sexta-feira 19, agosto 2022
16 C
São Paulo

DOSE DE FÉ | Vito

Leônidas Pellegrini
Leônidas Pellegrini
Professor, escritor e revisor.

Modelo de fortaleza e fidelidade, São Vito recebeu a palma do martírio aos 12 anos de idade

Hoje é dia de São Vito, mártir.

Vito nasceu por volta de 290, na cidade de Mazara, na Sicília ocidental, e provinha de uma nobre família pagã. No entanto, foi educado por uma ama chamada Crescência e um professor chamado Modesto, ambos cristãos. Os ensinamentos de fé que esses tutores lhe puseram no coração foram decisivos para a opção fundamental do pequeno Vito em seguir Nosso Senhor Jesus Cristo até a morte.

O pai de Vito, Hilas, surrava o filho pra fazê-lo renunciar à sua fé, mas de nada valiam as surras. Então, quando Vito estava com 12 anos, entregou ele próprio o pequeno a Valeriano, administrador da Sicília, que mandou chicotear o menino, mas os braços do carrasco e as mãos de Valeriano secaram antes que o chicote tocasse a criança. Vito orou ao Senhor pela restauração de ambos, e eles foram curados. Amedrontado diante do poder de Cristo, Valeriano preferiu “lavar as mãos” e enviar o garoto, junto com Modesto e Crescência, a Roma.

Diante de Diocleciano, algo semelhante ocorreu: Vito curou o filho do imperador, que estava tomado de demônios. Diocleciano, ainda assim, não quis crer e se converter, e ordenou que o menino fizesse sacrifícios aos deuses pagãos. Como Vito não obedeceu, foi jogado em uma fornalha ardente, mas saiu de lá ileso. Diocleciano então mandou jogá-lo a um leão, que se amansou em sua presença. O menino então foi amarrado, junto com Modesto e Crescência, a um potro, que foi encontrado, junto com os três mártires, ilesos, rezando às margens de um rio em seus últimos instantes de vida. Naquele momento, a terra tremeu, raios desabaram sobre Roma e muitas pessoas foram esmagadas pelas imagens dos ídolos pagãos, cujos templos foram destruídos. O imperador, vendo-se vencido por uma criança, amaldiçoou a própria sorte.

O pequeno Vito, morto aos 12 anos sem renegar sua fé, constitui modelo de fortaleza e fidelidade.

São Vito, rogai por nós!

 

A vitória de São Vito

 

Depois de mil torturas e terror

por parte de Diocleciano cruel,

partiu São Vito ileso para o Céu,

sem feridas, sem máculas, sem dor.

 

No Céu foi recebido com amor,

e de mártir ganhou o seu laurel,

e na terra, humilhado foi o incréu

e hediondo carniceiro imperador,

 

que ficou se sentindo pequeninho,

ao ser vencido por um menininho.


Esse conteúdo é exclusivo para assinantes da Revista Esmeril.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Abertos

Últimos do Autor