18.4 C
São Paulo
domingo, 19 setembro, 2021

Descoberta a ilha mais ao Norte do mundo

Revista Mensal
Vitor Marcolinhttps://lletrasvirtuais.blogspot.com/
Apenas mais um dos milhares de alunos do COF. Non nobis Domine.

Trata-se de um pequenino e insignificante pedaço de terra inóspita e mortalmente fria

Uma ilhota foi descoberta por um grupo de exploradores e pesquisadores da Universidade de Copenhague. O fato passaria despercebido por todos se não fosse pelo fato curioso de sua localização: a pequena porção de terra está isolada na região mais setentrional do planeta.

Outro fato curioso acerca da descoberta — aparentemente sem nenhum valor científico senão a curiosidade — é que o achado expande as fronteiras do Reino da Dinamarca. A ilhota fora descoberta ao Norte da Groelândia, e esta é território ultramarino dinamarquês. Não estava nos planos dos exploradores, contudo, descobrir novas terras.

“Descobrir uma nova ilha não era o nosso objetivo.”

Morten Rasch, Diretor da estação de investigação do Ártico, à agência Reuters

Rasch, o líder da expedição, explicou que o objetivo da missão era tão somente coletar amostras no ponto que acreditavam ser o mais setentrional do mundo: Oodaaq. No entanto, alterações na cobertura do gelo revelaram que o grupo estava a 780 metros ao Norte de Oodaaq.

Paisagem na baía de Umanaq, no Ártico (créditos: Tetyana Dotsenko/Shutterstock)

A ilhota, ainda por batizar, tem uma área de apenas 180 metros quadrados, e constitui-se basicamente de pequenos amontoados de cascalho e silte (que são fragmentos finos de rocha) que, provavelmente, emergiram do leito do oceano pela força de uma tempestade [ou movimento sísmico]. O relevo da formação insular varia entre três a quatro metros acima do nível do mar, por isso Rasch a considera “uma ilhota de vida curta”.

Rasch também é professor no Departamento de Geociências e Gestão de Recursos Naturais na Universidade de Copenhague. Ele explicou, num comunicado à impressa, que todos os membros da equipe estavam crentes de estar na ilha de Oodaaq, até então o pedaço de terra mais ao Norte do mundo. Contudo, imediatamente após Rasch publicar numa rede social fotos e as coordenadas da ilha, “vários caçadores de ilhas americanos piraram, e disseram que não poderia ser verdade”.

Os tais “caçadores de ilhas”, aventureiros amadores que procuram formações insulares ainda desconhecidas, começaram a reagir de forma tão exagerada às publicações de Morten Rasch, que a equipe decidiu recorrer a um especialista da Universidade Técnica da Dinamarca. Na espera pela resposta do especialista, os exploradores perceberam que o GPS estava desorientado, e que já estavam longe de Oodaaq.

“Nós literalmente expandimos o Reino [da Dinamarca]”.

Rasch

A equipe quer batizar a ilha de “Qeqertaq Avannarleq” que, no idioma groenlandês, quer dizer: “A ilha mais ao Norte”. Pouco sugestivo, não acham?

Com informações do portal TecMundo e da Agência Reuters.

“A verdadeira viagem da descoberta consiste não em buscar novas paisagens, mas em ter novos olhos”.

Marcel Proust

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

CRÔNICA丨Perda

Afrânio era um aprendiz de tipógrafo na Corte que, depois do trabalho nas oficinas da Rua da Guarda Velha,...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img