12 C
São Paulo
terça-feira, 28 junho, 2022

DOSE DE FÉ | Bernardino de Sena

Revista Mensal
Leônidas Pellegrini
Leônidas Pellegrini
Professor, escritor e revisor.

Propagador de devoção ao Santíssimo Nome de Jesus Cristo, São Bernardino de Sena converteu um sem-número de cristãos indiferentes em um tempo de declínio da Fé

Hoje é dia de São Bernardino de Sena, sacerdote.

Nascido em uma família nobre de Sena, na Itália, em 1380, Bernardino ficou órfão de mãe aos 3 anos de idade, e de pai aos 7. Sua criação foi confiada a duas tias piedosas, que alimentaram o espírito devoto do pequeno.

Bernardino formou-se na Universidade de Sena, aos 22 anos, quando revolveu renunciar à vida mundana e ingressou na Ordem Franciscana, cuja Regra abraçou com fidelidade. Na época, inclusive, foi entusiasmado apoiador de um movimento chamado Observância, que visava a um maior rigor na vida de pobreza. Devido ao seu entusiasmo e vigor, foi eleito vigário-geral de todos os conventos franciscanos que seguiam a Observância.

Desde os 35 anos de idade Frei Bernardino assumiu sua missão como pregador e a seguiu até o fim de sua vida. Seus discursos e sermões foram taquigrafados por um de seus discípulos. Suas palavras cativavam e convertiam multidões indiferentes a Deus, preocupadas com questões mesquinhas do cotidiano, em um tempo de decadência da vida espiritual na Europa.

O sucesso do santo franciscano foi tanto, aliás, que ele chegou a ser acusado de heresia por invejosos, que apontavam sua devoção ao Santíssimo Nome de Jesus como idolatria. Diante do Papa Martinho V, que o convocou para que se explicasse, Frei Bernardino, com a ajuda de um amigo, São João de Capistrano (que compareceu a Roma portando um estandarte no qual se lia o Nome de Jesus), refutou todos os seus opositores e foi inocentado. Mais que isso: o Papa, em reparação, ordenou uma procissão em honra do Santíssimo Nome de Jesus, que a partir de então também passou a figurar no alto das igrejas e no cimo dos telhados em Roma.

Conta-se que, enquanto esteve em Roma, Frei Bernardino era insultado publicamente na rua, mas procedia sempre com tranquilidade. Certa vez, após receber inúmeros insultos, recolhendo-se para estudar, respondeu: “Cada vez que entro em minha cela, todas as injúrias ficam do lado de fora; nenhum ultraje se atreve a entrar comigo, de modo que não me causam nem empecilho, nem desgosto”.  

São Bernardino de Sena morreu em 20 de maio de 1444, aos 63 anos, na vigília da Festa da Ascenção do Senhor. Foi canonizado 6 anos após sua morte. Além de ficar conhecido como o propagador de devoção ao Santíssimo Nome de Jesus Cristo, posteriormente foi declarado Padroeiro dos publicitários.

São Bernardino de Sena, rogai por nós!

 

A resposta de Frei Bernardino

 

Quando Frei Bernardino viajou

a Roma, muito insulto ele aguentou

 

calado, de incorretos religiosos,

maléficos, mesquinhos e invejosos.

 

Numa dessas, foi tanta a grosseria

que lhe disseram quando ele seguia

 

à sua reclusão, que, de repente,

respondeu-lhes assim, tranquilamente:

 

“Quando entro em minha cela, como agora,

convosco deixo o ultraje e a injúria aí fora,

 

e no Nome de Cristo confiado,

não me sinto infeliz nem magoado.

 

A todos vós saúdo, paz e bem,

o amor de Deus convosco seja, amém!”


Este conteúdo é exclusivo para assinantes da Revista Esmeril. Assine e confira as matérias dessa edição e de todo nosso acervo.

Esmeril Editora e Cultura. Todos os direitos reservados. 2022
- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

Finados

Finados   I Dos bisos conheci o Nona e a Nono, avós do pai, bem pouco conhecidos, na verdade, em seus mundos recolhidos, alçados quase...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img