território brasileiro ter proporção continental, portanto incomparável àquele país asiático.

Ato 4 – A ala dos oportunistas

Para quem acompanhou até aqui, não é difícil entender porque um morador de São Paulo recém-chegado da Lombardia, Itália, foi o primeiro caso de Coronavírus registrado no Brasil.

Deu entrada no Hospital Albert Einstein a 25 de fevereiro. Esteve na Lombardia a trabalho entre os dias 9 e 21 de fevereiro. Justamente no período do carnaval italiano que não foi cancelado. Como a OMS não recomendou fechamento de fronteiras, o fluxo de carnavalescos e pessoas a trabalho, que transitaram em pontos de aglomeração devido às festividades, não sofreu a restrição necessária.

Quando um vírus que se propaga velozmente pelo mundo atinge um país, são duas as determinantes para o combate eficaz: (i) ações rápidas e (ii) monitoramento constante. O governo federal já estava monitorando o rastro do vírus pelo mundo, analisando estatísticas da propagação e tendo ações rápidas junto a outros ministérios.

O problema estava no alcance do monitoramento. O Ministério da Saúde monitorou em tempo real as reações da OMS. Esta, contudo, colaborava mais à confusão que à solução rápida do contágio, atrasando as ações brasileiras. Outro fator que implicou o atraso de certas medidas foram as ações dos governos estaduais e municipais.

Havia um dilema na cabeça dos gestores públicos municipais e estaduais: qual a estratégia mais fácil, em ano eleitoral, para eleger cinco mil e quinhentos prefeitos e câmaras municipais, em meio a um surto pandêmico e diante de um sistema de saúde vacilante, nas prefeituras e governos estaduais, frente à pandemia? Simples: esconda seus dados reais, jogue a culpa no governo federal, como se não houvesse amanhã, e trabalhe o discurso de acordo com a maré.

Quer exemplos? Tomemos o principal foco de atuação do governo federal para conter a pnademia: o eixo Rio-São Paulo, cujo tráfego turístico foi ainda maior durante o carnaval.

Comecemos por São Paulo.

O capítulo começa com uma situação inusitada, que passou despercebida por quase todo mundo. Em cinco de fevereiro, um condomínio comercial paulistano publicou algumas recomendações sobre como funcionários chineses, de uma das empresas locatárias, deveriam entrar no prédio: usando máscaras cirúrgicas, utilizando apenas elevador privativo e higienizando as mãos com álcool gel.

Poderia parecer uma medida discriminatória, não fosse um detalhe contado pelo gerente do condomínio:

“A empresa que tinha esses funcionários nos procurou dizendo que estava seguindo as recomendações da OMS e que os funcionários não iam vir mais pra cá, iam ficar isolados por 14 dias. Então soltamos um segundo comunicado (dizendo) que não ia mais acontecer aquilo, mas orientando para que todo mundo tenha (sic) uma certa precaução.”

Ou seja, as empresas chinesas em São Paulo já haviam aplicado diretrizes de quarentena, segundo orientações de Pequim e da OMS.

Lembremos Tedros, da OMS, condenando a discriminação “generalizada” dos chineses, enquanto os próprios indicavam isolamento a seus funcionários: dois pesos e duas medidas, dependendo de quem pratica…

Para piorar a situação, o governador João Dória já tinha ciência da pandemia. Em resposta ao comediante Danilo Gentili sobre uma denúncia a respeito de médicos sem máscaras, Dória afirmou:

Se havia um comitê de crise em janeiro, a situação já era grave.

Mesmo assim, ele manteve o papel de garoto-propaganda do melhor camarote VIP para o coronavírus: o carnaval de 2020. E aqui vem a arquitetura desse camarote: os bloquinhos de carnaval.

Neste ano, a Prefeitura antecipou o planejamento do evento e abriu as inscrições em setembro por meio do site oficial. Ao todo, foram 865 blocos cadastrados para 960 desfiles em todas as regiões da cidade, chegando às 32 subprefeituras. Serão desfiles de blocos mais distribuídos em todo o período carnavalesco que se estende de 15 de fevereiro a 1º de março de 2020.

Secretaria Especial de Comunicação, 13/01/2010

Edital de patrocínio convocado, dinheiro na estrada, investimentos feitos na cidade… Como parar a roda no meio da bola rolando? Era melhor fazer propaganda do melhor negócio da China… O carnaval paulista. “Carnaval 2020 de SP está contagiante. Tanto no sambódromo como nas ruas, milhões de foliões, de todas as partes do BR e do mundo curtindo o altíssimo nível das nossas escolas de samba e dos mais de 600 blocos de rua. Viva a alegria, viva o carnaval de SP”, exultava Dória, em orgasmos múltiplos no twitter:

Fica a pergunta a você, leitor: se o governo Estadual é responsável primário pelo monitoramento do coronavírus, devido às suas ações de amplo espectro nos municípios, que medidas de combate foram postas em prática no período mais crítico de possíveis contágios?

Bom, nós não sabemos. Muito menos o Ministério Público de São Paulo. Mas os promotores paulistas ficaram realmente curiosos em saber:

“Segundo a promotoria, o governador João Doria, o prefeito Bruno Covas e os secretários estadual e municipal de Saúde têm 48 horas pra justificar o motivo de não terem adotado medidas oficiais para evitar aglomerações, ‘deixando os cuidados de controle e prevenção a cargo apenas dos cidadãos’”, aponta matéria do jornal O Globo, prosseguindo:

“Também querem explicações sobre medidas de prevenção e contenção ao vírus em presídios, unidades de acolhimento e moradores de rua, idosos, crianças e adolescentes. Dados a respeito de providência relacionadas à ampliação da rede de saúde, como contratação de médicos, criação de leitos de UTI, compra de equipamentos e insumos hospitalares também foram questionados.”

A resposta da Secretaria Estadual? “A pasta foi notificada em 03 de março, e está dentro do prazo para resposta (de quinze dias), considerando inclusive as tramitações processuais, que preveem contabilização de dias úteis.”

Pelo menos nós estamos cientes de que a resposta irá demorar.

A atuação do governador paulista, como bom político da velha ordem, teve como motivador único a política, claro. Suas ações dão disso testemunhos ferozes.

Em 25 de fevereiro, quando apoiadores do governo Bolsonaro cogitavam a mobilização de quinze de março, Dória foi rápido em condená-las. Tachou a mobilização de “inoportuna” e atribuiu a convocação ao Presidente, quando ele próprio recomendou, dias antes do evento, que ela não deveria ocorrer.

Com a fundamentação falsa, fez palanque oportuno:

“Ele (Bolsonaro) tem de representar o que uma República, uma democracia espera de um presidente da República”

O problema real era jogado para baixo do tapete: a suruba do coronavírus no camarote do carnaval paulista. Estrategicamente, ele mudou as ações de seu gabinete na semana das manifestações, justamente quando o Presidente (dia 12 de março) recomendava não ir às manifestações.

Dória não proibiu as manifestações com o seguinte argumento:

“A situação dos casos de coronavírus é acompanhada em tempo real pelo centro de contingência do coronavírus e toda decisão é adotada por critérios técnicos para garantir o bem-estar da população”

Secretaria de comunicação do governo do estado de SP

Manifestando-se estrategicamente, ora como aguerrido adversário de Bolsonaro, ora pacificador das polêmicas criadas por ele próprio, Doria escondeu os graves problemas de seu Estado, abafados pelo coronavírus e sua dinâmica pandêmica. Um desses problemas, por exemplo, foi a fuga de 1.379 presos em rebeliões feitas nos presídios paulistas, em 16 de março.

Terminemos no Rio de Janeiro nossa viagem pandêmica.

A carreira política de Witzel segue o caminho do ostracismo. A única coisa que lhe restou, após fazer clara oposição ao Presidente, foi escolher aliados que lhe oferecessem alguma proteção. Por isso a aproximação com Dória era vital e necessária.

Como foi noticiado a 13 de fevereiro, “os governadores do Rio, Wilson Witzel (PSC), e de São Paulo, João Dória (PSDB), costuram um encontro no carnaval carioca em meio à tentativa de se contrapor ao bolsonarismo nas eleições municipais deste ano. Rompidos com Jair Bolsonaro (sem partido), Witzel e Doria articulam uma aproximação entre si enquanto buscam se cacifar para a eleição presidencial de 2022”. “-Eles estão tratando de uma agenda que seja positiva para São Paulo e para o Rio – disse um interlocutor.”

Para combater a força de Bolsonaro, Witzel se une a força-tarefa da velha ordem, dando a força que Dória precisa para simular uma imagem conveniente de macho alfa da matilha. Dia 23 de fevereiro, em pleno carnaval carioca, muito à vontade com seu novo escudeiro, ele cantou a música da sinceridade:

“O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirmou que nunca viu os governadores do país ‘tão unidos’”. E enfatiza a estratégia: “Devemos muito ao presidente Bolsonaro, as agressões, as atitudes, que tem colocado os governadores muito próximos na defesa da democracia”.

Como bom escudeiro que é, Witzel preocupa-se mais com o capital político futuro do que com o que ocorre na cidade, onde o narcotráfico faz até toque de recolher nas comunidades em que as autoridades policiais não conseguem chegar.

As medidas de quarentena do governador carioca são desproporcionais e produzem transtornos aos negócios do Estado. Para se ter uma ideia, enquanto o decreto federal 10.282, de vinte de março de 2020, considera transportes de passageiros por táxi ou aplicativo um serviço essencial, Witzel proibiu corridas na cidade do Rio e região metropolitana. O próprio Presidente identificou a desproporção: “estão tomando medidas, no meu entender, exageradas. Fechar aeroporto do RJ. Não compete a ele, meu Deus do céu, a Anac tá a disposição, a Anac é uma agência autônoma, que tá aberta a todo mundo, para conversar”, afirmou Bolsonaro.

Witzel, é claro, responde de forma irresponsável, fazendo palanque, como aprendeu com seu líder paulista: “Estamos fazendo a nossa parte, estamos regulamentando o que entendemos que é fundamental para salvar vidas. O governo federal precisa fazer a sua parte, nós não temos acesso, os governadores precisam mandar uma carta”, afirmou o governador.

O que veremos nos próximos capítulos desse cabo de guerra é a intensificação da guerra declarada de ambos os governadores contra o governo federal. Escondendo os problemas reais, mirando as eleições municipais. Afinal, os municípios dão força política às candidaturas federais. Principalmente a presidencial… Numa aliança da velha ordem, não importa quem vença. A única condição exigida é que se cumpram os acordos e condições definidas pelos aliados quando chegarem ao poder.

Ato 5 – Ala dos Confederados nordestinos

Após várias tratativas desde o início do ano, em agosto de 2019 foi criado o Consórcio Nordeste. Nove governadores, seis deles de partidos de esquerda, tinham como objetivo obter a relevância política necessária para digladiar com o governo, por um lado; e engrossar o rugido para exigir demandas ao governo federal.

No papel, o plano é nobre: uma parceria entre os governos estaduais para realizar editais de compra em bloco de produtos e serviços, sobretudo serviços relacionados à saúde, educação e segurança pública, amenizando a concorrência e barateando o custo. Não propõe a independência, ou confederação, ou algo similar.

Mas a prática é diferente. O grupo funciona como uma ponta de lança contra o governo federal. As pautas partidárias da esquerda são exigidas em bloco, com maior força, aumentando a pressão. Ademais, tem pujança vertical contra municípios que sejam de oposição à esquerda. Com a redistribuição obrigatória do orçamento direto aos municípios, um bloco regional coeso da esquerda tem um maior controle orçamentário local, podendo fazer o realocamento através de acordos conjuntos. As palavras de ordem dos membros do consórcio remetem à velha conhecida “luta de classes”.

Com o grupo coeso, tornou-se cada vez mais fácil trazer o melhor patrono para se ter força: a China, articulado com o PT, com quem o partido comunista chinês tem aliança histórica.

Em 2011, à frente de uma delegação, o presidente do PT à época ficou impressionado não só com a Escola de Formação Política do Partido Comunista da China, como também com o interesse dos dirigentes chineses do Partido Comunista Chinês pelo Brasil. Frutos nasceram.

Em 2015, o Partido dos Trabalhadores produziu o sexto Seminário Teórico do Partido dos Trabalhadores e o Partido Comunista da China. E Mônica Valente, secretária de Relações Internacionais do PT (e secretária-executiva do Foro de São Paulo), foi muito clara sobre o objetivo da relação entre China e Brasil: “Como ficou no debate aqui, sobre os BRICS, “Brasil e China têm um papel a jogar fundamental na construção de uma Nova Ordem Internacional…”

As relações da China com os governos de esquerda só se intensificaram. Na Bahia, Rui Costa tem acordos com a China Railway Engineering Group (Crec) – e o Fundo Chinês para Investimento na América Latina (Clai-Fund), para construir e operar o Porto Sul e a Ferrovia de Integração Oeste-Leste (Fiol).

Assim como a Bahia, todos os estados do Consórcio Nordeste têm estreitado relações com a China visando a prospecção de novos empreendimentos, com visitas das comitivas chinesas ao Brasil e idas de governadores a Ásia. Tudo conforme o modelo aplicado à Etiópia. Ou Sri Lanka, que contraiu uma dívida de mais de oito bilhões para a construção do porto de Hambantota, concedendo em troca o terminal à China por 99 anos.

O governo cingalês voltou a anunciar contratos e a solicitar empréstimos para o desenvolvimento local, incluindo a construção de uma rodovia que liga o centro da ilha do Oceano Índico a um porto marítimo construído em sua região sul. Mas o Consórcio do Nordeste não é composto por países, e sim por estados. Politicamente, contudo, agem como confederados. Unidos pela China, para a China.

Como se sabe, a agenda de uma Nova Ordem Internacional Chinesa, tendo no Brasil uma das “colônias para prosperidade chinesa”, como ocorreu em outras colônias modernas, deparou um obstáculo: o governo Bolsonaro. Os acordos firmados pelos governos anteriores não podem ser desfeitos da noite pro dia. Mas a agenda foi paralisada.

Logo, ações se fizeram necessárias. Uma rusga entre Bolsonaro e o governador petista Rui Costa virou oportunidade única para o Consórcio Nordeste dar um rugido, defendendo Rui Costa num “Fórum de Governadores”. Oito dos nove mandatários estaduais eram do Cónsórcio. Dentre os governadores, estavam Witzel e Dória. Nada além do esperado.

Recentemente, a tática mais descarada de esta Confederação Nordestina mostrar a sua força é… Pedir auxílio a China, passando por cima do governo federal e do princípio federativo, mostrando sua subserviência ao governo de Pequim, recorrendo à embaixada chinesa para o governo chinês resolver questões domésticas brasileiras. O argumento da ocasião é obter insumos para combater a pandemia, a pretexto de não conseguir da União, a que estão subordinados constitucionalmente, o socorro necessário.

A despeito das centenas de medidas sanitárias do Ministério da Saúde em andamento, protocolos de tratamento para o coronavírus aprovado no território, e destinação de bilhões de reais aos estados.

A postura não é desesperada, como se aparenta. Há método, muito bem delineado, alternativo ao projeto chinês, construído com governos de esquerda nacionais anteriores, paralisado por um governo de oposição. O que se vê no cenário atual é a simples e pura guerra declarada.

A estratégia chinesa é simples. Dinheiro traz o comércio. Compra prepostos governamentais. E negocia países. No Brasil, os estados estão em promoção, já que um militar atrapalhou a negociata.

Revejamos Doria, novamente como um belo exemplo para o desfecho deste longo texto. Em janeiro deste ano, garantiu que os chineses devem atuar de forma agressiva nos programas de desestatização até 2022. E que estimulará sua posição de maior parceira comercial do estado, distanciando-se de americanos e argentinos.

Com um preposto chinês tão empolgado, a opinião do cidadão paulista é irrelevante.

No Brasil inteiro, temos exemplos parecidos em graus variados. Entre irresponsabilidades mundiais, o Dragão chinês desfila seu carnaval, leiloando com mercenários traidores da pátria sociedades nacionais inteiras.

Negociando tua vida, tuas riquezas. Teu futuro.

fim
Revista Esmeril - 2020 - Todos os Direitos Reservados

46 Comments

  1. Excelente artigo. Muito esclarecedor. Mas, a data em que o Governo chinês soube da existência do vírus, ainda é mais antiga. Li que em novembro,mais precisamente, dia 19, houve o vazamento da virose.
    Salvo engano meu,seria interessante conferir.
    No mais, parabenizo o autor.

  2. Gostei bastante, o texto retrata bem o que aconteceu na realidade não só daqui como no mundo inteiro. Defensores da natureza como a GRETA se calaram perante o vírus que veio da china, o papa então ficou MUDO. Isso só prova que essas pessoas são falsos moralistas como dizia o grande jornalista Luiz Carlos Alborghetti. Graças a Deus temos Trump ao nosso lado e tenho certeza de que ele fará tudo para responsabilizar a china pelo caos global que a mesma causou.

  3. Não foi por acaso que se travamos uma luta contra a esquerda culminando com a prisão do Lula!
    Uma grande parte de brasileiros que não tinham esperança contra eles respiraram pela primeira vez em muitos anos com uma chance real de tirar o PT do trono. Mesmo que de forma tosca e nada disfarçada com o “politicamente correto” elegemos alguém que temporariamente interrompeu os planos da esquerda!
    Acredito que o que temos que fazer é nos informarmos o mais possível sobre os atos que eles planejam e divulga-los o mais que der! Se não fizermos isso corremos um grande risco de ser devorados!!!

  4. Por todas essas razões e principalmente pela riqueza acumulada pela China em títulos americanos é que nós aqui deveríamos COBRAR todo o gasto trazido por esse vírus chinês da própria China. Há na internet vídeos mostrando que tal vírus foi propositalmente espalhado pelo mundo. Há também suspeita de que tenha sido produto de laboratório esse vírus, exatamente para permitir a tomada de poder mundial cujo líder Xi Jinping ambiciona. O projeto deles é de proporção gigantesca, submeter todos os países pela força econômica que agora têm. Talvez tenha sido até mesmo proposital todo o saque efetuado pelos governos anteriores para fragilizar nosso País para agora ser submetido ao projeto comunista deles.

    • Quanto aos vídeos que mostram chineses “espalhando vírus”: se não forem uma pegadinha, esse tipo de material é produzido por agências de Inteligência para levar o povo a se irar contra um inimigo e assim obter apoio popular para, caso necessário, iniciar uma guerra. TODOS OS PAÍSES FAZEM ISSO. Pior: daqui a pouco, qualquer pessoa com aparência oriental poderá apanhar nas ruas!

      (Seria muita burrice um agente secreto espirrar para espalhar contaminação: bastaria passar as mãos discretamente sobre as coisas!)

  5. Muito Bom! Um traçado em corte da Geopolítica Atual… acredito que adiante teremos mais artigos evidenciando as ações do bloco RUSSO CHINES mundo afora…

    Lembro-me de uma das teclas mais batidas pelo agora Presidente Bolsonaro :

    “A China NÃO quer comprar no Brasil, a China quer comprar o Brasil!”

  6. Alguém ouviu falar do George Soros? Qualquer assunto ele sempre era o primeiro a se pronunciar. Parece o Thanos, se não aparece é porque deve estar com algum plano de extermínio por aí.

  7. Precisamos de uma intervenção divina. Deus tenha misericórdia de todos nós. O comunismo está instalado e escancarado pra todos verem. Deus proteja nosso presidente e livre o Brasil desses conluios. Nós conhecemos muitos dos inimigos da pátria.

  8. Muito bem elaborado essa reconstrução de fatos desde o início do ATO chinês até essa data mostrando a cooperação dos “bobos da corte” traidores do Brasil, eles que surfaram na onda Bolsonaro e conseguindo seus objetivos deram as costas tudo arquitetado, enquanto esses brigam com o presidente que quer resolver a pandemia, o partido comunista chinês tenta ganhar terreno.

  9. É bem possível que esses demônios estejam todos juntos. Os que tramaram os que puseram em prática, os que testaram , os que encobriram, disseminaram, controlaram e enfim estão usando para recuperar, manter ou aumentar seu poder sobre as pessoas, empresas, países. Aumentando os efeitos nocivos dessa arma biológica através das línguas de suas víboras, o que vai tornar os remédios tão ou mais fatais que a doença. Fica a sensação de que os que comemoravam o “Carnaval contagiante” tinham uma noção bem mais real sobre o que estavam falando e a calmaria antes da tempestade não foi só pelo período de recesso mas por estarem aguardando o resultado de seu prodigioso “feito”. Com o laço armado aguardavam e agora contam com as presas que planejaram. Se Deus conceder ao mundo outra chance de recuperação não se perca a oportunidade de dar combate aos demônios pois negociar com eles já se sabe o resultado. Nada presta com quem não presta, muitos crimes ficam sob o tapete que permitiu preços menores e lucros maiores. Foi literalmente o proverbial “negócio da China” em que o barato saiu muito caro. Não há dinheiro que pague o que é de real valor

  10. Acredito que o autor queira ficar no anonimato, já que o seu nome não foi publicado.
    Parabenizo o autor pelo retrato instantâneo desse momento conturbado e à Bruna Torlay pela edição final.
    Sem dúvidas, conseguiu contextualizar os atores nesse drama político internacional. Muito didático.

  11. Texto conciso tal e qual relatorio confidencial na mesa de um Analista Militar!… Revela as entrelinhas de uma guerra que e travada em muitos aspectos da sociedade contemporanea vizando antes de tudo uma estrategia global.

  12. Muito interessante o texto, é claro e traz informações valiosíssimas. Faltou tratar também das atitudes e declarações do presidente Bolsonaro, que a meu ver também são prejudiciais ao combate da pandemia. Tirando essa omissão do autor, daria nota 10.

    • Em breve faremos uma matéria sobre a inclusão da Cloroquina no tratamento dos doentes graves, com Brasil e EUA sendo pioneiros.

      Obrigado pela dica e pelo elogio.

  13. Resenha boa!
    Só lembro que toda a juventude, os mileniais, e os pais desses mileniais, a galera de 40/50 anos, foram TODOS catequizados em prol da “comunização” e são pelo menos uns 60% da população votante! Os com um QI mais sólido entenderam o significado do Bolsonaro, já os toscos, com QI baixo e cérebro claudicante, têm certeza absoluta que Bolsonaro é um demônio.
    Quanto mais raso intelectualmente, mais DOENTE e mais hipocondríaco o ser é.
    Assim, todo o esquema visa exclusivamente essas faixas etárias, e temos uma dicotomia total, e estamos a beira de uma guerra de secessão, e se ela acontecer a nova ordem mundial leva!
    Não é possível conciliar o néscio com o capaz, sempre o néscio parasitará o capaz e pior, sabotará o resultado da labuta do capaz!
    A única chance de nossa soiciedade nesse momento creio que seja uma epidemia realmente funcional, aniquilante! Pois como afirmei a estupidez anda par e passo com a hipocondria e a covardia, e a irresponsabilidade fundamental que garante o deletério com medo de doença!
    Como mostro, há um irreconciliável choque entre a estupidez perene e o pensar, só uma epidemia bruta a lá ebola é que consegue fazer uma assepsia fundamental para que a nação saia da fossa.

    Em minhas andanças ouvi muitas pessoas, e o curioso, é que em toda a américa (de norte a sul), e na europa, os educadores esclarecidos afirmam que essa geração milenial é entendida geração perdida, e os profissionais de saúde, decentes, dizem que essa é a primeira geração que será enterrada pelos pais! A degeneração desses personagens é muito severa, o MEDO é o tônico vitaminado dessa macacada, são os filhotes de videogame, TV, tablet, smartphone!
    Eles já são entupidos de vacinas (um rapaz me contou que a filha dele com quatro meses já havia recebido mais de vinte vacinas) e vacinas são feitas com mercúrio (timerosal, é o “conservante”) e mercúrio ataca sobretudo o sistema nervoso e gônadas, provoca demencia, retardo e destrói o relógio corporal levando meninos a trocarem de time!

    Sei que é duro, mas sejamos honestos, uma população assim com QI supinamente baixo precisa ser reciclada, e nada mais eficaz do que uma epidemia lixiviante!

    O problema do mundo é a estupidez perene e como consequencia temos de carona, virus!

      • Caros, o texto é um raciocínio meu, gerado pela “compilação” de “zilhares” de livros e meus entendimentos e vivencias.
        É fundamental que tenhamos uma proposta polimata, dessa forma garantimos que não vamos obedecer a proposta alheia e melhor, nos impede de ficarmos sujeitos agendas alheias.
        É fundamental a leitura, ampla, geral e irrestrita!
        Ampla digo porque não adianta estudar medicina sem conhecer física, e não adianta conhecer física sem fazer o paralelo com a química e a biologia, pois tudo anda par e passo, ou seja, todo fenômeno é físico, quimico, biológico (esse entendimento da participação do biológico em tudo é algo mais amplo, mas se chega seguindo a premissa do polimatismo), é como já dizia os os estudiosos do hermético: o que é em cima, é em baixo! Até alguns anos atrás, o infeliz com gastrite ou úlcera era sugerido ingerir leite, sendo que é sabido pela qu´mica desde sempre que ácido com ácido dá base, e ácido com base da ácido, logo ingerir leite para reduzir a “queimação”, acidez é algo simplesmente retardado, e isso faziam médicos!
        Geral, é como já disse, nada é isolado, tudo é um sistema aberto e sincrônico, sinérgico! Só com essa frase entendemos que MUITOS preceitos e até leis físicas são FALSOS, por exemplo: segundo a termodinãmica, a lei de conservação de energia diz que é impossível um moto contínuo, visto que o sistema não teria como gerar energia do nada, tal lei demente desconsidera que NADA é isolado, desconsidera uma outra lei física fundamental, a da ressonancia, todo corpo “afinado” em uma “nota” responde ao estímulo dessa nota, vide na mecãnica quantica a proposta de átomos pares, onde um responde ao estimulo no outro em tempo real e distanciados pela “eternidade”. Não existe nenhuma forma de entender uma cátedra sem conhecer todas as outras! Em tempo, lembro que o nome cátedra vem de catedral, pois todo o conhecimento científico, ao contrário do que todos creem é fruto quase exclusivo das igrejas, das CATEDRAIS (góticas sobretudo, a maçonaria foi um desses braços que preferiu um caminho mais de politização raiz)!

        Irrestrita porque o sectarismo é atávico, somos sempre sectários na base, a proposta social é sectária e dessa forma geradora da dicotomia que fundamenta o entendimento tosco.
        Ou seja, para termos um entendimento amplo somos obrigados a beber de todas as fontes, até da de água estagnada! Pois é garimpando que encontramos as reais jóias do entendimento!

        Sugestões de livros eu teria toneladas, e sem um foco básico é díficil eu citar, pois não sei qual ponto de origem buscam!

        Estamos aí!

    • Permita-me: precisamosnos informar; conheço gente que se diz cristão-socialista, conservador-marxista, liberal-socialista, e por ai vai. Somos uma sociedade de quadrados redondos. O primeio passo é o conhecimento. O segundo, a militância. O terceiro a participação política. Isso é tudo o que o outro lado faz.

  14. Estou de acordo com sua postura crítica diante da realidade política brasileira, um tanto conturbada nessa era virulenta de 2020.
    Na minha opinião, o Brasil não pode parar suas atividades, pois os lacaios do caos, a começar pela OMS que é gerenciada por um não médico, cujos interesses são discutíveis. Parabéns pela Esmeril, sempre verdadeira.

  15. As esquerdas tupiniquins orquestradas pelo globalismo progressista e pelo PCC/PCR já sacaram que os Brasileiros estão em excelentes mãos: a equipe do BOZO é fantástica e o povo de bem se dispôs a se contaminar pelo vírus chinês no dia 15/março, em uma clara demonstração de estar junto dele. Já percebeu também que a Nação Brasileira vai sair dessa crise com competência e mais forte e unida em torno do PR Jair Messias Bolsonaro e do que ele representa. Bolsonaro já está eleito em 2022 ou, se ele quiser, elegerá quem ele sugerir. Por isso o desespero das hordas esquerdistas que, já era grande, ultrapassou os limites da loucura e da decência: o conservadorismo renasce no Brasil com força.
    Por isso a estratégia ordenada pelo “establishment” é: BATER, BATER, BATER, BATER 25 horas por dia, e BATER mais no PR Bolsonaro e no Governo Bolsonaro, na equipe do Governo Bolsonaro, mesmo sabendo que procedendo assim baterão nos mais de 70 milhões (sem fraude) que o elegeram. Um claro desrespeito ao Povo Brasileiro, cuja bandeira é VERDE-AMARELA-AZUL-BRANCA.
    Por isso, as táticas têm sido pedidos de impeachment, de afastamento; de teste de sanidade mental; fake news em proporções nunca vistas; de tentativa da mídia convencional e esgotosfera “deep web” digital de espalhar o pânico entre a população – minha mamãe de 87 anos sacou isso; da divulgação de “pesquisas” dizendo que a popularidade do PR Bolsonaro está caindo; de governadores pedindo auxílio à China em claro desrespeito e desobediência civil ao Governo estabelecido; de governadores tomando decisões autocráticas em desrespeito às orientações do Governo Federal; cartas de petistas pedindo desculpas ao PCC; textos de jornalistas contra orientações do Ministro Mandetta; “expoentes” que ainda pensam que têm exposição dizendo que o pais pode entrar em pânico por causa do PR Bolsonaro e seu governo; Gilmar Mendes oportunisticamente enviando proposta de PEC para implantar um semipresidencialismo ou sei lá o que isso significa; etc., etc. Tudo para causar um pânico emocional na população. Coisa que a esquerda faz muito bem.
    O objetivo é desinformar a opinião pública, que eles pensam que ainda é a mesma de 20 anos atrás. O principal problema do anacrônico é a teimosia em perceber que o mundo a sua volta mudou. Por isso ele desaparece por si só.
    Claro, não vão conseguir seu intento. A verdade e o bem sempre vencem.

    • Caro Fernando, é fato tudo o que colocou, mas é fundamental entendermos quais as causas primárias e não as secundárias (instigar o pânico é causa secundária), pois as secundárias são consequencias das causas primarias! As causas secundárias não nos levam a soluções, só nos levam aos agentes causadores SECUNDÁRIOS!
      Dai chego à tecla que insisto em bater, a FRAQUEZA, a fragilidade, a pusilanimidade total da massa!
      Só é possível uma pessoa se incomodar com papo de epidemia, caso ela seja IRRESPONSÁVEL consigo mesma.
      Explico, o irresponsável entende que é direito dele o lazer, o pantagruelismo, a concupiscência, o passatempo (qual o sentido de se crer em passar o tempo, se somos mortais, finitos e com uma supina efemeridade sobre o mundo, com tempo CURTÍSSIMO?), o hedonismo a toda prova, garante dessa forma a destruição do equipamento e aí, nem preciso dizer que basta um espirro próximo que já clama antibióticos, e pior, sem se tocar que antibiótico como o próprio nome diz é MATADOR DE VIDA, é veneno, só que em dose suave para uma massa corporal de 70kg, mas letal para massa de nanogramas.

      As pessoas não entendem que acreditar que alguém alem de nós mesmos está empenhado em nos curar é no mínimo demente, qualquer um está empenhado em se sustentar, logo a prioridade do outro é o outro da mesma forma que nossa prioridade somos nós! Logo, o outro irá primeiro resolver o problema dele e se sobrar alguma migalha, aí, ira, quem sabe repartir!
      Só que a maior e mais forte industria do mundo é a fármaco, e uma das profissões mais bem sucedidas economicamente é a de médico, e ambos, de forma absoluta DEPENDEM DA DOENÇA E NÃO DA SAÚDE! Ou seja, pessoas saudáveis não geram nem um centavo para eles! É fundamental que as pessoas fiquem doentes, DEGENERADAS, para que esse tenham seus sucessos financeiros e econômicos!
      É absolutamente estúpido acreditar que um médico ou alguma panaceia milagrosa vá nos beneficiar em alguma coisa!

      O processo de degeneração, de destruição do equipamento é paulatino, ou seja, descemos degraus em nossa saúde e só há uma forma de recuperarmos nossa saúde, e é subindo os mesmos degraus descidos!
      E nem preciso dizer que subir os degraus implica em de novo passar pelas doenças que nos acometeram na descida! Não existem agentes patógenos, existe corpo claudicante e agentes oportunistas! Um corpo ácido é uma placa de petri de qualquer forma!
      Micróbios ou virus não nos atacam, NÓS DEGENERADOS NOS TORNAMOS CULTURA PARA OS PATÓGENOS! Ou seja, quando cultivamos nossa degeneração, seja via alimentação deformada ou maus hábitos comportamentais, estamos também cultivando os seres que vibram no mesmo espectro eletromagnético do processo degenerativo. TUDO é ressonância! É aquele lance do daipasão, se temos um diapasão afinado em mi, ao acionarmos ele, acionamos no mesmo ritmo as cordas primeira e última do violão, pois ambas são mi, e NENHUMA OUTRA SERÁ VIBRADA! O mesmo acontece com a radiofrequencia, se emitimos em 465 Mega hertz, só irão receber nosso sinal os sintonizados nessa frequencia e mais nada! E mais, se observar a dinâmica da FM (frequencia modulada) entenderemos que uma onda pode carregar a outra em suas laterais, ou seja, a caca (como FM só passa imundície é pertinente o uso da analogia para mostrar a dinãmica das infecções) tem livre acesso ao corpo degenerado e não porque falta leucócitos nesse corpo, mas porque mesmo os leucócitos já estão vibrando na frequencia da degeneração! E se a degeneração for aguda, os leucócitos morrem, pois já não conseguem subir ou descer tantas oitavas! Ou seja, não existem doenças, existem doentes!
      Dai chegamos de novo no medo, o medo é o clássico: quem deve, teme! Se fazemos por onde, se cuidamos de nós de forma ótima (não confundir com ir a churrascaria no sabado, tomar todas, e assistir programa dominical e na segunda fazer um “detox”), se preservamos nosso equipamento, vemos toda essa histeria como apenas uma manifestação de uma das mil facetas da estupidez perene! E evidentemente fruto exclusivo da culpa no cartório! Uma pessoa sadia sequer introjeta essa histeria coletiva, mas com certeza percebe que tem diante de si uma massa de quase 8 bilhões de completos DEGENERADOS!
      Daí, chegamos ao importante: qual o sentido de se preservar o claudicante? E a resposta apavorante é uma só: o claudicante é ferramenta dos dominantes, os donos das mídias, das fármacos, das agendas de planos de saúde e médicas, da “comida” tranqueira, e sobretudo, da droga mais desgraçada e mais usada do mundo, o álcool!
      Ou seja, a massa estúpida são os soldados dos dominantes, da degeneração! E em minha “singela” opinião, esse turma merece é a morte, seja de gripe, aids, câncer, cirrose, gonorreia, ou o que for, pois se assim não for, eles continuaram diuturnamente sabotando a evolução, pesos mortos em decomposição concentrando, desperdiçando, gastando os esforços e recursos dos capacitados!
      Culpar os dominantes??? Nem pensar! São eles e seus reptos que nos fazem evoluir, não existe evolução sem desafio, sem desafio temos o hedonismo que já há muito desgraça a espécie humana!
      Só epicuristas, niilistas, e uma série de outros istas é que entendem que é pertinente ajudar o degenerado, e a razão é supinamente clara: eles, degenerados, sabem que são da mesma laia e precisam da leniencia sobretudo do coletivo para grassarem por todas as plagas em suas pragas existenciais!

      O melhor seria essa “epidemia” matar de verdade, a lá peste negra ou gripe espanhola, teriamos em pouco tempo uma mudança dramática do modus operandi vigente e aí, sim, a humanidade iria evoluir, pois nos últimos 2 mil anos, o que fizemos foi descer aladeira sem pudor e sem moderação! Tanto é fato, que hoje, buraco vertedor de fezes, esgoto corporal já virou órgão sexual! E bem sabemos todos que sexo é reprodução, logo, se sexo é reprodução e ânus é órgão sexual, eu nem preciso dizer o que gente é!
      Infelizmente essa “epidemia” é só para inglês ver, e chinês vencer!
      Alea jacta est!

      • Caro César, você levantou um excelente ponto: a necessidade de cuidarmos melhor do invólucro carnal. E esse cuidado passará, indubitávelmente pela rejeição aos excessos. Problemas econômicos à frente. Por meio de nossa alienação, o viés esquerdista se instalou nas mentes de nossos cidadãos e, como um câncer, destruiu nosso tecido social. Entretanto, como todo mal carrega um oportunidade do bem, acredito que o renascer do conservadorismo em nosso pais, resgatando os princípios de DEUS-PÁTRIA-FAMÍLIA-JESUS-TRABALHO, será o maior bem que toda essa situação irá provocar. Para isso precisaremos de muito conhecimento. Conheço gente que se diz cristão-marxisita, conservador de esquerda, esquerdista-liberal, e por aí vai. Nos tornamos, pela alienação e pela ideologização da idiotice, uma sociedade de quadrados-redondos. Vamos em frente e obrigado por ter se referido ao meu texto.

        • Caro Fernando, enxergo de forma menos esperançosa…
          Não creio que conceitos conservadores farão a diferença fundamental, entretanto sei que é, na atual conjuntura, a ÚNICA forma de resgatarmos uma base mínima para a escalada ascendente do abismo da estupidez perene que estamosafundados!
          Ou seja, de qualquer forma estamos, apoiando o conservadorismo, dando uma oportunidade do acordar da consciência, mesmo que em terreno mais fértil para o abjeto do que para o objeto! 😀
          É como disse, alea jacta est!

          Estamos aí!

          • Creio ser fundamental o entendimento de um texto, de outra forma não há chance de debate, e claro, decompreensão!
            O Fernando não entendeu o que coloquei, adaptou dentro de um espectro fechado! eu sequer aventei “invólucro carnal”, eu falei de DEGENERAÇÃO, e degeneração se dá de forma ampla, sem dicotomia de corpo, alma, intelecto e blá, blá, blá!
            É pertinente que se distorça o entendimento em função de nossas crenças, mas isso não leva ao entendimento, leva ao que chamo de panorâmica do umbigo!
            Mas é direito de todos, e em tempos atuais, como já frisei, é necessário o apoio ao conservadorismo, embora esse tenha um espectro muito amplo para o entendimento “concervador” (o conservador que crê que cabe aos outros cuidarem de suas saudes e integridades, afinal ele paga imposto e tem poder de compra, aquele que acha que ficar alegrinho com uma cervejinha no fim de semana é bacana, aquele que apoia as comemorações e bebemorações) do que gostariam de aceitar!
            Assim, fica absolutamente desconexo, o sr., Silvio, vir aqui parabenizando uma resposta que não abarca NADA do que eu coloquei acima! Isso me diz que o analfabetismo funcional ou o cinismo (forma mais politicamente correta de tergiversar um entendimento transliterando-o para dentro de nossa filosofia pessoal) deram o tom das respostas de ambos! O Fernando não entendeu onde busquei chegar e vc, creio que conseguiu “sentir” que a retórica dele foi o suficiente para diluir o foco e fazer com que sua posição, seu modus operandi, ficasse intacto diante de uma ameaça externa!

            Minha sugestão, é que leiam o que coloco sem tentarem se colocar como os bons exemplos, tentem se ver como a escória, até porque somos todos escórias e se assim não o fosse, hoje não existiria sob nenhum aspecto o entendimento de que buraco de fezes é órgão sexual! E convenhamos, esse papo de buraco fecal órgão sexual não é só entre aqueles que vcs entendem os “errados”, é uma patologia que assola a todos, inclusive mulheres que chegam a ficar curiosas para saber o que é sexo anal!! Só isso, já nos mostra que a sociedade é um monturo excremental sob qualquer aspecto! Afinal sabemos todos que sexo é reprodução, independente dos entendimentos personalistas.

            A coisa mais fácil que existe é, apontarmos o erro alheio e defendermos nossas bandeiras. Mas não é tão fácil, reconhecermos nosso erros e percebermos que somos todos sim culpados pela desgraça que assola o mundo!
            A epidemia não se fez através dos fortes, dos RESPONSÁVEIS, fori forjada por aqueles que se acham corretos, mas não abrem mão de ter aspirinas, engovs, anticoncepcional dentro dos corpos de suas mulheres para poderem se aliviar sem maiores preocupações, do armário do banheiro com coleções de panaceia curadora, de antibiótico a antipiréticos e analgésicos! O sadio, o qual cito em meus textos, não usa “remérdios”, aposta em si mesmo, não toma analgésico, faz por onde para não passear na seara da dor! Não busca o conforto ou a diversão, pois sabe que seu tempo sobre a Terra é muito curto para se perder com frivolidades! Coisa que faria inveja aos estóicos de antanho!

            Assim sendo, percebendo que nada do que eu coloquei foi entendido, vou repetir de forma mais clara.
            Todas as causas da desgraça humana são os atos humanos! As crenças que fazem com que haja piedade do dissoluto, que entende que velhinhos são merecedores de respeito e consideranção desconsiderando a vida pregressa desses “velhinhos” que muitas vezes foram os mais abjetos seres com suas condutas!
            Isso que responderam me lembra o sujeito que entende que estuprador é um criminoso menor e pior, entende que o usuário de prostituta não é estuprador, afinal para o cínico, o estupro só ocorre com violência física e nunca econômica, moral, social etc.
            Eu entendo que um usuário de prostituta deveria ser morto da mesma forma que todo estuprador tem que ser executado com o máximo de violência e paulatinidade possível e claro, em praça pública, exemplo é fundamental!
            E claro, tampouco isento de culpa qualquer um que tenha plano de saúde, pois entendo-os os cumplices de uma agenda macabra, o sequestro da saúde e decisão do cidadão!
            Só por aí, percebemos que involucro carnal é um reducionismo de responsabilidade, afinal de contas, se separa o corpo do resto e aí, só fica o corpo da carne fraca culpados, enquanto as mentes e espíritos, podem vaguear pelas searas mais imundas possível incólumes, afinal só a acrne é fraca e mente e espírito são coisa divina, intocável.
            Como em meu entendimento não existe separação de corpo mente e espírito, a culpa é TOAL< nós somos responsáveis por TUDO o que nos cerca, inclusive e sobretudo, tudo aquilo que teimamos em enxergar apenas nos outros, e nunca em nós!
            Sem esse entendimento FUNDAMENTAL, o ser humano não vai sair do inferno e mais, muito me breve só existirá em museus, pois os que agora nascem sobretudo graças aos mutagênicos anticoncepcionais e claro, o estupro mais covarde, aquele que até as mulheres incitam e defendem, o ESTUPRO DE ÓVULO!
            Quando um óvulo é mais seletivo que sua dona, ele diz para ela de forma clara: aí, vc pode se arreganhar para qualquer lixo, mas eu NÃO! E aí, a dissoluta companheira do dissoluto total, ambos em um esquema maldito resolvem chamar um outro estuprador e os três em um conluio macabro garantem o gestar e nascer do que há de mais abjeto, aquilo que a própria natureza determinou que nunca poderia nascer!
            Que tipo de homem aceita que um outro faça em sua companheira o que ele tem o dever de fazer, emprenhar sua mulher? Só o "omem"!
            Que tipo de homem entende que se é impotente tem direito a mulher, mesmo que para isso precise de ajuda externa? Só o estuprador é claro, o "omem"!
            Em uma sociedade onde existe viagra, existe inseminação artificial, existe papo de encher mulher de alcool para que fiquem fáceis, existe papo de sequestro de armas, e sobretudo NEGAÇÃO DAS RESPONSABILIDADES individuais, não existe mais macho e tampouco fêmeas, pois uma mulher sadia, fêmea de verdade, nem em um sonho macabro aceita ser tocada por um que toma viagra, que esconde o próprio fedor de macho com desodorizações ou perfumarias, que usa gel, tatuagem etc. para se pavonear, se diferenciar!
            Para quem naõ entendeu sobre tatuagens, deixo o óbvio: Quem faz a tatuagem faz arte, mas tentar chamar atenção com a arte alheia no corpo é algo similar ao clássico gozar com o do outro! Se quero tatuagem faço eu, se não sou capaz de fazê-la, é sinal que não é para mim.
            O Homem macho e a mulher fêmea, ambos se bastam em si mesmo, e dessa forma NUNCA alavancam nada alem deles próprios! Ou alguém acha que as grandes corporações, os estados inchados, as "burrocracias" nasceram do nada? Todos esses esquemas degenerativos só nasceram porque o ser humano abriu mão de suas responsabilidades! No dia que foi aceito um homem menos que alfa tocando uma mulher, se garantiu o nascer do lixo, e isso aconteceu há mais de 3000 anos atrás, fica muito despropositado qualquer um de nós, achamros que somos melhores do que os piores! Agrada ao ego e a vaidade, mas de forma alguma a integralidade.

            Mais uma vez peço a todos que ao lerem meus comentários se dispam de seus valores sociais, se dispam de suas crenças, pois todo esse corolário é o que desgraçou a humanidade. Não leiam o que escrevo com vossos egos, isso não vai funcionar, e pior, preferiram entender o que coloco na esfera da ofensa pessoal. É fundamental entendermos que só deixamos de ser escória quando nos assumimos escórias, pois só aí, buscaremos resetar nosso sistema operacional já redibitoriamente sabotado!
            Vale lerem sobre as maselas do eletromagnetismo na decada de vinte do seculo passado, não faltam reportagens mostrando que naquele tempo já havia queda insana de intelig~encia e compreensão, o QI naquele tempo, embora ainda não mensurável, já mostrava queda substancial em relação aos tempos sem bombardeio eletromagnético!

            Muito obrigado pela atenção e espaço cedidos.

  16. PARABÉNS PELO TEXTO! …DIGNO DE ENTENDERMOS COMO FUNCIONA AS QUESTÕES SOCIOPOLÍTICAS E GEOGRÁFICAS DE PODER. POR JÁ SER, SE NÃO EM ENGANO, A QUARTA VEZ QUE ESSE TIPO DE SITUAÇÃO ACONTECE (DISSEMINAÇÃO DE VÍRUS), MAIS ESPECIFICAMENTE, DA CHINA, COMECEI A ESTUDAR MAIS À FUNDO AS QUESTÕES DE RELAÇÃO COMERCIAL, ECONOMIA E POLÍTICA ENTRE OS PAÍSES (INCLUSIVE AS IDENTIFICAÇÕES IDEOLÓGICAS DE ESQUERDA COMUNISTA), E REALMENTE NOS FAZ ACREDITAR QUE HÁ UMA GUERRA ACONTECENDO, E QUE, AGORA, ESCAPOU DA SUTILEZA E ESTÁ MAIS EVIDENTE DO QUE NUNCA. …PERCEBO TEMPOS SOMBRIOS E DE MUITA LUTA PELA FRENTE, AINDA! …TRISTE, MAS É UMA VERDADE!

  17. Absurdamente lindo. Que texto analítico e profundo. Um cenário prospectivo inspirador e ameaçador. A síntese da ‘velha máxima” voltaremos a ser Colonia e a fornecer somente os insumos primários para que o Dragão Chinês manufature e venda a preços de banana ao mundo. EXCELENTE!!!!

  18. Realmente eu aplaudo de pé pelo conteúdo do artigo em lide. Parabéns pela reportagem que mostra que o autor está muito bem a par da conjuntura e dos fatos e suas anomalias que envolvem o covid19. Realmente esse vírus faz parte de toda uma estratégia de longo prazo dos comunistas, a fim de lançarem uma grande ofensiva contra o mundo livre. Não falo aqui de meios convencionais ou bélicos, que são poucos eficientes e trazem pouco retorno, mas sim armas políticas, psicológicas, de modo a desarmar k mundo livre sem destruir os recursos desses países alvos. Os comunistas nunca pegaram o seu principal objetivo, que é propagar o comunismo a todo o preço. Porem, nós avançamos a guarda acreditando na convergência e democratismo das esquerdas, que nos está cobrando um preço alto demais com esse erro.

    • É fato, entretanto creio que o comunismo só emplacou porque também emplacou a democracia, e ambos de forma análogas, beneficiam o néscio, ambos blindam o incapaz, ambos garantem os capazes suportando os incapazes, sendo que o lógico é deixar o incapaz perecer.
      Daí, chegamos à questão mais pertinente: como é possível que uma retórica castradora, limitadora, manietadora, sequestradora tenha eco?
      Acabamos por perceber que a desgraça humana é redibitória, ela é anterior ao próprio estudo de suas causas.
      E isso se dá não em milênios, mas de geração a geração!
      Hoje, e até antes, os pais preferem assistir TV, beber com os amigos, fazer qualquer coisa a estar com seus filhotes. Isso é mostra cabal que a imensa maioria dos nascidos o são por acidente e não por desejo dos fornicantes!
      E mais, um casal estúpido SEMPRE gerará prole estúpida, e se bêbados, aí, o resultado é digno de BBB e novela, coisa a se orgulhar…

      Ou seja, a cate1quese comuna só emplaca porque a sociedade está DEGENERADA, de outra forma a proposta de estado inchado totalitário provedor não seria aceita enm na lógica primária, pois qualquer pessoa menos idiota sabe que SEMPRE quando delegamos poderes a outrem, esse poder será usado contra nós, pois o “outrem” irá fazer por ele e não por nós. Se somos coerentes sabemos que o estado tem que se limitar ao poder bélico de proteção da nação e de forma alguma nas relações comunitárias! No momento que clamamos a um juiz justiça, estamos abrindo mão de funções fundamentais, o discernimento, a capacidade decisória, e de julgamento.
      E é mais do que evidente que sem essas o melhor é morrermos pois já não somos capazes de nos suprir ou proteger. E aí, é terra fértil para o comunismo.
      Mas lembro sempre, o gatilho primário endossador do comunismo é ipsis literis o mesmo da democracia, e entendendo que o demônio é expressão arquetípica do povo, demo cracia é o governo do demônio!

      Avançar na retórica indignada não significa nada, é apenas aquele lance das palavras jogadas ao vento, se queremos mudar TEMOS QUE CORTAR NA CARNE, teremos que anular em nós mesmos as abjetices que garantem o emplacar dos totalitarismos governantes!
      Não é possível falar mal do comunismo, do PT, da social democracia, da diversidade se somos diversos na conduta de nossas integridades.
      Não é possível criticar regime demoníaco se temos comportamento demoníacos conosco!
      Logo, enquanto as pessoas acharem que beber alcool é salutar, que ingerir tranqueira, serem “chocolátras”, hedonistas, sedentários é um direito delas, elas serão reféns das governanças, pois enquanto se destroem dependem dos outros para limpar as imundícies que estão entupidas!

      Não basta mudar presidente, é fundamental governarmos nossa integridade de forma decente, autárquica e consciênte, de outra forma estaremos, e estamos, deixando o presidente na mão, vendido, sequestrado nas patas dos mais abjetos personagens.

      Observe os dois leitões do congresso (só vou me focar nos dois exemplos pois são amplos gerais e irrestritos), só de olhar as patinhas deles percebo que só em um aperto de mão se esmaga aqueles dedos leves, anabolizados na manicure!
      Que tipo de gente dá crédito a dois filhotes de lupanar frouxos?
      Se pendurar aqueles dois lixos em uma barra, eles caem em menos de meio segundo, não são capazes de sequer segurar seus pesos! Só que isso TODO BEBÊ FAZ, ou seja, esses lixos são mais fracos que um bebê, e mesmo assim as pessoas se deixam sabotar por essa corja?
      Eu não sei se entende, mas em minha opinião o que os políticos fazem há mais de trinta anos (só um exemplo, legislarem em causa própria) é mais do que suficiente para um povo, sadio, invadir o congresso, prefeituras, casas legislativas e tribunais superiores e matar todos os parasitas na DENTADA!
      E mesmo assim, tem muita gente que serve cafezinho para esses esgares existenciais, trata-os com respeito e tem até jagunço disposto a dar a vida por eles!
      Como mostro, o abjeto é regra e não exceção!
      É fundamenbtal a guerra, pois hoje a quantidade de gente que não presta é maior que a de gente prestável, logo ou se detona tudo para fazer de novo, ou continuaremos sustentando salafros, vide a aposentadoria dos soldados do estado, os funcionários públicos, os que servem aos abjetos! É fundamental entendermos que quem recebe por conta da desgraça e sabotagem do povo não é legal, mesmo que se faça de e pareça honesto, eles são os receptadores dos butins perpretrados contra o povo.
      Fizeram concurso? Todos os concursos públicos que fiz passei, é coisa de retardado, e não é mérito aprender idiotia, é sinal de que não seleciona e aí, é a clássica, quem com porcos anda (alguém pensou nos leitões políticos) farelo come, não tenhamos pena dos funcionários públicos, eles nunca tiveram da gente, ou de outra forma, teriam já esquartejado todos os agentes de topo de carreira pública, juizes dependem de baba ovos concursados e esses baba ovos não aproveitam para colocar veneno nas lagostas da corte, logo, não querem o bem do povo, mas sim do estado e estado e povo são completamente diferentes, o povo é a NAÇÃO, O PAÍS, junto com a terra e a força militar, já o estado é uma organização criminal parasitária que se beneficia da estupidez sistêmica para viscejar!

      Sem guerra já não é mais possível melhorar a coisa, minha sugestão é todos nos unamos em frente aos quarteis exigindo o fechamento do congresso e do judiciário em todos os tribunais superiores, do MPF, e criminalização de reitores de universidades públicas e sobretudo, das mídias oficiais, e julgamento sumário e MILITAR (com pena capital) dos sabotadores.
      Tudo com a sustentação do Bolsonaro, pois ele é o agente catalizador de um novo Brasil que buscamos acordar!

      Sugiro que estudem os custos desses “podreres”, só para entenderem, de tudo o que é arrecadado, 95% vai para a manutenção da máquina pública, e só 5% vai como benfeitorias para a nação, ou seja, 90% DA POPULAÇÃO SUSTENTA COM 50% DE SEU LABOR OS 10% QUE GARANTEM O AFUNDAR DA NAÇÃO!

      É muito mais barato colocarmos esses lixos na cadeia, em vez de usarmos da “democracia votante” para eliminar esses abjetos, pois se fizermos isso, esses lixos continuarão sendo sustentados por nós, é FUNDAMENTAL o desmonte dos podreres bandidos.
      Sei que não entendem bem de finanças, mas se fizermos isso, o custo Brasil despenca para menos de 30% do que é hoje!

      E nem preciso dizer que as leis têm que ser feitas seguindo a premissa máxima, si vis pacem, para bellum, ou seja, TODOS ARMADOS!

      É isso, sem isso, continuaremos com as retóricas e discursos que ficam bonitos na selfie que é uma beleza, mas não servem para mudar nação!

      É melhor um dia de tigre a uma vida de rato, cordeiro a ser pastoreado.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This div height required for enabling the sticky sidebar
Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views :