21.9 C
São Paulo
domingo, 28 novembro, 2021

Ouro para o Brasil em Olimpíada internacional de Astronomia

Revista Mensal
Vitor Marcolinhttps://lletrasvirtuais.blogspot.com/
Apenas mais um dos milhares de alunos do COF. Non nobis Domine.

Estudantes de equipe brasileira conquistaram medalhas de ouro, prata e bronze

O primeiro grande feito de um grupo de 10 jovens estudantes brasileiros fora superar os concorrentes da Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA) que, somados, chegavam a 480 mil competidores. Assim, eles foram selecionados para representar o Brasil na 14ª edição da Olimpíada Internacional de Astronomia e Astrofísica (IOAA, sigla em inglês). Ao conquistar, cada qual, uma medalha nesta competição internacional — incluindo uma medalha de ouro –, o grupo provou o seu talento.

A competição internacional, organizada na Colômbia, ocorrera entre os dias 14 e 21 do mês corrente — estudantes de 48 países concorreram. Cada país tinha o direito de inscrever uma ou duas equipes de até cinco estudantes do Ensino Médio, o que totalizou 70 equipes competidoras. Os testes impostos aos jovens entusiastas da Astronomia foram os seguintes: uma prova teórica, uma prova de análise de dados, duas observações astronômicas e uma competição por equipes.

Estiveram à frente das equipes colideradas pelos medalhistas da IOAA João Gabriel Stefani Antunes e Bruno Piazza, os professores Eugênio Reis, do Observatório Nacional, e Júlio César Klafke, do Colégio Objetivo. Os professores brasileiros tiveram o trabalho de sugerir correções nas questões das provas, traduzi-las, corrigi-las e comparar as notas dos alunos com as da correção oficial.

Na ordem da esquerda para a direita: Ualype de Andrade, Maria Antonia del Nero, Gabriel Menezes, Eduardo Toledo, Cauan Hideki, Otávio Ferrari, Ian Takose, Gabriela Martins, Bruno Makoto e André Gonçalves (Foto: Divulgação)

O medalhista áureo fora o estudante do município de Americana, localizado no interior do Estado de São Paulo, Otávio Casagrande Ferrari. Conquistaram a medalha de prata André Andrade Gonçalves, de Imperatriz (MA); Eduardo Camargo de Toledo, do município de Campinas (SP); e Bruno Makoto Tanabe e Ian Seo Takose, ambos da capital paulista.

Com o bronze ficaram os outros cinco membros da equipe: Cauan Hideki, de Jundiaí (SP); Gabriel Hemétrio, de Belo Horizonte (MG); Gabriela Martins dos Santos, de Brusque (SC); Maria Antonia Picanço del Nero, do Rio de Janeiro, (RJ); e Ualype de Andrade Uchôa, de Fortaleza (CE).

“Os estudantes realizaram uma verdadeira maratona para chegar aonde chegaram, começando pela prova nacional da OBA, seletivas com provas online e meses de treinamento puxado. Todo esse esforço foi mais do que recompensado com todos ganhando medalhas, além da inédita medalha de ouro”.

Comemoração do professor Eugênio Reis

Com informações da Revista Galileu.

“O importante é ganhar. Tudo e sempre. Essa história de que o importante é competir não passa de pura demagogia”.

Ayrton Senna

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

CRÔNICA丨Perda

Afrânio era um aprendiz de tipógrafo na Corte que, depois do trabalho nas oficinas da Rua da Guarda Velha,...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img