HOJE NA HISTÓRIA | Uruguai conquista sua independência do Brasil

Vitor Marcolin
Vitor Marcolin
Ganhador do Prêmio de Incentivo à Publicação Literária -- Antologia 200 Anos de Independência (2022). Nesta coluna, caro leitor, você encontrará contos, crônicas, resenhas e ensaios sobre as minhas leituras da vida e de alguns livros. Escrevo sobre literatura, crítica literária, história e filosofia. Decidi, a fim de me diferenciar das outras colunas que pululam pelos rincões da Internet, ser sincero a ponto de escrever com o coração na mão. Acredito que a responsabilidade do Eu Substancial diante de Deus seja o norte do escritor sincero. Fiz desta realidade uma meta de vida. Convido-o a me acompanhar, sigamos juntos.

O país vizinho foi uma das províncias do vasto Império do Brasil

Numa certa ocasião, eu tivera a oportunidade de mostrar ao meu professor de História do Ensino Médio uma das moedas antigas de minha coleção particular. Tratava-se de uma pequenina moeda de bronze de 20 Réis com o busto do Imperador D. Pedro II cunhado numa das faces e o brasão imperial na outra. O ano da cunhagem era 1869. O professor, fazendo cara de espanto e depois de examiná-la longamente, disse: “Uau!, uma moeda do Império Português!”.

A ignorância, a pobreza cultural no Brasil são vícios distribuídos igualitariamente, democraticamente; permeiam todas as classes, desqualificam o professor e atravancam a esperança do aluno. Caso análogo ocorreu quando, numa conversa com um colega sobre o Uruguai, o rapaz desacreditou que o país fora parte integrante do território brasileiro até que lhe fosse mostrado o artigo na Wikipédia.

O país vizinho, fronteiriço ao Rio Grande do Sul, já fora uma das províncias do Império do Brasil, a Província Cisplatina. Isto até o dia 27 de agosto de 1828, quando o Império do Brasil e as Províncias Unidas do Rio da Prata assinaram o Tratado do Rio de Janeiro, o documento que estabeleceria a independência da República Oriental do Uruguai.

A região do Rio da Prata sempre fora objeto de interesse das coroas Portuguesa e Espanhola. O local é estratégico, talvez o mais estratégico da costa leste da América do Sul: com saída para o Atlântico, o estuário do Rio da Prata é ponto de confluência dos rios Paraná e Uruguai e dos seus afluentes, os rios Lujan, Matanza, Samborombón e Salado do Sul. Através do canal do Prata pode-se chegar a pontos importantes no interior do continente. Dominar o estuário é necessariamente dominar extensas porções de terra da Argentina, Paraguai, Uruguai e Brasil.

A conquista da autonomia do pequeno Uruguai, portanto, não poderia ser fruto de uma mera condescendência diplomática dos Bragança. Não. No dia seguinte à assinatura do Tratado do Rio de Janeiro, era celebrado o Tratado de Montevidéu, o acordo que pôs termo à Guerra da Cisplatina, o Uruguai conquistara sua independência.


Com informações do Portal History UOL

“Se me caí, es porque estaba caminando. Y caminar vale la pena, aunque te caigas”.

Eduardo Galeano, escritor uruguaio
Esmeril Editora e Cultura. Todos os direitos reservados. 2023

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Abertos

Últimos do Autor

CONTO丨Agenda