23.5 C
São Paulo
sábado, 28 maio, 2022

ESPAÇO | Empresa japonesa enviará robôs exploradores à Lua antes do próximo Natal

Revista Mensal
Vitor Marcolinhttps://lletrasvirtuais.blogspot.com/
Apenas mais um dos milhares de alunos do COF. Non nobis Domine.

A empresa nipônica Ispace planeja enviar um módulo com dois rovers à Lua antes do fim deste ano

Em pouco tempo, a superfície lunar abrigará bairros inteiros, com centros médicos, supermercados, Igrejas, bibliotecas públicas, parques, cafés e clubes de boliche. Esta é a impressão que o leitor médio tem quando ouve sobre as notícias — praticamente semanais — acerca da exploração espacial. Os principais objetos de interesse das grandes companhias de exploração do Espaço são Marte e o nosso satélite natural, a Lua.

Desde que a Rússia dera o pontapé inicial com o envio do satélite “rudimentar” Sputnik, em 1957, e os Estados Unidos, que não dão o braço a torcer, puseram o primeiro homem para caminhar na Lua, em 1969, outros países passaram a organizar as suas próprias missões. Recentemente, foi a vez do Japão anunciar seus planos de conquista do Espaço — ao menos da Lua.

Módulo M1 em fase final de montagens — créditos: Ispace

A empresa nipônica Ispace, companhia que desenvolve tecnologia robótica para a exploração espacial, anunciou que planeja pousar um módulo lunar com dois rovers — robôs de exploração — antes do fim deste ano. Se o projeto for bem-sucedido, esta será a primeira vez que uma sonda japonesa alcançará a superfície lunar.

Com efeito, pelo menos para os entusiastas das notícias sobre o Espaço, este ano consta na agenda de importantes missões de exploração. Há o projeto Artemis I, a primeira da série Artemis da NASA, que planeja levar o homem à Lua; a Coreia do Sul também tem planos para lançar o seu primeiro orbitar lunar até este Natal; e os russos seguem firme com a sua sonda Luna-25. Só a Índia — não se sabe ao certo o porquê — decidiu adiar a sua segunda tentativa de pouso robótico em solo lunar para 2023.

M1 em solo lunar — créditos: Ispace

Integrante da Missão 1 (M1), a sonda nipônica não será maior do que uma banheira de ofurô. Atualmente, o equipamento encontra-se na fase final das montagens nas dependências da Arianespace (empresa francesa fundada em 1980), na Alemanha. O foguete responsável pelo lançamento da M1 será um Falcon 9, da SpaceX. Uma vez no éter espacial, a sonda levará de três a quatro meses para alcançar o satélite natural da Terra; isto porque a missão valer-se-á de uma trajetória longa a fim de poupar combustível.

A missão japonesa almeja mais 10 pousos lunares nos próximos anos a fim de prospectar o solo lunar em busca de recursos minerais, como o ferro e o silício. Seus primeiros clientes serão a Agência Espacial Japonesa (JAXA) e o Programa Espacial dos Emirados Árabes Unidos, que pretende levar o seu primeiro rover lunar, o Rashid.


Com informações do CanalTech e do site oficial da Ispace.


(Photo by Richard Shotwell/Invision/AP)

“Magnífica desolação!”.

Buzz Aldrin ao pisar na Lua

Gosta do nosso conteúdo? Assine a Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

CRÔNICA丨Perda

Afrânio era um aprendiz de tipógrafo na Corte que, depois do trabalho nas oficinas da Rua da Guarda Velha,...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img