17.4 C
São Paulo
terça-feira, 26 outubro, 2021

RESENHA丨A vida intelectual

Revista Mensal
Vitor Marcolinhttps://lletrasvirtuais.blogspot.com/
Apenas mais um dos milhares de alunos do COF. Non nobis Domine.

Com o subtítulo de “seu espírito, suas condições, seus métodos“, o livro apresenta uma síntese sobre a vida de estudos que muito diverge da ideia atual

Publicado originalmente em 1920, na França, pelo religioso (da Ordem dos Dominicanos) Antonin-Dalmace Sertillanges, A Vida Intelectual é um livro singular sob muitos aspectos. O primeiro deles é a lucidez — na acepção de visão integrada da realidade do tema, do objeto tratado — com que o autor discorre sobre os elementos fundamentais que compõem a vida de estudos; e sobre o propósito do esforço intelectual. O segundo aspecto do texto, que contrapõe a visão atual, constitui-se de uma informação quiçá assombrosa para o leitor moderno: a vida intelectual é para os vocacionados.

O leitor descobrirá (se esta resenha convencê-lo a ler o livro) que o autor, muito longe de fazer jus às possíveis acusações de preconceito, discriminação ou qualquer outra prática destoante descrita superficialmente por termos sinônimos a estes, explica a natureza objetiva da atividade intelectual. Não há preconceitos, há conceitos estabelecidos, completos e embasados na realidade. Sertillanges chama de vocacionado aquele que pretende fazer do trabalho intelectual sua vida. Este é o sujeito que dispõe de tempo integral para os estudos ou, comprometido com atividades profissionais, decide reservar para si, como um feliz complemento e uma recompensa, o profundo desenvolvimento da sua inteligência.

O intelectual não pertence, portanto, a uma classe de pessoas com qualidades — e direitos — especiais. Não. O leitor perceberá na prosa de Sertillanges o cuidado, o verdadeiro afeto com que o autor conduz o leitor à compreensão daquelas condições e métodos. No transcurso de uma leitura atenta a nobreza do objetivo do trabalho de Sertillanges revela-se: o livro é uma fundamental ajuda. Todos dotados de alma racional beneficiar-se-ão dele, porque o autor lança luz — não de forma direta, não se trata de um livro combativo — sobre as dúvidas que aprisionam o homem contemporâneo refém de uma sociedade para a qual a objetividade é um valor retrógrado, medieval, ultrapassado.

O vocacionado, isto é, aquele que fora chamado, precisa entender os princípios que regem a atividade humana voltada para a única coisa necessária. Graças ao esforço de um Padre francês dos anos 1920 (e dos tradutores Lilia Ledon da Silva, da É Realizações Editora; e Roberto Mallet, das Edições Kírion) o leitor brasileiro tem à sua disposição uma obra fundamental para o desenvolvimento objetivo da sua inteligência.

“Quem tropeça sem cair, dá um passo maior”.

A.-D. SERTILLANGES
A Vida Intelectual editada pela Kírion com a tradução de Roberto Mallet
A Vida Intelectual editada pela É Realizações com a tradução de Lilia Ledon da Silva

A.-D. Sertillanges, A vida intelectual — Seu espírito, suas condições, seus métodos. São Paulo: É Realizações, 2010. Tradução de Lilia Ledon da Silva.

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

Esmeril Editora e Cultura. Todos os direitos reservados. 2021
- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

CRÔNICA丨Perda

Afrânio era um aprendiz de tipógrafo na Corte que, depois do trabalho nas oficinas da Rua da Guarda Velha,...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img