O objetivo do projeto, segundo os pesquisadores, é tornar o equipamento mais acessível para a população.

Criação do estadunidense Dean Kamen, o Segway, veículo diciclo de um único eixo utilizado no transporte individual, ganhou uma versão brasileira mais barata e acessível. O veículo, extremamente útil em atividades que demandam locomoção rápida em espaços reduzidos, foi celebrizado na comédia americana “Paul Blart: Mall Cop”, do diretor Steve Carr. Em terras brasileiras o filme recebeu o título de “Segurança de Shopping”, e é o protagonista bonachão, interpretado por Kevin James, quem faz uso do Segway da forma mais improvável pelos corredores do centro comercial.

O pesquisador brasileiro, Gênisson Carneiro, da Universidade Federal da Paraíba, explica que, no mercado, os custos do Segway têm uma variação que oscila entre US$ 6 mil a US$ 10 mil. Contudo, o veículo desenvolvido pela equipe da universidade brasileira, é estimado a um custo de aproximadamente US$ 1,5 mil.

“A pretensão é diminuir ainda mais estes custos, buscando novos materiais e utilizando componentes que sejam vendidos no Brasil, pois os motores utilizados no projeto são vendidos nos Estados Unidos”.

— Gênisson Carneiro.

O trabalho de desenvolvimento do equipamento aconteceu no Centro de Energias Alternativas e Renováveis (CEAR/UFPB), com o integral apoio da Reitoria da universidade. Preencher a lacuna de material acadêmico no Brasil sobre o desenvolvimento de veículos de transporte individual do mesmo tipo do Segway fora o incentivo que levou o professor Cícero Rocha Souto a encabeçar o projeto. Contando com dois motores de corrente contínua alimentados por baterias, a estrutura possui ainda um sistema de controle equipado com um minicomputador que suporta os sistemas Linux e Windows 10. O veículo, que ainda está na fase de protótipo, demanda uma otimização com novos materiais e componentes que estejam disponíveis no mercado brasileiro, tornando-o mais acessível.

“Lembramos que este é o primeiro protótipo e já visualizamos muitas melhorias a serem feitas. Ainda podemos colocar outras técnicas de controle para comparação e implementar com outros sensores e com isso gerar mais publicações científicas”.

Gênisson Carneiro.

Dean Kamen, dono da ideia original, é um inventor e empreendedor estadunidense que conta com mais de 440 patentes sob seu nome, dentre as quais o Segway. Kamen também é o proprietário da empresa DeKa Research e criador do programa First, para o incentivo do ensino de ciência e tecnologia. Uma das perguntas mais frequentes sobre sua invenção é “por que o condutor não cai?”. Isso se deve ao giroscópio, dispositivo usado na orientação de navios e espaçonaves, inventado por León Foucault em 1852. Tal dispositivo é a explicação do equilíbrio miraculoso do Segway, ele evita que o usuário fique feito joão-bobo.

Com informações do site TecMundo e Revista Galileu.

Gosta do nosso conteúdo? Assine a Revista Esmeril para ter acesso a conteúdos de Alta Cultura e ajudar a manter o nosso Editorial gratuito!

O Segway brasileiro é mais barato e acessível. Divulgação: UFPB.

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar