19.4 C
São Paulo
quinta-feira, 28 outubro, 2021

Hoje na História: Batalha de Châlons, uma das maiores da Antiguidade

Revista Mensal
Vitor Marcolinhttps://lletrasvirtuais.blogspot.com/
Apenas mais um dos milhares de alunos do COF. Non nobis Domine.

Romanos e Visigodos uniram-se contra o inimigo em comum: Átila, o Huno

Átila (406-453), rei dos Hunos, liderara o povo que, nativo da Ásia Central, derrotara todas as coligações tribais desde a Ásia até as portas da Europa. Os últimos suspiros do Império Romano do Ocidente foram descompassados pelo temor que o nome de Átila inspirava. O conquistador planejava coroar os seus empreendimentos bélicos com o domínio definitivo dos latinos. No entanto, desencorajado pelos muros inexpugnáveis de Constantinopla, Átila voltou o seu enorme exército em direção à Gália, a atual França, em 451 d.C.

Representação de Átila de uma edição (século XIX) da Edda Poética. Fonte: domínio público

O contingente sob as ordens de Átila, segundo alguns historiadores, chegava na casa dos 300 mil. Os soldados, impregnados pelo espírito de conquista do líder, atravessaram o rio Reno e, mantendo-se sempre na direção Leste, aterrorizaram e saquearam as paróquias e dioceses da região. Para conter a fúria dos Hunos, uma estranha aliança fora celebrada: os Romanos, por meio de um acordo, obteriam a ajuda dos seus inimigos, os Visigodos, nos esforços contra o inimigo em comum.

O Império Huno sob Átila estendia-se desde as estepes asiáticas até a Europa; da Alemanha até o rio Ural, e do Mar Báltico ao Mar Negro. Fonte: domínio público

Flavius Aetius (396?-454), capitão dos soldados Romanos, e Teodorico, rei dos Visigodos, celebraram uma aliança temporária para combater Átila. As tribos bárbaras dos Visigodos invadiram e saquearam Roma em 410 d.C., no entanto, nada representava ameaça maior para os latinos (já em vias de sucumbir ao seu outono) do que o poderoso Átila. E, se é verdade que o inimigo em comum faz surgir as mais improváveis amizades, Romanos e Visigodos somaram espadas e escudos contra a grande ameaça que vinha a galope das estepes asiáticas.

O itinerário da guerra. Fonte: Por MapMaster (discussão · contribs) – Este ficheiro foi derivado de: Attila in Gaul 451CE.svg:, CC BY-SA 4.0, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=56690411

Finalmente, as forças romanas e visigóticas encontraram-se com o exército huno em Châlons, há cerca de 28 quilômetros ao Norte de Troyes, na atual França. A força, em números, do contingente aliado é desconhecida; no entanto, segundo os historiadores, era consideravelmente maior do que o número dos soldados sob o comando de Átila. Coube ao Huno deflagrar o primeiro ataque: seus melhores homens foram direcionados contra a linha de frente do exército aliado.

Encontro de Átila com o Papa Leão, 1640, escultura de Alessandro Algardi, Basílica de São Pedro, Roma

Os hunos, depois de rechaçarem a porção central dos aliados, voltaram-se contra o flanco direito do exército formado por romanos e visigodos. Átila estava a um passo da vitória, mas o flanco esquerdo do exército aliado manteve-se inexpugnável. Quando a temível cavalaria gótica lançou um contra-ataque, uma feroz batalha corpo a corpo se seguiu; os romanos ficaram aterrorizados com a carnificina: “Cadavera vero innumera“, “verdadeiramente uma quantidade incontável de corpos”, disseram os latinos.

A morte de Átila, séc. XIX. Fonte: Por Ferencz Paczka – [1], Domínio público, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=33738807

Finalmente, em face da completa desordem que se seguiu ao combate corpo a corpo, os homens de Átila recuaram para finalmente baterem em retirada. Teodorico fora morto em combate; Aetius, no entanto, não soube aproveitar sua vitória, deixando Átila livre para ameaçar novamente a Europa no ano seguinte. Em 452 os hunos voltaram, mas desta vez dirigiram-se para a península itálica. Átila, furioso, planejava destruir completamente a cidade de Roma, mas, depois de um encontro com o Papa Leão I, milagrosamente mudou seu intento, regressando às estepes asiáticas, onde morreria um ano depois.

Com informações do portal History UOL e do blog História Espetacular.

“Por onde eu passar, a grama não crescerá novamente”.

Átila, o Huno

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

CRÔNICA丨Perda

Afrânio era um aprendiz de tipógrafo na Corte que, depois do trabalho nas oficinas da Rua da Guarda Velha,...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img