23.5 C
São Paulo
sábado, 28 maio, 2022

AS MENTIRAS EM QUE ACREDITAMOS | Entrevista com Jeffrey Nyquist

Revista Mensal
Leônidas Pellegrini
Professor, escritor e revisor.

“Isso pode chocar alguns de seus leitores, mas os Estados Unidos estão caminhando para um colapso, e até mesmo uma guerra civil”

Em 19 de outubro deste ano, era publicada na centésima décima nona e última (por enquanto) edição da Revista Terça Livre uma matéria sobre o livro As Mentiras em que acreditamos, do analista político Jeffrey Nyquist, com uma breve resenha seguida de entrevista com o autor.

O texto ficou no ar por menos de três dias antes de ser apagado da internet por ordem de “vocês sabem quem”, e agora é republicado aqui nos Esmeril News, com algumas adaptações.


Mentirinhas nada inocentes

A ONU é um órgão internacional que visa à preservação da paz e da harmonia entre os povos; o feminismo é um movimento que se preocupa com os direitos, o bem-estar e a dignidade de todas as mulheres; existem alterações climáticas que vão acabar com o planeta dentro de pouco tempo se não fizermos nada a respeito; o multiculturalismo não ameaça a soberania das nações (isso é teoria da conspiração) e deve ser incentivado, inclusive, em todas as escolas, desde cedo; o Comunismo acabou com a queda da URSS, e hoje respira moribundo em uns poucos países inexpressivos no cenário internacional; Putin é conservador; as vacinas contra a Covid salvam vidas, e quem não acredita é um negacionista.

O leitor deste site provavelmente, em algum momento de sua vida, já acreditou em uma ou mais das afirmações acima. Eu mesmo, não muito tempo atrás, não só acreditava, como defendia algumas das pautas relacionadas a essas “mentirinhas”, que de “inhas” não têm nada. São grandes mentiras que estão levando o mundo a ruínas morais cada vez mais profundas e pavimentando o caminho para um totalitarismo em escala global sem precedentes.

Se você conhece (e provavelmente conhece) pessoas que ainda acreditam nessas “mentirinhas”, reze por elas, mas também tente demovê-las desse engano, dessa burrice programada. O melhor caminho para isso, sabemos, é municiar-se da verdade com um arsenal de informação e análises bem fundamentadas sobre os acontecimentos e movimentos que têm sido direcionados para a inculturação da mentira e a destruição do mundo livre.

Um dos analistas que podem te ajudar nesse processo é Jeffrey Nyquist. Já publicado no Brasil em 2017, com O Tolo e Seu Inimigo , Nyquist retorna agora em 2021 ao nosso mercado editorial por iniciativa de Diogo Fontana, da Editora Danúbio, com a coletânea de artigos organizada pelo próprio Diogo, intitulada As mentiras em que acreditamos. Esta coletânea reúne artigos que vão de setembro de 2019 a janeiro deste ano, quando da posse de Joe Biden — mentira das mentiras –, e expressam a clara percepção de Nyquist sobre o processo de destruição ou, como ele mesmo chama, desintegração dos Estados Unidos com base nessa cultura da mentira que ganha espaço e se enraíza cada vez mais profundamente naquele país. Mas tal destruição não é só da América, é de todo o mundo livre — na verdade, considera-se aqui o fim da liberdade no mundo, algo que está em curso e bastante perceptível para quem tiver olhos para ver.

Pois bem. No texto de orelha do livro, Diogo Fontana afirma que uma das razões para investir nesse volume é “bem informar uma parcela ínfima da população brasileira acerca do que o futuro nos traz, ajudando-a, assim, a se antecipar aos fatos e se preparar para o tranco”. E que tal seria se essa parcela da população brasileira pudesse não ser tão ínfima assim? Depende de você, caro leitor! Leia Nyquist, informe-se, espalhe a verdade, presenteie quantas pessoas puder com seu livro, conheça o autor! Que tal começar com a entrevista abaixo?

A Entrevista

 Esmeril News: Seu livro, organizado no Brasil por Diogo Fontana, tem o título “As mentiras em que acreditamos”, que aliás é título de um dos seus artigos. Que mentiras são essas, e por que tantas pessoas ainda acreditam nelas?

Jeffrey Nyquist: Estamos cercados de mentiras e acreditamos em muitas delas. Pergunte a si mesmo: O que é o “Unidas” das Nações Unidas? Se o planeta está ficando mais quente, por que estamos tendo perdas de safras por causa do frio em todo o mundo? Se as vacinas contra a Covid funcionam, por que estão nos dizendo que os não vacinados são uma ameaça aos vacinados? Se o comunismo entrou em colapso na Rússia em 1991, por que os russos ainda ajudam os cubanos, Daniel Ortega e os marxistas venezuelanos? Se todos esses esquerdistas são defensores da liberdade, por que estão tentando limitar a liberdade de expressão daqueles que discordam deles? Por que os chamados “Democratas” estão fraudando as urnas e falsificando resultados eleitorais se acreditam na democracia?

Não estamos falando apenas de algumas mentirinhas aqui. Mentir agora é algo sistemático, profundo e abrangente. Estamos falando de A MENTIRA no poder e, infelizmente, A MENTIRA também na oposição. Por que a oposição ao comunismo é tão fraca? Muitos dos nossos ditos conservadores também vivem de mentiras. “Em tempos de engano universal”, disse George Orwell, “dizer a verdade é um ato revolucionário”.

Esmeril News: Muitas pessoas ao redor do mundo ainda ignoram quem a China e a Rússia realmente são, mas você não é uma delas. Diga a essas pessoas, por favor: por que Xi Jinping e Vladmir Putin não são “caras legais”, afinal? Por que eles definitivamente não são amigos da América ou do mundo livre?

Jeffrey Nyquist: Xi e Putin são assassinos. Eles mandam matar pessoas inocentes. Isso significa que eles estão cobertos com o sangue de suas vítimas. Obviamente, tendemos a fechar os olhos para isso, mas qualquer um que o faça torna-se um mero “acessório” frente aos fatos. Putin ordenou o assassinato de jornalistas e dissidentes; e isso é muito bem sabido, está documentado. Você lembra de Alexander Litvinenko e do polônio radioativo que colocaram em seu chá? Rastrearam as “migalhas” radioativas até Moscou. E Putin foi levado à Justiça por esse crime? Não. Xi Jinping é um assassino também. Não haverá nação chinesa até que ele seja enforcado. Não haverá nação russa até que Putin seja enforcado. Não passam de gangsters com suas botas sobre os pescoços dos tão sofridos povos chinês e russo.

Esmeril News: Gostaria que você falasse um pouco sobre a antiga filosofia política chinesa e como ela se encaixa tão bem nas ações do Partido Comunista Chinês.

Jeffrey Nyquist: Os chineses têm uma história bastante trágica. Megalomaníacos frequentemente prevalecem no poder na China. Qin Shi Huang, o primeiro imperador Qin, defendia uma filosofia de “legalismo”, na qual ele buscava remodelar a natureza humana por meio da compulsão legal. Shi destruiu muitos livros, dizendo que a literatura deveria começar com ele.

O fundador do Estado Comunista chinês, Mao Zedong, costumava se gabar de que o primeiro imperador Qin não era nada comparado a ele. O imperador Shi matou “apenas” mil acadêmicos confucionistas. Mao matou cem mil. O primeiro imperador Qin queria eliminar a filosofia moral completamente. Shi Huang queimou várias centenas de estudiosos vivos por possuir livros proibidos. Os legalistas e seu imperador pensavam que as ideias de certo e errado eram risíveis.

Esmeril News: Há dois fatores que você aponta como essenciais entre os que levarão ao “Suicídio Coletivo da América”: o feminismo e o multiculturalismo. Fale um pouco sobre isso. De fato, não seria o suicídio coletivo de toda a civilização ocidental?

Jeffrey Nyquist: Se voltarmos para 1927, encontraremos um autor interessante na França, chamado Julien Benda. Ele escreveu um livro intitulado La Trahison des Clercs (A Traição dos Intelectuais). Nesse livro, ele diz que os intelectuais europeus perderam a capacidade de pensar e argumentar objetivamente. Benda estava um pouco confuso, porque a verdadeira traição dos intelectuais ainda estava por vir. No final do século XX, o próprio Ocidente havia se tornado uma oficina para a organização intelectual do ódio a si mesmo. E agora, a loucura tomou conta de todas as nossas instituições. A cultura e a política ocidentais se tornaram a organização intelectual do ódio a si mesmo em todos os níveis. Em vez de orientar nosso pensamento para o bem, a verdade e a beleza, voltamos nosso pensamento contra quem pensa.

Agora, somos obrigados a odiar tudo o que somos. Na verdade, todas as nossas tradições estão sujeitas a ataques. Somos obrigados a atacar a própria base da existência humana. Por exemplo, devemos odiar homens fortes e mulheres femininas. Devemos odiar a raça branca europeia, apesar das suas realizações. Dizem-nos para odiar os brilhantes pensadores da Grécia ou de Roma por causa da cor da pele deles, ou por causa de seu sexo. Em suma, somos obrigados a destruir a nós mesmos e aos próprios fundamentos da nossa civilização.

Esmeril News: Considerando as ações do governo Biden até agora, e tendo em vista as eleições midterms de 2022, o que podemos esperar da América até 2024?

Jeffrey Nyquist: Isso pode chocar alguns de seus leitores, mas os Estados Unidos estão caminhando para um colapso, e até mesmo uma guerra civil.

Por piores que as coisas estejam na superfície, essa situação é ainda pior se você olhar para a alma americana. Nossos intelectuais são burros, não passam de fanáticos que se odeiam. Com algumas exceções, nossos líderes espirituais são uma fraude. Tudo se resume a fama, dinheiro e poder. O país está dividido, confuso e politicamente desorientado. O povo está intelectualmente preguiçoso, moralmente fraco e frágil.

Um lento declínio está ocorrendo há muito tempo, no nível da alma. Houve falhas profundas na maneira como nossa filosofia nacional se desenvolveu. A América ainda era aparentemente forte durante os anos 1960, mas fissuras começaram a aparecer e nada de construtivo foi feito.

Reagan maquiou os problemas mais profundos. Novamente, as questões básicas não foram abordadas. Quando chegamos ao chamado “fim da Guerra Fria”, o autoengano estava permeando tudo, contaminando todas as questões. Houve um declínio na acuidade intelectual, na honestidade, na moralidade, no conhecimento básico. Agora todos estão surpresos com o rápido ritmo de nossa desintegração, mas isso não deveria surpreender ninguém.

Biden é realmente um imbecil. Ele não tem ideia do que está acontecendo, e seus assessores são ideólogos perigosos. Os Estados Unidos estão enfrentando uma período muito difícil em nossa história, com duras lições pela frente.

Compre o livro AQUI.

“Para evitar um equívoco verbal: o que deve ser ativamente destruído precisa antes ter sido sustentado com firmeza total; o que desmorona, desmorona, mas não pode ser destruído”.

Franz Kafka

Gosta do nosso conteúdo? Assine a Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

Finados

Finados   I Dos bisos conheci o Nona e a Nono, avós do pai, bem pouco conhecidos, na verdade, em seus mundos recolhidos, alçados quase...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img