Claudio Dirani destaca a relevância dos heróis que garantem nossa segurança, em filmes, séries e livros

Você precisa de alguém que lhe dê segurança, senão você dança esse é o verso de abertura de uma das músicas de maior sucesso de Longe Demais das Capitais, álbum de estreia dos Engenheiros do Hawaii. Faz total sentido.

Embora pareça romântica e inofensiva, a frase resume quase tudo. Afinal, não vejo outra saída para o progresso de um país se ele não reforçar a proteção de seu bem maior: a população. Sim, quando falo isso, não estou apontando apenas para a relevância de um bom policiamento. Segurança é um termo bastante abrangente, desde a alimentar, passando pelo saneamento básico e um dos mais importantes de todos: o da proteção de fronteiras.

Quem lê essa coluna desde outubro, já sabe que o forte da CrossRoads é o entretenimento. Isso não quer dizer que não seja divertido estudar mais sobre como o Brasil já teve grande repercussão nesse âmbito. Principalmente, no militar.

O Barão do Amazonas garante a soberania no Paraguai

Se você nunca se interessou, fica aqui a dica: mergulhe nas páginas históricas da Guerra do Paraguai para conhecer mais sobre o Almirante Barroso – ou Barão do Amazonas, como foi apelidado após a Batalha de Riachuelo. Apesar de dividir o espaço de Heróis da Pátria no Senado com o do duvidoso Zumbi dos Palmares, o militar nascido em Portugal como Francisco Manoel Barroso da Silva participou de combates na Guerra da Cisplatina, em operações contra a Cabanagem, na então Província do Pará, e comandou a Força Naval Brasileira na Batalha Naval do Riachuelo. Sugestão de leitura: O Almirante Barroso a Volta do Mundo, de Theophilo Nolasco D. Almeida.

De volta aos tempos mais recentes, não há quem ignore o poder da Operação Lava Jato – responsável por colocar, de forma inédita, políticos de expressão atrás das grades (ex. o ex-deputado federal Eduardo Cunha e Lula).  As dicas ficam para o filme Polícia Federal: a Lei é Para Todos (2017), dirigido por Marcelo Antunez. Ao contrário da série Mecanismo, de José Padilha, a atração não cai na tentação de colocar alguns dos criminosos no papel de coitados.

O resgate dos heróis desconhecidos da pátria

O Brasil tem muitos heróis desconhecidos (leia mais em Perfil, nesta mesma edição). Por isso mesmo, aqui vamos honrar aos destemidos Pracinhas da Força Expedicionária Brasileira – cruciais em uma das principais batalhas da Segunda Grande Guerra Mundial: a tomada de Monte Castelo, na Itália (21/2/1945). Com tantos louros, é de se pensar que o brasileiro já foi presenteado com muitas atrações sobre o tema. Nada disso. O primeiríssimo longa foi A Estrada 47 (2013). Com direção de Vicente Ferraz, o filme mostra a ação dos soldados brasileiros contra o nazifascismo.

Agora vem a relíquia. Recentemente, o filme Águias de Fogo, de Ary Fernandes, voltou a ser exibido pelo Canal Brasil, mostrando a bravura de um esquadrão da Força Aérea Brasileira pelos rincões do país. Águias de Fogo foi produzido originalmente em 1968, e exibido pela extinta Rede Tupi de Televisão, no formato de série.

Fim

Revista Esmeril – 2020 – Todos os direitos reservados

1 Comments

  1. Acredito que há uma séria generalização na proposta.
    Vou mostrar algumas. O maior agente da dissolução do carater se chama MÍDIA, logo mostrar ela como ofertadora de algo salutar não tem muita lógica.
    É evidente que toda a mídia é SUSTENTADA pelo status quo, o mesmo que também alavanca a droga mais desgraçada de todas livre leve e solta ao passo que outras até bem menos nocivas são proibidas e garantem a desgraça do usuário. Ao passo que a droga álcool é tão supinamente nefasta que não mata rápido, degenerada, destrói a dignidade e continua se disseminando através do exemplo, inclusive e sobretudo midiático, como o tal joão cana brava, o mussum, aquele personagem do chico anísio, e tantos outros mais e absurdamente abundantes, ou seja, a mídia mostra o abjeto como engraçado e a sociedade como tolerante com o abjeto! E isso sem me ater as lindas mulheres que são mostradas como as escolhedoras dos alcoolatras, vide a garota do orloff, do baixinho da skoll, e uma série de outras belas estonteantes mostradas em comerciais de droga, a mais desgraçada de todas, o alcool!
    Como mostro, se a mídia mostra ou não presta ou existe um interesse subjacente, subliminar da mais alta periculosidade!
    Com esse entendimento voltemos aos “heróis” nacionais. Não discuto que zumbi não foi herói, mas tampouco foi qualquer dos envolvidos na guerra do Paraguay, todos eles eram ferramentas da nação mais desgraçada de todos os tempos modernos, a inglaterra, que com a guerra do ópio garantiu o levante comunista de revoluções culturais que destruiram a china e a transformaram na atual china que só o que faz é destruir, escravizar e submeter não só chineses, mas sobretudo os outros povos que permitiram que empresários apátridas entregassem de mão beijada as FERRAMENTAS que constroem o mundo, e sem ferramentas todos ficam reféns de quem tem ferramenta e o sensacional Donald Trump entendeu isso e exige a volta de suas ferramentas para fazer a américa great again!
    E quem garantiu a china atual foi a inglaterra.
    E aqui o Imperador acabou contraindo uma dívida com bancos ingleses e para pagar tinha qu exterminar o paraguay e seu lider Solano Lopez! Solano era ditador? Isso não era e não é de nossa conta, o que não tinha sentido era atacá-lo só para agradar inglês! Seria uma ameaça ao Brasil com sua industria armamentista? Provavelmente sim em um determinado momento, mas bastaria seguir o clássico “si vis pacem, parabellum” que nada aconteceria, até porque a população paraguaia era menor que a de São Paulo! Bastaria seguir a máxima dos fundadores dos EUA, todos armados são os reais soldados da nação! Na suiça ninguém ousou entrar em nenhuma guerra moderna, há razões subliminares, sim, existem, mas há uma também evidente, ninguém ataca um povo onde TODOS SÃO ARMADOS!
    Como mostro, leis desarmamentistas são ótimas para governos golpistas como os republicanos foram no Brasil Império, que precisaram garantir o povo refém para emplacar as lixeiras sobretudo TRIBUTÁRIAS que impuseram!
    E com isso, há uma clara tergiversação da realidade de segurança no Brasil, onde se desconsidera o ÚNICO real defensor de cada um, o PRÓPRIO, em detrimento da glamourização de protetores do estado bandido. Eu não preciso de um polícia, eu preciso de ARMAS em minhas mãos sem que eu tenha que pedir para o estado bandido o beneplácito dele para ter armas e muito menos com tributo de 200% sobre as armas! E o que afirmo é fato em qualquer instância.
    Se alguém toma minha propriedade tem que ser executado e não blindado por leis, enquanto eu o eliminador do ladrão sou criminalizado! Essa agenda existe para que o povo não perceba na raiz da questão, que o real ladrão é o ESTADO, e se entendermos que todo ladrão tem que ser eliminado, entenderemos que legisladores que criam leis impostas para emplacarem salários nababescos à nossas custas merecem é bala!
    Percebe-se que a agenda de glamourização do policial é apenas para a relativização de nossa segurança e do roubo deles via imposto.
    É interessante estudar sobre psicologia e refléxo condicionado intermitente, onde a relativisação de um crime gera a aceitação desse mesmo crime em esfera diferente!
    É a mesma agenda da maldita “pedofilia”! Não existe pedofilia, existe ESTUPRO, mas quando se relativisa um salafro marmanjo usando da cobiça de uma menina para violá-la ou uma mídia venal glamourizando menina sexuando com marmanjo se garante a imunda agenda pedófila. Pedófilo é estuprador e TÊM que ser executado sempre, isso é a diretriz master de um macho, matar estupradores e proteger mulheres, e quando uma sociedade relativiza o estupro, legitima inclusive estupradores de óvulo (inseminação artificial) e ginecos do sexo masculino (nenhum macho fica no zero a zero de frente, sentindo, cheirando, tocando uma vagina, isso não existe, todo gineco é estuprador escudado por uma profissão criminal) e mais, permitem estupradores livres e VIVOS, graças às leis que proibem pena de morte para eles! Polícia que não mata estuprador é estuprador mesmo que não se entenda assim, o mesmo se aplica a juizes que libertam estupradores ou relativisam o crime, só que nesses casos o juiz SABE que é estuprador e de forma empática “perdoa” o de sua própria laia! Não existem bonzinhos em uma sociedade psicopata e só sociedade psicopata BLINDA estuprador e criminaliza mulheres que abortam.
    Observo que não sou a favor de aborto, mas sou a favor da mulher ser dona do corpo dela, TODA MULHER QUE BUSCA O ABORTO SABE O LIXO QUE CARREGA EM SEU VENTRE, e lixo nascido é sociedade desgraçada! O certo seria a castração de macho ômega que toca em mulher, que embebeda mulher para poder tê-la, que usa do poder econômico para violar prostitutas (estupro com coação via poder econômico. Acrediatr que prostituta é o que é por indole é criminal, é evidente que toda prostituta teve um pai ou outro próximo abusador sempre)! Coloco essas questóes com o único intuito de mostrar que em uma sociedade doente, os valores dela não são saudáveis.
    Voltando ao tema original, deixo uma evidência, TODO E QUALQUER ESTADO QUE ARROGA PARA SI A SEGURANÇA DOS CIDADÃOS E AINDA POR CIMA SEQUESTRA AS ARMAS DOS CIDADÃOS TEM COMO OBJETIVO A SUBMISSÃO, SEQUESTRO E ESCRAVIDÃO DO CIDADÃO! Cidadão de bem é o exército, é o polícia, é a salvador da pátria, o real herói!
    Sem esse entendimento acima citado sempre seremos o cão correndo a atrás do rabo, aliás, pior, seremos o oroboro autofagicamente matando o próprio eu, a própria individualidade, capacidade e sobretudo autonomia!
    Delegar poderes é lógica comuna, se abre mão da responsabilidade e entende que os outros (o estado inchado) irá ser o paladino salvador! E essa lógica se aplica a tudo, se delegamos nossa saúde a outrem seremos reféns de “mérdicos”, planos de saúde, farmáfias, se delegamos nossa autonomia e capacidade artífice, seremos reféns de todos os capacitados.
    Em uma sociedade sadia a delegação de função é em decorrencia da especialização e não da incompetência. Enesse quesito os militares estão supinamente mais próximos da correção, são capazes de plantar, colher, edificar, construir estradas, e acima de tudo, se proteger e proteger seu sítio!
    São heróis os militares? Não creio, são corretos, nós, os que não imitamos e seguimos cegamente essa lógica é que somos errados!
    Agradeço a atenção e vosso tempo
    Obrigado

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

This div height required for enabling the sticky sidebar
Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views : Ad Clicks : Ad Views :