A vitória de um democrata (partido tradicionalmente desarmamentista) nas últimas eleições à presidência dos Estados Unidos desencadeou uma alta na venda de armas de fogo. Afinal, a identidade de um povo não é tarefa de um mandato presidencial, mas da história que ele próprio desenhou. A corrida pelo ouro, ou conquista do oeste, é um episódio da história americana que evidencia, a um só tempo, busca por prosperidade, a instituição da lei e da ordem e, na versão mítica consagrada pelo cinema, a pintura da “lealdade, a força coesiva sem a qual a sociedade se desmantela“. Para começar o ano com o pé direito, portanto, coube ao faroeste ser tema e alma desta edição.

Vida e Legado, assinada por Roberto Lacerda, investiga a pintura poética do heroí e do pistoleiro, por meio das biografias de Wyatt Earp e Jesse James, o xerife e o fora da lei, comparando cinema a registros históricos.

Claudio Dirani traça o Perfil de Doc Holliday, o dentista e fora-da-lei que viria a se tornar leal amigo do eterno xerife de Tombstone.

Como é impossível pensar em faroeste sem pensar no instrumento moderno da conservação da lei e da ordem, as armas de fogo, Ativismo em pauta entrevista Bene Barbosa, o maior defensor da liberação da posse e do porte de armas no Brasil.

Paulo Sanchotene conclui em que aspecto o faroeste americano tem a ver com a cultura brasileira em Conversar é pensar junto, enquanto Marco Frenette escancara, listando algumas das armas de fogo mais estreladas da história do cinema, o prazer comum a todo homem em ver o vagabundo se dar mal – mais que um ponto, um grande Acerto de vista.

CrossRoads, a coluna cultural de Claudio Dirani na Esmeril, recorda a bravura indômita inerente aos maiores filmes do gênero western, enquanto a cineasta Cássia Queiroz, convidada Especial, se aventura a definir os limites entre gênero cinematográfico e far-west histórico.

Se o faroeste é indissociável das armas, o mesmo vale para o Whisky. Por isso, Viver bem conta a história do Whisky Bourbon (além de ensinar uma tradicional receita do velho-oeste) e Patrimônio e Memória faz uma homenagem ao Jack Daniel’s, em especial, levando você ao interior da destilaria.

Intervalo providencial: Ensaio te conduz ao faroeste que povooa suas memórias de infância.

Mídia e Poder traz uma análise do cientista político Paulo Moura sobre a subversão dos valores que marcaram o velho-oeste por um subgênero dos filmes western, e A Beleza importa aborda outro registro do entretenimento, a HQ, para mostrar o alcance desse universo na cultura.

Tombstone, a terra dos cowboys, é explorada em Turismo & História, e para não deixar de encenar um duelo antes de encerrar nossa investida pelo universo ali retratado, ele acabou entrando Na Marca da Cal.

Todas essas perspectivas, leitor, têm como acompanhamento, é claro, uma trilha sonora pensada especialmente para a edição. Os vídeos estão em Palco, e a lista completa você ouve quando quiser no Spotify.

Boa leitura e lembre-se: quando tudo parecer um pouco perdido, go west devagar e sempre.

fim
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar
Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views :