19.4 C
São Paulo
quinta-feira, 28 outubro, 2021

Aurora boreal em Nova York

Revista Mensal
Vitor Marcolinhttps://lletrasvirtuais.blogspot.com/
Apenas mais um dos milhares de alunos do COF. Non nobis Domine.

Tempestade solar intensa possibilita a observação do fenômeno em baixas latitudes

Cientistas detectaram, no último dia 9, uma massiva erupção solar denominada, no meio científico, de ejeção de massa coronal (CME, na sigla em inglês). O fenômeno ocorrera, segundo os observadores, no lado do Sol voltado para a Terra, atingindo nosso planeta cerca de dois dias depois. Segundo o modelo cosmológico do Heliocentrismo, a Terra orbita o Sol a uma distância de cerca de 150 milhões de quilômetros. A magnitude do fenômeno fora tão intensa que habitantes de Nova York puderam observá-lo.

Segundo a atual compreensão sobre a estrutura solar, a estrela possui ciclos de intensidade cujo ápice acontece a cada 11 anos. É precisamente durante esse período que o espetáculo das auroras boreais, maravilhosos a qualquer tempo, tornam-se magníficos. A gênese do fenômeno é o atrito dos ventos solares com o campo magnético da Terra. No entanto, observá-lo em localidades de baixa latitude — como a partir da cidade de Nova York — é uma verdadeira raridade.

A Administração Oceânica e Atmosférica Nacional dos Estados Unidos, a NOAA, categorizou o fenômeno recentemente observado como G2, isto é, “moderadamente forte”. O NOAA ainda fez um alerta sobre as tempestades solares desta magnitude, chamando a atenção para o fato de que o fenômeno tem potencial para afetar as redes de energia e os satélites em órbita. Para além da Big Apple, moradores de outras localidades do Nordeste americano, como Washington, também puderam observar a aurora boreal.

Os observadores do NOAA emitiram um alerta sobre a probabilidade de uma tempestade geomagnética para os dias 11 e 12 de outubro. Irregularidades na orientação de satélites e flutuações na rede elétrica poderiam acontecer em função das explosões solares. Contudo, hoje, dia 13, os efeitos da passagem dos ventos solares em atrito com o campo magnético da Terra começaram a diminuir significativamente. Mas os habitantes das terras mais ao Norte, tais como o Canadá, ainda podem observar a magnífica aurora boreal.

Com informações do CanalTech e do site Space.com.

“A beleza da natureza é o carinhoso sorriso de Cristo, mostrado através da matéria”.

G. K. Chesterton

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

CRÔNICA丨Perda

Afrânio era um aprendiz de tipógrafo na Corte que, depois do trabalho nas oficinas da Rua da Guarda Velha,...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img