23.6 C
São Paulo
domingo, 19 setembro, 2021

China: jogos online são “ópio espiritual”

Revista Mensal
Vitor Marcolinhttps://lletrasvirtuais.blogspot.com/
Apenas mais um dos milhares de alunos do COF. Non nobis Domine.

Repressão do Partido Comunista Chinês aos jogos eletrônicos

No âmbito da disputa pelo controle do poder global que, em palavras diretas, é a síntese de todos os esforços político-culturais das últimas décadas, vale tudo. Melhor: vale o que se demonstrar mais eficiente. Foi-se o tempo em que a humanidade pelava-se de medo da destruição total do planeta pelo poder das bombas atômicas. Existem armas mais eficientes, do tipo que destroem somente os elementos objetivamente odiosos: os seres humanos. Sob a realidade das guerras químicas e biológicas, estruturas de interesse para o inimigo, como as construções urbanas, por exemplo, permanecem intactas. Contudo, existe ainda outro tipo de arma, mais sutil: o ópio dos video-games.

Talvez “video-games” seja um termo anacrônico na era dos jogos online. Seja como for, o fato noticiado recentemente pelo portal de notícias BBC News traz como tônica a preocupação dos investidores no ramo dos jogos eletrônicos na China. Na terra do dragão a autoridade do Partidão não conhece limites, o governo chinês decidiu reprimir a comercialização de jogos online sob o argumento de que “estas coisas entorpecem os jovens”. As ações da Tencent e da NetEase, duas das maiores empresas de jogos online na China, caíram mais de 10% na Bolsa da Hong Kong depois que um veículo de comunicação estatal qualificou os games como “drogas eletrônicas“.

Nos últimos meses, as autoridades chinesas anunciaram uma série de medidas interventoras com o propósito de aumentar o controle estatal sobre as empresas de tecnologia e de educação privada. Um artigo publicado no jornal estatal chinês Economic Information Daily afirmou que muitos adolescentes tornaram-se viciados em jogos online e isto era causa de inúmeros problemas. Este jornal é filiado à agência estatal Xinhua. O super popular jogo Honor of Kings, da empresa Tencent, é citado no artigo. Os adolescentes passam até oito horas por dia concentrados na realidade artificial do jogo. O texto, claro, pede mais restrições à indústria.

“Nenhuma indústria, nenhum esporte pode desenvolver-se de uma tal maneira que destrua uma geração”.

Artigo do veículo estatal chinês
O Partido Comunista Chinês considera os jogos eletrônicos o “ópio espiritual”. Jogo Honor of Kings. Imagem: Tencent Games/Divulgação

Com informações do Correio Braziliense, da BBC News e do South China Morning Post.

“Comunismo não é amor, comunismo é um martelo com o qual se golpeia o inimigo”.

Mao Tse-Tung

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

CRÔNICA丨Perda

Afrânio era um aprendiz de tipógrafo na Corte que, depois do trabalho nas oficinas da Rua da Guarda Velha,...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img