30.2 C
São Paulo
segunda-feira, 20 setembro, 2021

Múmia grávida é descoberta por pesquisadores poloneses

Revista Mensal
Vitor Marcolinhttps://lletrasvirtuais.blogspot.com/
Apenas mais um dos milhares de alunos do COF. Non nobis Domine.

Exames de Raios-X deram aos cientistas a possibilidade de estimar as idades da mãe e do bebê: a mulher tinha cerca de 20 anos quando morreu com um feto de 28 semanas no útero. O corpo da múmia tem por volta de 2000 anos

A múmia. Créditos: Academia de Ciências da Polônia.

“Esta múmia é realmente única, não encontramos casos semelhantes. Isso significa que nossa múmia é a única encontrada no mundo com um feto”.

Cientistas poloneses do projeto Múmia de Varsóvia.

Ontem, quinta-feira, 29 de abril, cientistas poloneses anunciaram a descoberta de uma múmia que, por uma característica singular, é considerada única na história dos achados arqueológicos. Trata-se de uma múmia gravida. A descoberta aconteceu quando pesquisadores do Museu Nacional de Varsóvia, capital da Polônia, estavam examinando os restos mortais mumificados através de Raios-X.

“Meu marido Stanislaw, egiptólogo, e eu, ao examinarmos as imagens radiográficas, notamos no útero da falecida uma imagem familiar a pais de três filhos: um pezinho!”.

Marzena Ozarek-Szilke, antropóloga e arqueóloga da Universidade de Varsóvia, em entrevista à rede de mídia local.

O cientista Wojciech Ejsmond, membro da Academia Polonesa de Ciências, que também integra o projeto de pesquisa com as múmias egípcias, disse que eles ainda não sabem por que o feto não foi retirado da mãe antes do processo de mumificação. Marzena Ozarek-Szilke, aquela que viu o “pezinho” nas radiografias da múmia, levantou a hipótese de que pode ter havido uma intenção de “esconder a gravidez (…) ou, talvez, tivesse algum significado ligado a crenças sobre o renascimento na vida após a morte”.

De acordo com as interpretações dos hieróglifos inscritos no sarcófago, conjecturou-se que a múmia era de um sacerdote egípcio que viveu entre século I a.C. e I d.C. Mas não há, contudo, um consenso sobre estas interpretações. O periódico científico Journal of Archaeological Science anunciou a descoberta em sua última edição.

Imagens da região abdominal da múmia nas quais o feto aparece em cores. Créditos: The Sun Reprodução.

“É o primeiro caso conhecido de um corpo embalsamado de gestante (…) Isso abre novas possibilidades para pesquisas sobre gravidez na antiguidade e práticas relacionadas à maternidade”.

Destaque do artigo no periódico científico Journal of Archaeological Science.

A múmia que possivelmente fora contemporânea de Jesus Christo e da rainha Cleópatra, foi descoberta em uma escavação arqueológica em 1826 e levada para a Polônia. Transferida para o Museu Nacional de Varsóvia em 1917, lá permanece até hoje.

Com informações do portal Mega Curioso, da Revista Exame e do periódico acadêmico mensal Journal of Archaeological Science.

“O passado não reconhece o seu lugar: está sempre presente”.

Mário Quintana, poeta.

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

CRÔNICA丨Perda

Afrânio era um aprendiz de tipógrafo na Corte que, depois do trabalho nas oficinas da Rua da Guarda Velha,...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img