Ai dos pastores que destroem e dispersam as ovelhas do meu pasto, diz o SENHOR.
Portanto assim diz o Senhor Deus de Israel, contra os pastores que apascentam o meu povo: Vós dispersastes as minhas ovelhas, e as afugentastes, e não as visitastes; eis que visitarei sobre vós a maldade das vossas ações, diz o Senhor.

Jeremias 23:1-2

Rio de Janeiro, 2018

Era 2018. Sob a onda do “inominável” Bolsonaro, Wilson Witzel, do Partido Social Cristão, farejou uma oportunidade única na candidatura a governador do Estado do Rio de Janeiro. Sob a veste de um determinado e rígido adversário da criminalidade, caiu nas graças do eleitorado e aproveitou a correnteza bolsonarista. Seus aliados também nadaram a favor da corrente, como Pastor Everaldo, da Assembleia de Deus. Everaldo tinha um objetivo a ser alcançado: uma vaga ao Senado. Não conseguiu.

Vão os anéis, ficam os dedos. Vai o Senado, fica o Governo do Estado. Everaldo, chefe do PSC, partido do governador, ganhou influências para indicar cargos na Cedae (Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro), na Saúde e no Detran. Ainda que o negue, Everaldo foi citado, em delação premiada, como suspeito de receber R$ 6 milhões para favorecer Aécio Neves (PSDB) em debates, à época em que ambos foram candidatos à Presidência, em 2014.

O problema é que Witzel tinha escudeiros políticos em sua campanha ao governo. E eles queriam as respectivas fatias de recompensa pós-eleição.

Lucas Tristão, advogado tributarista, atual secretário de Desenvolvimento Econômico e Energia e Relações Internacionais (uma espécie de supersecretário), era um deles. Depois de ajudar a arrecadar dinheiro para a campanha de Witzel, Tristão almejava a presidência da Cedae. O alvo disputado para loteamento de cargos tinha seu valor: dos 5.800 funcionários, estima-se que 1.100 sejam cargos comissionados. Além disso, o caixa da empresa pública estava abarrotado, pois apresentou rendimento altíssimo.

Entre o culto a Mamom e o tributo a César, Everaldo ganhou a queda de braço com Tristão. E as águas ficaram turvas por piranhas famintas.

No meio desse conflito político, o corpo técnico do governador começava a aparecer: um cabide de empregos e interesses individuais, ao invés de uma empresa pública voltada a atender a população carioca. Bem diferente da prometida gestão responsável e comprometida com a população…

Em 2019, os currículos técnicos dos indicados de Everaldo à empresa pública não pareciam ser satisfatórios. Laços políticos pareciam ser o melhor sinônimo para “competência técnica”. Carlos Henrique Braz, por exemplo, Diretor da Região do Interior da Cedae, era obreiro da igreja de Everaldo, a Assembleia de Deus. Braz foi citado em uma auditoria do Tribunal de Contas do Estado que aponta irregularidades na execução de um projeto de R$ 25,9 milhões. Claro que esse pormenor traduzível em milhões não impediria uma indicação…

O empresário Mario Peixoto também passou pela Cedae. Seu nome aparece em delações premiadas da Operação Lava Jato, no Rio de Janeiro. Foi um grande prestador de serviço ao governo do Estado nas administrações de Sérgio Cabral. Ademais, é ligado ao ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio, Jorge Picciani, preso na Operação Cadeia Velha, braço da Lava Jato.

Peixoto, com aval de Picciani, escalou Gustavo Schmitd como assessor da presidência da empresa, com status de diretor da Região Metropolitana. Gustavo é pai do deputado estadual homônimo do PSL. O parlamentar, apesar de tudo, nega a indicação do pai.

Na gerência Regional da Baixada Fluminense está Carlos Tadeu, escolhido por alguns deputados estaduais liderados por Léo Vieira, do PSC. Este é pré-candidato a prefeito em São João de Meriti para 2020.

Ainda temos quadros de petistas ocupando as chefias de dois distritos da Cedae. Um distrito engloba Queimados, Japeri e Paracambi. Outro distrito engloba Belford Roxo. Cargos indicados pelo Presidente da Alerj, André Ceciliano, do PT.

De todas as nomeações feitas pelo pastor e presidente do PSC, a mais esdrúxula foi a de Hélio Cabral Moreira, indicado à Presidência da Cedae. Trabalhou como diretor financeiro da companhia nos governos Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão. À época da nomeação, Moreira era réu na Justiça Federal, respondendo ao lado de outros vinte denunciados a uma ação judicial de crime ambiental e homicídio de 19 pessoas, devido ao rompimento da barragem do Fundão, em Mariana (MG), em novembro de 2015.

Moreira era um dos conselheiros administrativos da Samarco, empresa responsável pela barragem, entre 2013 e 2014, fruto de um empreendimento conjunto das maiores empresas de mineração do mundo: a brasileira Vale S.A. e a anglo-australiana BHP Billiton. O rompimento despejou aproximadamente 40 milhões de metros³ de rejeitos de minério ferro diretamente na comunidade de Bento Rodrigues, pertencente à Mariana, contaminando três rios – Gualaxo do Norte, Carmo e Doce. A acusação do Ministério Público se caracterizava por homicídio com dolo eventual – o que significa assumir o risco de matar por ter ciência dos riscos que rejeitos desencadeiam e, mesmo assim, não tomar providências para evitar o desastre. Porém, foi inocentado.

A argumentação da Assessoria de imprensa da Cedae quanto à indicação destacava que Hélio Cabral não tinha nenhuma condenação à época, e que havia passado por todos os requisitos legais para ter o nome aprovado pelo Comitê de Elegibilidade da Cedae.

Com um corpo técnico tão politizado, que reflexos se poderia esperar?

Para fechar a tampa do caixão das pretensões políticas de Tristão na Cedae, pastor Everaldo mandou um pesado recado político. Em 15 de março de 2019, seu apadrinhado Hélio Cabral demitiu 54 engenheiros de carreira da companhia. Entre os demitidos, havia pessoas ligadas ao supersecretário estadual amigo de Witzel. Trinta e nove dos funcionários demitidos eram engenheiros responsáveis pelo controle de qualidade da água distribuída pela companhia. E a maioria dos trabalhadores exercia atividades na Cedae há mais de vinte e cinco anos, além de serem vitais para projetos em andamento e seus salários, compatíveis com o plano de cargos e remunerações da empresa.

Após demissão tão robusta de um corpo técnico, a repercussão foi inevitável. Dez dias depois, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro realizou audiência pública para averiguar a justificativa técnica de um ato claramente politizado. Hélio Cabral, chamado pelos deputados, insistiu que os engenheiros foram demitidos por terem os salários mais altos da empresa. O próprio Governador carioca chegou a argumentar que os carreiristas recebiam salários de R$ 80 mil, o que foi desmentido em audiência. Estranha o pretexto de corte salarial como motor das demissões, tendo a empresa obtido, em 2018, um lucro histórico de R$ 832 milhões, quase o triplo do ano anterior.

A Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental – Seção Rio de Janeiro (Abes-RJ) afirmou:

“Medidas como essas, de redução de custos e majoração imediata de lucros nos serviços de engenharia, nos levaram a desastres como a queda das barragens de Mariana e Brumadinho. O desmonte do corpo técnico qualificado da CEDAE, incluindo a área de controle de qualidade da água, coloca em risco a saúde da população do estado do Rio de Janeiro”

Infelizmente, como veremos a seguir, a Abes-RJ proclamou uma profecia aos quatro ventos.

E o vaticínio não tardou a chegar.

Mas primeiro vieram seus sinais.

Em junho de 2019, apesar de o caixa da Cedae estar abarrotado, os serviços prestados eram os piores possíveis. O total de reclamações não solucionadas mais que quadruplicou em menos de um ano. Em junho de 2018, as queixas chegavam a 7.136. Em abril do ano seguinte, 30.783.

Consumidores insatisfeitos registravam no Procon um aumento de 12,3% na conta de água. Laranjeiras, Cosme Velho e Santa Teresa reclamavam de falta de água por três dias seguidos, apesar do prazo de 48 horas dado pela empresa. Sindicâncias da própria administração denunciam um quadro de sucateamento de unidades operacionais.

A Estação de Tratamento de Água (ETA) Guandu apresentava mais problemas. Foram identificados equipamentos obsoletos e/ou inoperantes, máquinas enferrujadas e/ou quebradas e infiltrações. Raspadores de lodo, que limpam os nove tanques decantadores, estavam quebrados há quinze anos, o trabalho sendo feito manualmente, o que gerava perda de dez por cento do volume de água produzido na estação. Não havia aparelhos de macromedição para precisar o volume de água. Dos cinco motores que bombeavam a água, dois acabavam queimados no final do processo.

Em Alegria, parte do maquinário não funcionava por falta de manutenção e modernização. Inaugurada há dez anos e considerada a maior do estado para tratamento de esgoto, só tinha um decatador em funcionamento, de cinco instalados. Apesar de atender à demanda, caso quebrasse, não haveria reserva para substituí-lo.

Quais os responsáveis por esse estado injustificável?

Em investigação, as irregularidades foram atribuídas à administração anterior, sob responsabilidade de Jorge Briard até o fim de 2018. Procurado a dar explicações, Briard não comentou as denúncias, mas lembrou que Hélio Cabral foi membro do conselho de administração e diretor financeiro e de relação com investidores da Cedae tanto durante sua gestão, quanto, por dois anos, sob a administração de Wagner Victer.

Hélio Cabral Moreira parece ter um faro maravilhoso para estar nos lugares errados e nas horas erradas. Tanto na Samarco quanto na Cedae, ele tinha ciência de todos os meandros e problemas, por fazer parte da alta cúpula das duas empresas. Entretanto, ele é a testemunha ocular dos dois desastres que viu nascer, crescer e explodir sobre as populações atingidas.

Com um currículo dessa magnitude, era esse o “corpo técnico” que o governador carioca prometeu ao eleitor em campanha? Ou realmente importava apenas o bom e velho lucro fácil, o acordão debaixo do tapete, ou a divisão rasteira do suado dinheiro do povo? Apenas uma indagação boba diante de milhões de reais em motivos.

Pausa para beber um copo d’água. Espera um pouco…Você sentiu um cheiro de… podre?

E os peixes, que estão no rio morrerão, e o rio cheirará mal; e os egípcios terão nojo de beber da água do rio.

Êxodo 7:18

Rio de Janeiro, 2020

O vaticínio se cumpre. O ano de 2020 se inicia com reclamações na região metropolitana do Rio.

Desde 03 de janeiro, moradores da Baixada Fluminense e das zonas norte e oeste da capital fazem denúncias, nas redes sociais e à imprensa, sobre o estado da água: turva, com cheiro e gosto de terra. Além de pagar por um serviço que ameaça a saúde da população, as pessoas atingidas sofreram com aumento em mais de 30% sobre o valor da água mineral, em virtude da procura por água tratada. A causa?

Segundo a Cedae, dia 7 de janeiro, amostras analisadas acusaram presença de geosmina, uma molécula volátil (organoclorado) resultante da proliferação acentuada de algas e bactérias nos mananciais. A Cedae garantia que a água continuava própria para o consumo e respondia aos parâmetros estabelecidos pelo Ministério da Saúde. Se a água respondia ao parâmetro, não havia necessidade de mudar sua forma de tratamento. A partir do dia 13, contudo, passou-se a aplicar carvão ativado pulverizado na primeira fase do processo com o propósito de reter a geosmina.

O Instituto de Microbiologia da UFRJ publicou um comunicado afirmando que mesmo a geosmina não sendo, por si só, nociva ao consumo humano, ela favorece a proliferação de micro-organismos prejudiciais à saúde. Apesar de a Cedae negar a correlação, casos de diarreia e gastroenterite e vômitos aumentaram, ou até dobraram, nos postos de saúde de Santa Cruz e Campo Grande, zona oeste do Rio, desde o início dos problemas com a água. No mesmo período de 2019, foram registrados 660 pacientes com esses sintomas. Em 2020, 1.371.

E qual Estação de tratamento trouxe os transtornos à região? Guandu, é claro. Ah, as coincidências…

Aproximadamente 8 milhões de pessoas dependem do rio Guandu para receber água. Ele acolhe afluentes altamente poluídos, como o Ipiranga, o Queimados, o Poços e o Cabuçu, os quais recebem esgoto industrial e doméstico da Baixada Fluminense. Sandra Azevedo, titular do Instituto de Biofísica Carlos Chagas Filho, da Universidade do Rio de Janeiro, afirmou a 10 de janeiro:

“Lançam toda essa sujeira no Guandu […] antes da captação da água para tratamento. Essa água precisa ser extremamente tratada para se tornar potável. […] Para onde vai a sujeira decantada pela estação de tratamento do Guandu? Rio abaixo. Isso é também desperdício”.

A crise atingiu 86 bairros da capital e seis municípios da Baixada Fluminense

Obviamente, fossa aberta traz nojo e indignação. O Ministério Público do Estado do Rio instaurou inquérito civil público para apurar o caso. Para o MP, houve uma falha na prestação do serviço de fornecimento de água, além de um prejuízo à população, obrigada a comprar água mineral para beber e cozinhar.

Em cinco de fevereiro, a Agência Reguladora de Energia e Saneamento Básico do Rio de Janeiro (Agenersa) multou a Cedae em R$ 100 mil, por não ter divulgado os relatórios sobre a concentração de geosmina coletada na Estação de Tratamento de Água Guandu desde o dia 27 de janeiro, para avaliação da qualidade da água.

Em onze de fevereiro, Hélio Cabral participou de uma audiência pública conjunta entre cinco comissões permanentes na Assembleia Legislativa do Rio. Os parlamentares procuravam receber do então ex-presidente da Cedae (demitido no dia anterior) explicações para tudo o que ocorreu. Esquivou-se de responder aos deputados. Disse que não se sentia confortável para responder as perguntas.

“Estou aqui em respeito aos senhores e a essa Casa tão importante do estado. No entanto, não me sinto confortável para responder as perguntas dos senhores e senhoras que, acredito, deverão ser feitas ao meu sucessor. Faço questão de agradecer publicamente ao governador Wilson Witzel por confiar em mim a direção dessa companhia, responsável por serviço tão importante para a saúde, qualidade, vida e dignidade de cada um dos cidadãos. Muito obrigado também a cada um dos senhores parlamentares.”

Ao ser confrontado pela revolta dos parlamentares e do público que ocupava as galerias da Casa Legislativa, simplesmente saiu. Quase como um rejeito descendo pelo sistema de tratamento de esgoto.

Fica a você uma pergunta, caro leitor carioca: qual o critério que determina o serviço essencial para sua vida cotidiana? Água potável para todos ou o lucro para um só?

Vejamos Witzel.

Em 20 de janeiro, com a crise do sistema Guandu, o governador fluminense suspeitou de um crime de sabotagem. Ora, pela leitura extensa feita até aqui, nenhum sabotador seria tão eficaz quanto a própria gestão Witzel. Além disso, Jorge Briard declarou que o ex-presidente da Cedae tinha, por integrar a cúpula da empresa, conhecimento suficiente acerca do que ocorria.

E Witzel continua: “Eu acredito, e está sendo apurado, em uma sabotagem por conta do leilão (da Cedae). Há muitos interesses envolvidos e eu pedi à Polícia que apurasse”, sentenciou o ex-juiz.

A preocupação real não era exatamente a saúde da população. Ou as pessoas atingidas pela péssima gestão do governador. Na verdade, segundo o próprio Witzel, o motivo mais premente para se investir R$ 700 milhões na Cedae em obras de manutenção é muito claro:

“O governador anunciou também que vai investir R$ 700 milhões em obras na estação de tratamento do Rio Guandu para viabilizar o leilão.”

E então lembramos que, na gestão Pezão, Hélio Cabral atuou na negociação de um empréstimo de R$ 4 bilhões, a vencer em dezembro deste ano, junto ao banco francês BNP Paribas, dando a Cedae como garantia, caso o governo fluminense não honrasse o acordo.

Para leiloar a água da população, tudo, mas tudo, pode ser usado para justificar a venda da Cedae. Duvida, leitor?

“O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), propôs nesta quarta-feira, 5 (de março de 2020), que o governo federal adiante os recursos financeiros obtidos após o leilão de concessão da Companhia Estadual de Águas e Esgotos do Rio de Janeiro (Cedae) para minimizar os efeitos da crise econômica causados pela queda do preço do barril do petróleo e da pandemia do novo coronavírus. A proposta foi feita durante a videoconferência com o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), e os demais governadores do Sudeste (João Doria, de São Paulo, Romeu Zema, de Minas Gerais, e Renato Casagrande, do Espírito Santo).”

João Dória, claro, é sempre presença confirmada em negociações dessa envergadura.

Como o leilão será aberto a potenciais investidores apenas no fianl deste ano, de acordo com o BNDES, o Rio de Janeiro pediu recursos adiantados. Em relação à justificativa de uso do dinheiro, obtido com o leilão da companhia ( para o corona vírus), se o governador carioca estivesse tão preocupado com a saúde da população, em primeiríssimo lugar daria prioridade aos danos potenciais à saúde da população que a Estação de Água do Guandu e água turva da Cedae trouxeram.

Isso sem contar a possibilidade de destinar adequadamente o lucro que a própria empresa a ser leiloada produziu. Afinal de contas, pessoas com baixa imunidade constituem um grupo de risco ao vírus pandêmico. Mas isso aparentemente não importa para o Governador que, em 18 de fevereiro, encontrava-se entusiasmado em… oferecer 60% das ações da Cedae na Bolsa de Valores em abril de 2021. Sobre a crise de abastecimento de água, Witzel respondeu com o pragmatismo de um vendedor de planos funerários:

“A companhia é velha. A Cedae é da década de 60. O último investimento que fizemos na Cedae foi em 1982 e quando assumimos o governo pedi para fazer o processo de modernização”.

E mostra o cadáver preparado para os investidores admirarem:

“É uma companhia muito complicada que estou arrumando e o mercado está vendo”.

Sobre o Ministério Público e a Defensoria Pública do Estado procurarem determinar o pagamento de uma reparação indenizatória à população, Witzel não perdeu a pose… de agente funerário:

“É justo. Todo mundo que consumiu água com cheiro, com qualidade indevida fica com desconforto. A Cedae tem que dar conta disso. Pegar 700 milhões e investir na modernização da empresa. É a melhor forma de reparação”.

Quanto mais bonita estiver a Cedae para o leilão, melhor para as partes envolvidas: Witzel e compradores.

“Mas e a população?”, você me perguntará.

Rebato a pergunta: E ela conta?

É melhor salvar uma companhia pra vendê-la e ganhar dividendos a que salvar a saúde de milhões de eleitores, não é mesmo?

Infelizmente, para Witzel, o corona vírus o impediu de apresentar a privatização da Cedae a um potencial cliente, que alegra muito seu amigo do peito, João Dória: a China.

Nada melhor para a China do que reforçar, por meio de negócios, as parcerias estratégicas convergentes pela iniciativa “One Belt, One Road” e pelo BRICS.

Mas…Vamos sorrir para as câmeras.

Lavemos o rosto com água limpa e foquemos nossa visão em reconhecer uma outra face das alianças no governo do estado.

Em 2018, uma das promessas de campanha de Wilson Witzel, o uso de câmeras de reconhecimento facial, visava facilitar a identificação de suspeitos e a solução de crimes.

Em 2019, as câmeras começaram a ser utilizadas no Rio de Janeiro durante o carnaval, em Copacabana. Foram instaladas no bairro 28 câmeras de reconhecimento, as quais enviariam as imagens capturadas ao Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), localizado em Cidade Nova. Em julho, algumas ruas do Maracanã, na Zona Norte, também receberam equipamentos de filmagem, para aumentar a segurança dos torcedores que compareceram à final da Copa América entre Brasil e Peru.

As falhas começaram a aparecer. No carnaval, uma pessoa foi abordada por engano, confundida com criminosos. E, em julho, uma mulher foi confundida com uma criminosa condenada por homicídio e ocultação de cadáver, na Avenida Nossa Senhora de Copacabana. A meliante já estava presa, apesar de sua foto ainda constar na base de dados do sistema de monitoramento. O sistema comparou as imagens da criminosa e da pessoa detida, moradora do bairro. Para o sistema acionar o alarme e ativar os policiais, ele precisa de uma estatística de reconhecimento por volta de 70% entre as imagens.

Ao se aprofundar no assunto, os problemas começam a ficar maiores. Todas as câmeras de reconhecimento ainda estão em fase de testes, ainda sem contratação ou licitação, oferecidas pelos fornecedores como uma espécie de “test-drive”. Cada câmera de reconhecimento facial custará, se houver o contrato, em torno de R$ 10.000,00 a unidade.

Quando se cruzam os dados das empresas que serão beneficiadas pelos eventuais contratos, nomes conhecidos de nosso texto voltam à baila.

Segundo matéria investigativa da Sportlight, a tecnologia utilizada no reconhecimento, a “Facewatch”, foi indicada em projeto de lei pelo deputado Vandro Família (Solidariedade). O projeto obriga locais como metrô a usar câmeras de reconhecimento facial. A empresa responsável, “Staff of Security Techonologies” chega a ser indicada na justificativa.

“Frise-se que tal tecnologia já é realidade em vários países, e está, como já dito, em fase testes no Estado Rio de Janeiro em um convênio firmado entre o serviço Disque Denúncia e a empresa britânica “Staff of Technology Solutions”, que permite que cerca de 1.100 dos suspeitos mais perigosos do Estado sejam automaticamente reconhecidos quando passarem por uma das câmeras que compõem o sistema denominado Facewatch. O reconhecimento facial se destina à segurança pública e privada. O Facewatch é utilizado há sete anos no Reino Unido, sendo homologado pelas principais entidades de segurança britânicas em mais de 30 mil câmeras espalhadas pelo país. Acrescenta-se ainda que existem câmeras de reconhecimento facial em três shoppings da capital do RJ, além de edifícios comerciais”.

Era uma bela ducha de água fria na concorrência. Mas o parecer da Comissão de Constituição e Justiça estadual foi pela inconstitucionalidade do Projeto.

Vandro Família, que foi vice-prefeito de Magé, aliado aguerrido de Witzel e autor do Projeto de Lei, foi preso por homicídio em 2012. E, em 21 de maio, a polícia civil realizou operação para cumprir mandado de busca e apreensão na residência do parlamentar, acusado de ser mandante de outro homicídio em Magé, desta vez de um inimigo político.

Em seu site, a “Facewatch” inglesa apresenta a “Staff of Security Technologies do Brasil Software ltda”, aberta em julho de 2017, como parceira comercial. E esta se apresenta, em seu site, como “subsidiária da inglesa ‘Staff Security Services Limited’”.

Segundo Sportlight, o ponto de conexão entre “Staff of Security Services” e “Staff Security Technologies do Brasil Software ltda” é Humberto Candido Bambirra, em documentos obtidos pela reportagem no equivalente à Junta Comercial do Reino Unido. Bambirra aparece, na base de dados da Receita Federal, como sócio da “Retina Monitoramento e Segurança Digital ltda”, junto com Matheus de Paiva Torres, administrador. O endereço das duas últimas empresas acima é o mesmo: um escritório na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.

Matheus de Paiva Torres é filho de Edson da Silva Torres, sócio da “Dinâmica Segurança Patrimonial” e da “Dinâmica Consultoria em Construção Civil e Incorporações”. E a partir daqui, segundo o periódico investigativo aponta, as pontas soltas se conectam.

Em um contrato de 2015, a prefeitura de São João de Meriti, município do Rio, celebra aditivo com a Dinâmica, “representada no contrato social por Edson da Silva Torres e Laércio de Almeida Pereira”. Laércio é filho do pastor Everaldo, evocado no início deste longo artigo.

Na base de dados da Receita Federal, a Dinâmica ainda tem por sócio Adão de Jesus Rabelo de Almeida, cujas participações societárias incluem uma Assembléia de Deus, igreja do Pastor Everaldo. A “Operação Cui Bono”, uma das fases da Lava Jato, apresenta Pastor Everaldo como sócio oculto da Dinâmica. Numa troca de mensagens entre o então deputado federal Eduardo Cunha e o ex-ministro Geddel Vieira de Lima, os dois falam da necessidade de dar propina ao Pastor Everaldo, utilizando para isso a “Dinâmica”, de Edson da Silva Torres.

Na 3ª Vara do Trabalho de São João de Meriti, no RTOrd-0010400-37.2014.5.01.0323, há o pedido de inclusão de Laércio de Almeida Pereira, o filho do pastor, no polo passivo da empresa para penhora que suportasse a execução no valor de causa ali exigida.

No processo 0000219-48.2012.5.01.0031, do TRT-1, Matheus de Paiva Torres, sócio no grupo de empresas interligadas ao serviço de reconhecimento facial, é apontado pela 10ª Turma do Tribunal como “laranja para ocultação do patrimônio” da Dinâmica.

Diante do quadro de lama, rejeitos e esgoto, pintados artesanalmente e filmados por câmeras de Wilson Witzel e Pastor Everaldo, ficam algumas perguntas:

Por que aquilo que nos é mais caro torna-se bem político, e não direito?

Por que aquilo que nos é mais caro não é responsabilidade de nós, indivíduos?

SORRIA, VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO!

Mas nada há encoberto que não haja de ser descoberto; nem oculto, que não haja de ser sabido.

Lucas 12:2

São Paulo, 2017

Julho de 2017. As relações de João Doria com Pequim se tornam cada vez mais amigáveis. A ponto de fazer um “tour” entre as quatro maiores empresas da China, sempre fazendo pedidos e se mostrando aberto a negócios. O resultado foi satisfatório: 4 mil equipamentos, sendo mil de cada fabricante visitado pelo então prefeito de São Paulo: Hikvision, Dahua, ZTE e Huawey, esta última sendo empresa envolvida em graves acusações de espionagem internacional com seu equipamento e o governo chinês.

Doria fazia, empresa a empresa, o merchandising de sua proposta de PPPs (Parcerias Público-Privadas) no setor de segurança aos arregalados olhos do governo chinês –as empresas visitadas são controladas pelo governo de Pequim.

Além disso, visitou bancos, fundos de investimentos e agências de desenvolvimento. Não houve doações, mas interesse em abrir linha de crédito para todas as propostas de seu Plano Municipal de Desestatização, que incluía a concessão do Pacaembu, a venda do Anhembi e do Autódromo de Interlagos, além da concessão do sistema de bilhetagens do bilhete único. Recebeu dois drones para monitoramento diário de ruas e 200 rádios comunicadores a ser utilizados pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Fora quatro carros elétricos. O montante dos “presentes” rendeu uma bagatela de, pelo menos, oito milhões e meio de reais.

E Doria voltou pra casa, esperando que a boa propaganda com esse parceiro tão exótico rendesse frutos no futuro.

Um futuro que não tardou nem dois anos para chegar.

Logo após as eleições de 2018, em 03 de novembro, João Dória, agora governador paulista, na sua imagem de “o cara da contabilidade”, reúne-se com Wilson Witzel (surpreso, leitor?), para discutir algumas pautas que considerava importantes. Juntos, determinaram algumas ações. Dória fez o marketing…

“Construímos, aqui, uma pauta pro Rio de Janeiro, uma pra São Paulo, uma pauta de integração entre os dois Estados, mais importantes economicamente do país, e uma pauta para o Brasil.

Witzel, como sempre, muito direto, não consegue esconder onde será um dos focos de atuação dos planos dos dois governadores…

“Nós temos que unir a pauta do Turismo, da Infraestrutura, o Brasil precisa de infraestrutura, de logística, precisa de trem(…). A nossa pauta da segurança, vamos falar a mesma língua.”

Falou em infraestrutura brasileira, falou em… China?

Em agosto de 2019, São Paulo faz uma delegação especial chamada “Missão China”.

“A Missão China é a quarta missão empresarial de São Paulo no mercado externo e a maior de todas”. A missão era composta pelo Governador João Doria, a Secretária de Desenvolvimento Econômico, o Presidente da InvestSP, e mais quatro secretários de Estados (Agricultura e Abastecimento, Fazenda e Planejamento, Transportes Metropolitanos e Relações Internacionais). O objetivo era levar a investidores e empresas chinesas oportunidades de investimentos em São Paulo.

No balanço da missão, foi assinado um protocolo de intenções entre o Governo de São Paulo e a estatal chinesa China Railway Construction Corporation (CRCC). O interesse está nas disputas licitatórias do Trem Intercidades, Linha 6-Laranja, do Metrô da capital, e despoluição do Rio Pinheiros.

As negociações continuaram em novembro. Doria fez apresentações dos projetos de concessão à diretores da CERC (China Railway Internation Group) e da CRCC (China Railway Construction Corporation), todas sob controle de Pequim. O governador paulista pretendia ampliar fortemente o investimento chinês nos programas de infraestrutura em São Paulo a partir de 2020. E apontou:

“A nossa pauta envolve rodovias, ferrovias, metrô, hidrovias, saneamento (??), entre outras áreas de atuação que o governo do Estado de São Paulo vai desestatizar.”

Mas o surpreendente é como Doria consegue, maravilhosamente, especular descaradamente com os recursos hídricos de milhões de pessoas.

No mês de dezembro de 2019, no Congresso Nacional, tramitava o marco do saneamento básico, que permite exploração do serviço pela iniciativa privada. O projeto proibia a celebração de contratos de programa, ou seja, contratos sem concorrência, fechados diretamente entre os titulares dos serviços e as concessionárias, modalidade esta usada na prestação de serviços pelas companhias estaduais de saneamento.

A 13 de janeiro de 2020, um periódico de investimentos mencionou um evento um tanto… inusitado, por sinal conectado ao marco proposto no Congresso:

“A Sabesp (SBSP3) está na mira de um dos maiores grupos que atuam na área de infraestrutura em nível global, o China Railway Construction Corporation.

(…)

“O acionista majoritário é o governo do Estado de São Paulo, detentor de 50,3% das ações, atualmente avalia ser irá se desfazer completamente de sua participação ou disponibilizará metade de sua fatia a novos investidores”.

(…)

“Segundo uma matéria divulgada pelo jornal O Estado de São Paulo, o grupo chinês estaria muito interessado em negócios ligados ao saneamento (??), ao setor de construção civil e ao transporte de cargas por ferrovias, demonstrando verdadeira disposição em elevar os aportes no país”.

Nesse dia, as ações ordinárias da Sabesp (SBSP3) avançaram 4,35%, fechando na cotação de R$ 59,91 a unidade.

Mas daqui pra frente a coisa fica interessante.

“Em uma análise a clientes, o Credit Suisse afirmou que uma possível parceria ou aquisição de uma participação na Sabesp poderia representar um ‘grande passo no processo de privatização/reestruturação de seu capital. Contudo, uma eventual privatização ainda depende da aprovação do novo Marco Regulatório dos Serviços de Saneamento Básico (PL 4.162/2019), que permite a venda de empresas estatais com a manutenção de seus contratos, dispensando a necessidade de consulta dos titulares das concessões”.

Nesse cenário de possibilidades, Dória se adiantou.

Em 2020, 28 de janeiro, num evento promovido pelo mesmo banco Credit Suisse, o governador de São Paulo defendeu a privatização da companhia de água de São Paulo, caso o novo marco regulatório do saneamento fosse aprovado no Congresso. Note que a Sabesp já tem ações em bolsa, proposta defendida recentemente por Witzel em relação a Cedae.

“Se for aprovado o marco regulatório São Paulo, sim, vai estudar a concessão da Sabesp. Se houver uma situação contrária, capitalização será feita. Isso já está decidido”.

E reforçou.

“Já definimos que a nossa posição como governo, é um governo privatizante, desestatizante, pró-privado e menos governo. Portanto, a Sabesp, mesmo sendo uma empresa bem administrada, que produz resultados, ela poderá, sim, ser privatizada se o marco regulatório permitir”.

Alguém lembrou Witzel nessas falas de Doria?

Como bom especulador, o governador paulista admitiu que as declarações têm potencial de influenciar o preço das ações da empresa.

“Ela é cotada em bolsa e o que o acionista majoritário fala reflete nas ações da companhia, mas todos sabem qual é a nossa posição, é pró-mercado e não pró-público”.

Após a fala de Dória, as ações da Sabesp ampliaram a alta na B3 e, por volta das 17 horas, eram cotadas a R$ 64,4, com alta de 4,5%. Um bom aumento desde o dia 13.

Mas o que uma estatal chinesa de trem tem a ver com a companhia de água da Sabesp?

Uma matéria da E-International Relations publicada em 29 de março de 2019, ao falar sobre a China Railway Construction Corporation, explica de forma límpida a estratégia chinesa atráves do conceito “Railroad Economic Belt (REB).”

O setor ferroviário é uma locomotiva que lidera os esforços da China na construção da iniciativa One Belt, One Road (OBOR), pois aprimora a conectividade a aprofunda a infiltração do OBOR através da construção e exportação de trilhos chineses. Atrás disso se encontra, atrás dessa estratégia, um onipresente Estado-Partido com um compromisso de manter um controle constante sobre o setor ferroviário em apoio aos seus interesses internacionais.

Em relação à ordem internacional, a China funciona de forma complexa. No domínio da governança financeira e da ajuda externa ao desenvolvimento, a socialização das normas internacionais tem sido uma constante nas posturas internacionais chinesas. A política econômica é uma prática através da qual os meios não econômicos são alcançados por meios econômicos.

A China tem um mercado estruturado, com empresas estatais coordenadoras de planejamentos estratégicos em infraestrutura. Através das subsidiárias criadas a partir das estatais, forma-se um complexo empresarial e de mercado, provedor de material necessário a seus projetos. Os preços são controlados dessa forma, garantindo um atrativo a potenciais clientes.

Por outra via, a China faz oferta de crédito aos países clientes, infiltrando-se na economia deles através da dependência creditícia, em aquisições nas privatizações, ou em parcerias, sejam estas público-privadas, em regiões menores, ou em acordos com países parceiros estratégicos, como o BRICS, por exemplo. Como o governo de Pequim tem uma estrutura de mercado, oferecido através de suas subsidiárias, é naturalmente compreensível a China Railway Construction Corporation, inclusive, comprar companhias brasileiras.

A maldade está em que, nas negociações dos estados com os chineses, não é uma empresa a comprar setores energéticos brasileiros. É o próprio governo chinês, travestido de um enorme dragão empresarial.

Porque o amor ao dinheiro é a raiz de toda a espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé, e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.

1 Timóteo 6:10
fim
Revista Esmeril - 2020 - Todos os Direitos Reservados

13 Comments

  1. Texto pesadelescamente bem escrito!!!
    O que foi abordado é um compilado de modus operandis da maldade visceral, do demonismo atávico!!
    Como tenho um apreço incrível pelas obras de Edgar Allan Poe, Lovecraft, Philip K. Dick, e outros “distópicos”, vou colocar lenha na fogueira! 😀
    Em primeiro lugar é FUNDAMENTAL entendermos que várias máfias governamentais são sediadas lá no RJ! A máfia, em minha opinião a mais periculosa, das patentes (INPI) é sediada lá mesmo que a lei estabeleça que a sede da autarquia é no DF, e os resultados disso são COMPLETAMENTE escondidos, pois é um assunto díficl para a maioria, assim, acontece o MAIOR de todos os roubos de divisa do Brasil, o roubo da propriedade intelectual! Só para entenderem INPI quer dizer instituto nacional da propriedade INDUSTRIAL e não INTELECTUAL, ou seja, é braço de roubo das indústrias e não autarquia visando a proteção do real desenvolvedor, o INVENTOR! A petrobrás é a mesma coisa, BNDES idém, e tem mais, muito mais…
    Mas não é esse meu foco, meu foco é controle, controle das massas.
    Essa agenda de reconhecimento fácil é criminal, pois uma pessoa sadia não aceita ser presa (aceitar ser preso é admitir que pertence a outro que não nós mesmos) e nesse caso é um esquema para matar os sadios, pois segundo o alto de resistencia, se uma pessoa se recusa a ser presa ela é executada sumariamente sem direito de nada além dos tiros dos policiais! Ééééé´, pessoal, o povo deveria estudar mais o código penal para não falar besteira de que não existe pena de morte no Brasil, existe sim, e é sem julgamento, sem direito algum, é execussão sumária, os militares pelo menos Têm pena capital mas com corte marcial e o civil tem de forma arbitrária!
    Mas existem outras implicações, e essas são impostas e aceitas aos longos dos últimos 100 anos!
    Por exemplo, o eletroencefalograma e o eletrocardiograma são agendas bem antigas e ambas garantem poder desusado para os detentores delas! Vamos aos fatos.
    A básica regra da teoria de ondas é simples, TUDO RESSONA!
    Entendido isso, vamos as questões ressonantes. Um eletrocardiograma é a captura dos sinais eletromagnéticos (não existe eletricidade sem magnetismo, um é a outra face do outro) do coração, são detectados através de sensores (mini imãs com solenóides, induzidos, enrolado neles, extamente o mesmo sistema usado nos microfones, por exemplo), esses induzidos são sensibilizados pelas cargas eletromagnéticas do coração e transmitem para um gráfico que é sensibilizado em sua “caneta” da mesma forma, tudo igual ao sistema de captação e emissão de sons, nesse ponto o induzido em vez de transmitir o sinal recebido do imã, faz como o autofalante, ele sensibiliza o imã com o sinal recebido pelo sensor na pele e esse tem uma resposta mecãnica oscilatória fazendo a aste da caneta vibrar gerando os gráficos.
    Assim, o aparelho detecta e imprime os resultados das oscilações eletromagnéticas do coração, e dessa forma o leitor desse gráfico tem inclusive como matar o usuário de eletrocardiograma! Emitir uma onda de encontro a outra onda IDENTICA e em fase (fase é quando as cristas e depressões acontecem concomitantes em ambas as ondas) faz com que ambas as ondas se ANULEM, ou seja, o coração para! Se emitirmos uma onda idêntica mas fora de fase, ela apenas gera um “ruido”, uma interferência, uma deformação e isso pode ser transcrito como fibrilação, taquicardia, síncope e toda sorte de bombeamento irregular e deletério, por conseguinte o resultado não será muito diferente do citado acima, a morte será fato, ainda que tardia!
    Já no eletroencefalograma a coisa é mais ampla, os espectros eletromagnéticos são supinamente mais amplos, e os resultados diversos! Existem ondas alfas (se não me falha a memória são de 7 a 15 hertz), tetas, betas e gamas, e cada uma responde pelo padrão cerebral de excitação, alerta, vigília, meditativo, dormindo, entorpecido, etc. E nem preciso dizer que induzir esse padrões para os cérebros gerará neles as mesmas características das ondas emitidas! Armas psicotrônicas são armas terminais, não matam só, como bombas e projéteis, elas CONTROLAM acima de tudo, na guerra do Glfo foram usadas e fizeram os soldados iraqueanos se entregarem para reporteres com fobias desconexas! Manipular a psique é supinamente fácil e dar controle de nossa psique é o que há de pior para fazermos!
    Agora vamos falar de biometria, essa sim é a mais sinistra! Se observarmos os fios de um scanner de mão veremos que os fios são relativamente grossos em alguns e mais finos em outros. E isso quer dizer o seguinte: Quanto mais grosso, maior a energia, seja tensão ou amperágem, e mais penetrante é. Esses eleitorais têm um fio bem grosso, logo eles não fazem leitura ótica e se colocarmos um papel com nossa impressão digital para ele ler, ele não lerá NADA, ou seja, é MENTIRA, scanners de reconhecimento datilográfico é MENTIRA, eles leem algo muito mais profundo e amplo!
    Embaixo de nossas epidermes temos as dermes mais profundas e micro vasos capilares, e esses têm dados não só do coração, mas sobretudo da química corporal (estudem sobre spectrometros de massa e outras leitores radioativos), ou seja, é possível detectar no corolário de informação ROUBADA do ser via scanner biométrico quase TUDO de nós, até genoma é possível embora NINGUÉM vá contar isso a vcs!
    E quem tem o poder sobre esses dados pode nos desligar ou ligar para propósitos DELES na hora que quiserem!
    O TSE de forma criminal entregou TODOS os dados cadastrais de todos os cidadãos para a angloempresa Expérian Serasa nos governos petistas (mas foi o fhc que implantou essa agenda biométrica) por conta da prevaricação visceral daquela fossa de toga! E o mais espantoso foi que quando foi vasado eles negaram, disseram que já haviam pedido a devolução dos dados (sic), e só um retardado mental acredita que um dado transmitido volta! Isso é como aquele ditado: “palavras jogadas ao vento não voltam mais”!
    E agora estão com a assinatura biométrica de 90% de toda a população! Com o poder de matar qualquer um em um simples disque M para matar! E não só matar, mas pior, habilitados a controlar remotamente cada cidadão! Vocês acham que isso vai acabar aonde?

    Continua

  2. Só para entenderem melhor, hoje a massa aceita que buraco fecal é órgão sexual e só retardado mental doentaço acredita que isso procede! Agora todos estão trancafiados em suas residências com debeis mentais, acreditando na mais idiota agenda possível: fugindo de gripe! As pessoas não estudam, não sabem sequer que a tal famigerada gripe espanhola só atacava os convalescentes e os morimbundos de guerra, aliás, foi nas trincheiras que ela se fortaleceu. A primeira guerra era entrincheirada na raiz e em terrenos bastante insalubres, sem higiene alguma e com o maior agente adoecedor, o MEDO! É evidente que a gripe se expandiu entre os mais fracos!
    Só que hoje a situação é absurdamente diferente e mesmo assim a massa está aceitando? O celular emite radiações com poder de penetração insano e colado em nosso cérebros, vcs acham que essas emissões são para comunicação? NUNCA FOI, basta estudar um pouco de dinâmica de radiotransmissões para entendermos isso! O 5g, os vermes dominantes afirmam o seguinte: é preciso antenas bem perto umas das outras porque o sinal não vai longe, SENDO QUE TODO O SISTEMA 5G É USANDO SATÉLITES! PQP! Qualquer satélite está há mais de 100 mil pés (30 km), e as transmissões 5g são via satélite! É evidente que antenas juntas são para manipulação e controle das massas!
    E pela dinâmica da sociedade ouso afirmar que essas emissões “smartphonicas” estão é fazendo a massa obedecer algo de fora de nossos corpos, vide a aceitação tácita de uma agenda de sequestro hipocondríaco!

    Pessoal, minha sugestão é da editora dessa revista onde escrevo, ESTUDEM, pois a maior arma do inimigo é a ignorãncia, com ela os dominantes propõe as mais escatológicas agendas e o povo aceita! E pelo o que entendi, conosco só temos o Bolsonaro, o resto quer é controle de massa de forma total! O problema do 5g não é porque é chines, é PORQUE É onda eletromagnética de alta penetração!!!
    Microndas, que trabalha inclusive em 2.45 gigahertz, que é o comprimento de onda da agitação molecualr da água, a lá forno de micro ondas, ou seja, se os governos resolverem cozer todos todos serão cozidos! Essa é a real razão do tanto de antenas e não papo de sombra como eles dizem! E mais, com o 5g se garante a varredura do ambiente, ou seja, um LED (lampadas atuais, pois proibiram as de filamento que são ilegíveis… deve ser coincidência) pode ser usado pelo 5g para scannear todo e qualquer ambiente!

    Resumindo a bagaceira, enquanto estamos focados em proibições menores, estão sendo emplacadas as dominações maiores, de scanners corporais a scanners gerais e nessa bagaça o reconheciemto facial servirá apenas para plotar os que se recusam a essa agenda, eu por exemplo! TODO MUNDO JÁ ESTÁ COMPLETAMENTE DOMINADO!
    Os crimes e abusos pontuais de lixos venais travestidos de gerentes governamentais serve apenas como cortina de fumaça! Enquanto nos indignamos com barreiras físicas e leis criminais, estamos sendo cercados como gado em um imenso curral, à beira do matadouro!
    Entendam que no início do sec XX foi alardeado o estrago intelectual que as ondas de rádio produziam, o QI naqueles tempos DESPENCOU! E nada foi feito, pois o lobbie das “comunicações”, militar e industrial foi forte, EXATAMENTE DA MESMA FORMA QUE É HOJE! A primeira guerra disseminou a radio comunicação, destruiu os impérios, emplacou a blindagem financeira (consumada anos depois já pós segunda guerra em bretonwood), e nada disso é benéfico para o ser humano, mas é supinamente benéfica para um organismo egregórico criado pelo ser humano, a SOCIEDADE, só que para a sociedade, nós somos como células, e da mesma forma que não ligamos para o desconforto ou morte de nossas células (sem abordar a questão de destruição corporal, porque se não a coisa degringola totalmente), o mesmo acontece com a sociedade, para ela, somos números apenas, e se precisar matar quantos for preciso, o fará, pois para a sociedade, viva é ELA, nós somos meros agentes metabólicos! exatamente como coloquei acima a citação atribuida a Eliphas Levi e muitos outros: O QUE É EM CIMA, É EMBAIXO! Afinal, “não há nada de novo embaixo do Sol, o que foi é o que há de ser, o que se fez, isso se tornará a fazer”!

    Peço mais uma vez que leiam o que escrevo despidos de preconceitos e medidas pessoais, pois o que falo não é o que status quo divulga, é o que eles preferem ocultar! Por isso a educação é sabotada há mais de 100 anos!

    Agradeço a atenção e espaço cedido.
    Obrigado

      • Caro anônimo, se vc ainda não entendeu que chegou em uma posição onde não há retorno, e para frente só há duas opções, ou nos libertamos do jugo do estado totalitário ou deixaremos de existir dentro da acepção conhecida do que é existir!
        É medonha essa ruptura de sonhos, mas esse corte epistemológico já se configurava há muito, e se não agimos antes, agora a coisa é supinamente mais séria, e pode apostar não vai ser no diálogo, será em guerra!

        E aí? Já se levantou e foi pegar o coturno para calçar? 😀

    • Coturno para que? Machucar meus iguais? Você me capturou em seu texto no entendimento da sociedade como um ser, teoricamente nos que damos direção na construção desse ser. Mas não vejo opções para o ser humano médio nesse cenário, minha solução temporária é viver , pregar o bem e não se procriar. Além disso, acredito que apesar de compartilhamos algumas crenças, se tratando de rumos políticos, é capaz de sermos até mesmo antagonistas, que futuro que poderíamos construir dessa forma?

      • “que futuro que poderíamos construir dessa forma?”
        EXATAMENTE, entendeu a charada! Tem que ser na guerra, já cruzamos a muito o ponto de não retorno!
        Esse papo de não querer machucar os “semelhantes” é exatamente o que nos levou à degeneração que estamos mergulhados! O semelhante que nos machuca, nos ROUBA e nos sequestra merece é bala, e aí, se não gosta, posso te sugerir colocar um desses semelhantes em sua casa, da mesma forma que os europeus entenderam seus semelhantes africanos super legais e aí, só dá mulher estuprada e o estado dizendo que não pode punir porque o lixo estuprador é de outra cultura! Isso é tão demente quanto dizer que: em roma faça como os cartagineses!
        Tua solução temporária já a tem, faça da melhor forma para que assim permaneça!

        Semelhante que não presta é melhor morto! Mas se acha que eles não merecem a coturnada continue tentando construir com o estado inchado te roubando sistematicamente de forma imposta!
        Com certeza não comunhamos com nenhuma proposta, embora eu apoie sua ideia antiprocriativa!
        Mas é isso, continue com sua solução temporária, e tente não perdê-la fazendo o bem sem olhar a quem! 😀

        • Caro César, compartilho dos seus medos, mas não posso compactuar com suas soluções, acho extremamente triste que vc defina um problema como proveniente de um povo tão plural. O ser humano é um animal, as vezes bom, as vezes mal, mas o que eu considero como grande inimigo é o mal estrutural, a parte má do ser humano que criou raizes nessa sociedade, assim como um câncer nesse grande organismo.

          • Caro Anônimo, eu não falei de medo nenhum!
            Estou falando de degeneração sistêmica que assola a humanidade!
            Até é amedrontante esse sarau de abjetice que se tornou a humanidade, entretanto, bem maior que o medo é o estupor, pois ver seres acéfalos presunçosos de que são intelectualizados marchando para o matadouro é espantoso!

            Mas vamos às suas colocações.
            Esse povo “plural” é incrivelmente homogênio, absolutamente replicante, todos fazem as mesmas asneiras, todos têm a disposição as mesmas imundícies televisivas, e todos, invariavelmente, assistem essas lixeiras.
            Todos são como zumbis com suas caras enfiadas em smartphones, todos são igualmente idiotas para acharem que gripe é um perigo.
            Todos são IRRESPONSÁVEIS para entregarem suas saúdes nas patas de médicos, planos de saúde e farmáfias.
            Todos são igualmente INCOMPETENTES para clamarem por aposentadoria pagando ciosamente um “plano de capitalização” que como todo bom plano de capitalização só beneficiam o bolador da armação! E, claro, só quer se aposentar o parasita e incompetente, pois se fazemos o que gostamos, NUNCA IREMOS APOSENTAR! E mais, se alguém trabalha no que não gosta, faz mal feito, e dessa forma não deveria ter aposentadoria, deveria ter sido demitido de tapa! E mais, se observar os únicos beneficiados pela agenda aposentante, são os parasitíssimos funcionários públicos, aqueles que recebem parte do butim que é surrupiado de nós, ou seja, esses “nobres” seres são RECEPTADORES DE FURTO, alias, receptadores de roubo, seuqestro, extorção, chantagem, etc. e todos sabemos que o estado só funciona para roubar, violar, estuprar, sequestrar, escravizar, adoecer e matar o cidadão, mas mesmo assim são os funcionários públicos os ÚNICOS que garantem o descontrole da previdência, sobretudo o legislativo e judiciário exponenciam esse estrago!
            E claro, todos estão em casa com medo de um afeminado dandi tirando onda de tiranete.
            Não vamos também esquecer que todos aceitaram ter suas armas sequestradas, seus direitos de defesa sequestrados!
            Com otdo esse corolário “nobre”, ainda assim entende esse mundo plural?
            Perceba que no momento que abrimos mão de nossa integridade para sustentar médicos estamos assinando que somos debeis mentais, pois qualquer pessoa sadia sabe que o ÚNICO totalmente interessado na integridade dela é ELA PRÓPRIA, logo, só debil mesmo para achar que o médico vai cuidar dela melhor que ela! O mesmo se aplica à questão de segurança, só nós estamos conosco sempre, logo, só nós podemos nos proteger e mais ninguém, e mesmo assim a massa aceita sustentar jagunço psicopata (estude sobre perfil psicológico de quem segue careira policial para entender que tipo de gente te “protege”) que só é bom para atacar mulheres em caminhada na praia, ou fazendo qualquer esporte!
            Como mostro, sem me adentra em searas mais compléxas e subreptícias mostro claramente que existe uma discrepância “ótica” e interpretativa no que vc enxerga e no que eu enxergo como humanidade!
            O mal e o bem são relativos a alguém, a algum lugar, a alguma situação e circunstância, etc., evito adentrar tal seara, pois nela o abjeto acaba sendo visto como gente boa!
            A parte estrutural não tem como ter culpa, pois ela é apenas RESULTADO, consequencia, e não causa!
            A única e ABSOLUTA causa da desgraça humana é a estupidez, aquela que garante que deleguemos nossas responsabilidades para os outros e fiquemos esperando que os outros façam por nós em vez de fazerem para eles próprios!
            Pense sobre isso, mas sem entrar na esfera pessoal e entenderá o que afirmo!

            • Sei lá em César , minha avó acabou de remover um abscesso no fígado, que jamais faria sozinha, e ainda por cima, segundo vc ela é uma parasita por receber aposentaria . Ou eu estou em fase avançada dessa doença zumbi, ou vc está febril e alucinado. Mais medo do que desse sistema corrupto, tenho do caso de o senhor ter poder. Sinto muito, mas acho que nossa conversa não levará a mais nada, adeus.

            • Caros, o que coloco, sempre, busca extrapolar o pessoal, o individual, o idiossincrático, pois esses sempre serão e são a panorâmica do umbigo!
              E, bem sabemos, nosso umbigo não é a medida do todo, é apenas a medida de nós mesmos. Esse é o argumento comunista, e vou mostrar.
              Na proposta seminal do comunismo se invoca a injustiça social e a desigualdade como gatilhos da legitimidade da revolução proletária.
              E aí, a medida de cada umbigo ganhou o status de umbigo de todos!
              Quando somos medíocres, sempre, invariavelmente, entendemos que as nossas faltas são os excessos dos outros, entendemos que o nosso patrão é igual a nós e ganha mais, e dessa forma é inferior, pois está sendo injusto e isso na balança do medíocre pesa na balança (do umbigo dele)!
              Nesse momento, quando o medíocre invoca sua igualdade, ele também cobra que todos tenham sua medida como a deles, ele é a medida do certo, e algo fora da curva sempre será uma ameaça a ele, pois não tem as mesmas medidas de seu umbigo!
              É essa “lógica” que garante que todo jovem tem que passar de ano independente de sua estupidez, todo doente deve ser tratado como igual e até superior, com mais privilégios, e são esses que estabelecem leis que dizem que TODOS terão que sustentar a mediocridade, a doença, a degeneração!
              Nesse ponto temos aberta a possibilidade de quarentena histérica, pois TODOS estarão sustentando os poucos (agentes, funcionários públicos) que medíocres estabeleceram as medidas de seus umbigos como medida de todos!
              Para um funcionário público é banal ficar de quarentena em casa, vai receber através do butim perpetrado no lombo do povo, mas o povo não tem como ficar quarentenado, pois precisa gerar seus proventos e OS PROVENTOS DOS AGENTES DO ESTADO!

              Nesse ponto, a distopia criminal, venal, dolosa, abjeta já está sistêmica, o próprio povo já está completamente, venalmente medíocre, já entende que suas responsabilidades são dos outros e dessa forma, da forma mais doida irão depositar seus destinos nas mãos de um presidente que como capitão do navio, depende do funcionamento azeitado de toda a máquina para garantir sua condução ao porto seguro!

              Enquanto as pessoas acharem que as situações de duas vidas e dos seus é culpa do destino funesto, elas não entenderão que todo o revés que nos acontece é em função de nossas funestas decisões e escolhas ao longo da vida.
              Um corpo só degenera se faz errado, se faz certo, se preserva, rende de forma ótima e atende a todas as espectativas fisiológicas e biológicas. Já o desatino na conduta de nosso ser nos gera toda sorte de desgraça, e pior, como já estaremos degenerados não entenderemos que a cura SEMPRE está dentro de nós e nunca no diploma de alguém que depende da doença alheia para receber seus proventos!
              Não cabe aos outros limparem nossos erros, as pessoas não percebem, mas médicos fazem o papel de lixeiros de corpos que se deixaram apodrecer! Não é diferente de limpesa de pele, quando uma pessoa fica se imiscuindo com assebosidades faciais dos “papa tranqueiras”!
              A única forma de nos limparmos é de dentro para fora e de fora para dentro ao mesmo tempo. NÃO EXISTEM DOENÇAS, EXISTEM DOENTES!
              Microorganismos estão em todo canto, vírus sequer é ser vivo, é apenas uma espécie de chip não sintético, uma gaiola cristalina com “proteína codificada” (RNA) dentro, esse troço só pode ser aberto por diferença de potencial, ou seja, o que faz esse troço abrir e liberar as novas ordens para a célula é uma questão de polaridade, de equilíbrio ácido alcalino! Se um corpo está saudável, esse troço nada faz, talvez ache até uma célula meio porcalhona, comedora de tranqueira e com ela se arranja até ser expulso, mas se todas estão entranqueiradas, aí, a “doença” se instala. Ou seja, tudo o que é ziquizira está naturalemente em todo canto, mas só tem “affair” com essas patogenias são os seres patógenos eles próprios, aqueles que fazem de tudo para se desgraçar, usam da gula, da ansiedade, da fragilidade, da carência, da fome, etc. para justificarem suas atitudes injustificáveis sob a ótica do bom senso!
              Portanto, não culpemos os vírus, os micróbios, os remédios, os abcessos, os cânceres, ou qualquer outra “doença” por nossa única doença, a estupidez, a presunção que nos leva a crer que nossos mimos são mais importantes do que nossas necessidades fisiológicas!
              “Mens sana in corpore sano” é o axioma básico de uma existência sadia, plena e acima de tudo, INTELIGENTE!
              Mais uma vez agradeço a atenção e ao espaço cedido.

  3. Apesar de já ter com muito esforço lido 2 (DOIS) entenderam, 2 livros do “escritor” Paulo Coelho,
    caro Cesar vc. o superou nas abobrinhas nem sei o que fazer com vc. seja coerente, literalmente
    vc, fumou alguma coisa estragada, vc. prestou atenção se não estava mofada?
    Seja mais cuidadoso com o que usa.

    • Quem tem nome de Paulo é vc, e pelo que percebo o tal coelho mexeu contigo, e te ensinou a escrever com a mesma proficiência!

      O que fazer comigo?? O que é isso, está apaixonado, quer cuidar de mim, eu não entendi, se alguém ou alguma coisa me incomoda, eu sequer me aproximo dela, que dirá me dirigir a essa pessoa “tão louca e enfumaçada” na minha opinião!

      E eu é que sou enfumaçado?

      Gostaria que em vez de me adjetivar e concluir no setup ad hominem, descrevesse onde falo as ditas abobrinhas, ou será que seu potencial não consegue decupar um texto?

      O mais incrível é a valentia do “debacledor” virtual, não preciso ser gênio para saber que em debate in loco, a dinâmica comportamental do debacledor é aquela: ri amarelo, entre dentes e babando inveja, e claro fica balbuciando baixinho sua indignação com medo de seu ouvido pelo dominante, pois sabe que não é pareo nem no debate e menos ainda na pancadaria!

      Minha sugestão: assista os vídeos da Bruna, editora da Esmeril, ela é sempre muito didatica quando o assunto é pensar, ela dá ótimas dicas de métodos de debate e de raciocínio, e mais, me parece que não gosta de boçais se manifestando sem concatenação causa e efeito de suas “arjumentações”!
      Daí, chegamos ao ponto fulcral, a necessidade de vc imediatamente fazer a assinatura da revista Esmeril, com isso, poderá estudar e se fortalecer de forma que na próxima manifestação exponha suas razões em vez de seu pueril achismo!

      E o melhor de tudo, não irá expor seu nome inteiro cheio de orgulho falando um amontoado de besteiras, isso depõe contra vc!

      É isso, se quiser debater, tamos aqui, sempre lembrando que tem que concatenar suas razões com causa e efeito, mas se quiser o debacle, sugiro que procure o coelhão, pois o Paulo Coelho está mais capacitado e de braços abertos para leitor de seu quilate, que late!

      MENS SANA IN CORPORE SANO. O resto é resto!

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This div height required for enabling the sticky sidebar
Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views :