Fêmur de Abelissauro, um carnívoro monstruoso, pode estar entre os restos mortais encontrados

O bloco de arenito de 700 quilos no qual os fósseis foram encontrados. foto: Paulo César Silva Macedo/Divulgação

O jornal O Estado de Minas Gerais divulgou, na manhã desta quinta-feira, 20 de maio, que trabalhadores de uma mineradora do triângulo mineiro, a cerca de 50 Km da cidade de Uberaba, encontraram um bloco de arenito calcífero contendo fósseis de dinossauros “datados entre 70 e 66 milhões de anos“. O material, cujo peso total ultrapassa os 700 quilos, foi encaminhado ao Museu de Dinossauros de Peirópolis, na zona rural de Uberaba.

A Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM), através de nota oficial divulgada nesta quinta-feira, 20 de maio, informou que o material contendo os restos mortais dos animais fora entregue por Paulo César Silva Macedo, técnico em Paleontologia de uma empresa de consultoria ambiental, ao Complexo Cultural e Científico de Peirópolis (CCCP). No centro de pesquisa, o achado foi recebido pela diretora da instituição, Stela Mariana de Morais, e pelo professor de Paleontologia da Universidade (UFTM), Thiago da Silva Marinho. Impossibilitados de darem conta do manuseio do imenso bloco de arenito, eles tiveram a determinante ajuda dos funcionários do CCCP e de Marcelo Nicolau, um morador local.

“Neste ato a comunidade de Peirópolis, como sempre, foi parceira após conseguir uma pá carregadeira para a retirada do fóssil da caminhonete e colocá-lo no laboratório de preparação de fósseis do CCCP. Sem essa ajuda da comunidade, do Marcelo Nicolau, não teríamos conseguido trasladar o grande bloco rochoso até o laboratório”.

Stela Mariana de Morais, Diretora do CCCP

A Diretora da instituição disse ainda que, “caso apresente relevância científica, [o material] torna-se objeto de pesquisa e publicação pela equipe do CCCP“.

O técnico em Paleontologia Paulo Macedo explicou que há uma expectativa por parte dos cientistas envolvidos com a análise do material fóssil de que o maior fragmento seja do fêmur de um dinossauro carnívoro de grande porte, provavelmente da família dos Abelissauros.

“O Abelissauro possuía um crânio grande e leve que poderia ultrapassar 80 centímetros de comprimento, possibilitando mover a cabeça com facilidade, isso aliado às pernas musculosas, que o transformavam em um terrível predador”.

Paulo César Silva Macedo, técnico em Paleontologia

Com informações do jornal Estado de Minas Gerais.

“Os céus declaram a glória de Deus e o firmamento anuncia a obra das suas mãos”.

Salmos XIX. 1

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

.

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar