14.4 C
São Paulo
terça-feira, 28 junho, 2022

DOSE DE FÉ | Romualdo

Revista Mensal
Leônidas Pellegrini
Leônidas Pellegrini
Professor, escritor e revisor.

Eremita e peregrino, São Romualdo, fundador da Ordem dos Camaldulenses, semeou mosteiros e eremitérios por onde passou

Hoje é dia de São Romualdo, abade.

Nascido em Ravena, na Itália, em 952, Romualdo provinha de uma família nobre, e viveu uma infância e adolescência despreocupadas. Um acontecimento em sua juventude, no entanto, mudou os rumos de sua vida. Seu pai, o Duque Sérgio, bateu-se em duelo com um parente por questões de terra, e obrigou o filho a testemunhar o fato. O jovem ficou tomado de horror ao ver seu pai matando um parente, e, jugando-se cúmplice do crime, retirou-se para o Mosteiro de Santo Apolinário por quarenta dias, durante os quais teve duas visões daquele santo mártir.

As visões de Santo Apolinário fizeram com que o jovem Romualdo ingressasse no Mosteiro, mas seu desejo por uma vida de maior austeridade e penitências fez com que ele se retirasse para o isolamento contemplativo junto com um eremita chamado Marino. Dois anos depois, rumou para a França, onde completou sua formação com o abade Guarino no Mosteiro de Cluny.

Depois desse tempo de formação, Romualdo peregrinou por mosteiros beneditinos da França e da Itália, reformando os costumes por onde passava. Além disso, construiu mais cem mosteiros da Ordem e povoou muitas regiões solitárias com eremitérios. Por esse tempo, seu pai, arrependido de sua vida mundana e de seus pecados, seguiu o exemplo do filho e retirou-se a um mosteiro, onde morreu em santidade (posteriormente, foi canonizado como São Severo).

Em 1001, Romualdo retornou ao Mosteiro de Santo Apolinário, do qual tornou-se Abade. Quando foi eleito por aclamação dos monges da casa, encontrava-se retirado em uma ermida distante. Consta que imperador Oto III foi pessoalmente comunicar-lhe o fato e, admirado com sua santidade, perdeu a noção do tempo e lá dormiu como ilustre convidado.

Em 1002, um ano após sua eleição como Abade, Romualdo renunciou ao cargo, pedindo perdão por ter “cedido à tentação do poder”. Seu ideal de vida era de fato o isolamento, a oração e a penitência. Assim, retirou-se a uma caverna no Monte Cassino, onde viveu por um tempo. Depois, fundou um novo eremitério em Sítria, na região da Úmbria, onde permaneceu por sete anos.

Em 1112, em uma de suas peregrinações, conheceu o conde de Arezzo, que, impressionado com o santo eremita, cedeu-lhe uma floresta e uma casa que possuía. A região posteriormente foi chamada de Camáldoli. Ali São Romualdo fundaria um eremitério para monges contemplativos, aos quais impôs uma regra semelhante à beneditina. Posteriormente, esses monges ficariam conhecidos como Camaldulenses.

O santo eremita não permaneceu na região por muito tempo. Estabelecida a Regra para seu discípulos, mudou-se para a região das Marcas, onde fundou mais um mosteiro em Val de Castro. Viveu ali seus últimos anos, retirado em uma cela. Faleceu em 19 de junho de 1127. Quando foi canonizado por Clemente VIII, em 1595, seu corpo ainda estava incorrupto. Modelo de monge reformador, eremita e peregrino, fundou mosteiros e eremitérios por onde passou, revelando-se um semeador de santidade.

São Romualdo, rogai por nós!

 

O semeador

 

Um jovem de vida ganha

vê seu pai assassinar

um parente, e atordoado,

resolve a Deus se entregar.

São Romualdo, semeador

a serviço do Senhor.

 

Retira-se a um monastério,

e depois à solidão,

onde como Companheiro

tem Cristo em seu coração.

São Romualdo, semeador

a serviço do Senhor.

 

Por Itália e França afora

funda mosteiros e ermidas,

e vai assim transformando

e santificando vidas.

São Romualdo, semeador

a serviço do Senhor.

 

Ao vê-lo, seu pai, contrito,

sua infame vida renega,

e seguindo seu exemplo,

a Nosso Senhor se entrega.

São Romualdo, semeador

a serviço do Senhor.

 

Um pio conde lhe entrega

uma área que lhe pertence,

e naquela região

funda a Ordem Camaldulense.

São Romualdo, semeador

a serviço do Senhor.

 

Em mais uma de suas viagens,

funda enfim mais um mosteiro,

onde finalmente dá

seu suspiro derradeiro.

São Romualdo, semeador

a serviço do Senhor.

 

Em Sua Casa o recebe

Jesus, festivo e jucundo,

que abraça o semeador

de santidade no mundo.

São Romualdo, semeador

a serviço do Senhor.


Este conteúdo é exclusivo para assinantes da Revista Esmeril. Assine e confira as matérias dessa edição e de todo nosso acervo.

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

Finados

Finados   I Dos bisos conheci o Nona e a Nono, avós do pai, bem pouco conhecidos, na verdade, em seus mundos recolhidos, alçados quase...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img