13.1 C
São Paulo
terça-feira, 28 junho, 2022

DOSE DE FÉ | Ciro e Julita

Revista Mensal
Leônidas Pellegrini
Leônidas Pellegrini
Professor, escritor e revisor.

Mãe e filho martirizados durante a Grande Perseguição de Diocleciano, Santa Julita e São Ciro constituem modelo de união familiar e família fiel a Cristo

Hoje é dia de São Ciro e Santa Julita, mártires.

Julita e Ciro eram mãe e filho. Viúva da cidade de Icônio, na região da Licaônia, hoje Turquia, Santa Julita era uma mulher muito rica, pertencente à aristocracia.

Quando Ciro tinha três anos, em 303, Diocleciano intensificou a Grande Perseguição contra os cristãos. Julita fugiu para a região da Selêucia e depois para a cidade de Tarso, onde foi presa pelo governador Alexandre em 304.

Diante da recusa de Julita a renunciar à sua fé, o governador ordenou que fosse chicoteada diante de seu filho. A cada golpe que levava, ela repetia a frase “Eu sou cristã”. Quando não suportou mais ver o sofrimento da mãe, o pequeno Ciro correu para ela. Todos esperavam que ele suplicasse por sua mãe, mas ele começou a gritar: “Eu também sou cristão!”. O governador, furioso, deu um chute no menino, que fê-lo rolar escada abaixo e morrer na queda – por isso, São Ciro é Padroeiro das crianças vítimas de maus tratos. Pouco depois, Julita foi morta por decapitação.

Santa Julita e São Ciro constituem modelo de união familiar e de família cristã fiel até a morte. O pequeno, morto aos quatro anos de idade, só não é mais novo que os Santos Mártires Inocentes assassinados por ordem de Herodes.

São Ciro e Santa Julita, rogai por nós!

 

Martírio de São Ciro e Santa Julita

 

Quando a viúva Julita foi levada

por ser cristã, seu filho, um meninote,

a viu sofrer debaixo de chicote,

mas a bradar a cada chibatada

 

“Eu sou cristã”, e, seguindo seu modelo,

 à mãe ele correu, e então gritou

 pra todos escutarem: “Também sou

cristão!”, e a ela estreitou-se com desvelo.  

 

Um chute o fez rolar a escadaria

e ao Céu de imediato ser alçado,

e em pouco tempo lá o encontraria

 

sua mãe, que à espada teve derramado

seu sangue, e enfim, reunidos mãe e filho

foram morar no Lar de Eterno Brilho.


Este conteúdo é exclusivo para assinantes da Revista Esmeril. Assine e confira as matérias dessa edição e de todo nosso acervo.

- Advertisement -spot_img

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

Finados

Finados   I Dos bisos conheci o Nona e a Nono, avós do pai, bem pouco conhecidos, na verdade, em seus mundos recolhidos, alçados quase...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img