23.5 C
São Paulo
sábado, 28 maio, 2022

DOSE DE FÉ | Francisca Xavier Cabrini

Revista Mensal
Leônidas Pellegrini
Professor, escritor e revisor.

Rejeitada em dois conventos por causa de sua saúde frágil, Francisca tornou-se missionária incansável e passou 30 anos viajando entre a Europa e as Américas

Hoje é dia de Santa Francisca Xavier Cabrini, virgem e missionária.

Nascia em 15 de junho de 1850, na Itália, Francisca Cabrini foi a penúltima de 15 filhos. Desde pequena se entusiasmava com as vidas dos santos. Seu favorito era o jesuíta São Francisco Xavier. Seus pais, pobres camponeses, sacrificaram-se para conseguir formá-la professora.

Em um intervalo de um ano e meio depois de sua formatura, Francisca perdeu o pai e a mãe. Ao mesmo tempo em que dava aulas, alimentava o sonho de se tornar religiosa. No entanto, devido à sua saúde frágil, não conseguiu ser aceita nos conventos em que tentou ingressar.

Em 1877, com a ajuda de um pároco, fundou o Instituto das Irmãs Missionárias do Sagrado Coração de Jesus (ou “Irmãs Cabrinas”, como ficariam conhecidas), que foi colocado sob a proteção de São Francisco Xavier – foi nessa época, inclusive, que ela adicionou “Xavier” a seu sobrenome.

Francisca alimentava o sonho de levar sua missão para a China, assim como o padroeiro de sua Ordem, mas a conselho do Papa Leão XIII, seu destino foi o Ocidente, em uma época em que as Américas eram destino de um grande número de imigrantes que fugiam da fome e da guerra na Europa. Em trinta anos de trabalho intenso, Francisca Xavier Cabrini fundou 77 Casas em países como Itália, França e Estados Unidos (onde se estabeleceu em Chicago), Brasil e Argentina, construindo albergues, escolas e hospitais para os imigrantes.

A franzina, frágil e incansável Madre Cabrini, como ficou conhecida em seu tempo, morreu em Chicago, em 22 de dezembro de 1917.

Santa Francisca Xavier Cabrini, rogai por nós!

 

A jornada de Francisca

 

No pobre Norte da Itália,

nasceu Francisca, a franzina

gigante, que destes versos

é a meritória heroína.

 

Com sacrifício seus pais

a conseguiram formar,

e finda a honrada missão,

ao Céu foram descansar.

 

A Professora Francisca,

querendo Cristo seguir,

tentou freira se tornar

e a algum convento se unir.

 

No entanto, ninguém a quis,

pois sua saúde era ruim,

mas a franzina Francisca

a seu sonho não deu fim:

 

fundou, então, ela mesma,

a sua congregação

de missionárias honradas

até por Papa Leão.

 

Com suas santas irmãs,

viajando sem parar,

sua obra frutificou

pela Europa e no além-mar,

 

dando conforto aos migrantes

pelo mundo desvalidos,

do sul da América, Europa

e nos Estados Unidos,

 

onde veio a falecer,

já com seus sessenta e sete,

depois de tantas labutas,

no mariano dezessete,

 

e descansou finalmente

a incansável cabrina,

migrando, enfim, para o Céu

e à Eternidade Divina.


Gosta do nosso conteúdo? Assine a Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

Finados

Finados   I Dos bisos conheci o Nona e a Nono, avós do pai, bem pouco conhecidos, na verdade, em seus mundos recolhidos, alçados quase...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img