14.7 C
São Paulo
terça-feira, 19 outubro, 2021

Senadora Elizabeth Warren afirma que ‘obstrução’ é uma regra racista

Revista Mensal
Roberto Lacerda
Roberto Lacerda Barricelli é jornalista, assessor e historiador. Foi correspondente do Epoch Times e colaborador em diversos jornais, como Jornal da Cidade Online, O Fluminense, São Carlos Dia e Noite, Diário da Manhã, Folha de Angatuba e Jornal da Costa Norte.

A senadora democrata utilizou essa ferramenta contra o senador negro Tim Scott (Republicano), para barrar a reforma de legislação sobre a polícia, apresentada após a morte de George Floyd.

A Senadora Elizabeth Warren (Democrata) disse para a Axios, que a obstrução (filibuster) é uma regra racista. Essa é uma ferramenta utilizada pelos parlamentares para atrasar ou retardar votações, através de obstáculos e empecilhos criados de maneira sistemática. Também é utilizado para impedir a aprovação de uma lei, geralmente por grupos minoritários, que não possuem representantes suficientes para barrarem as ações da maioria através do voto.

Alayna Treene publicou a matéria na Axios, na quinta-feira (18). Segundo Treene, a senadora democrata afirmou que a obstrução não foi criada pelos “Pais Fundadores” (Founding Fathers), mas possui origens no racismo.

A obstrução tem raízes profundas no racismo e não deve ser permitido cumprir essa função ou criar um veto para a minoria. Em uma democracia, a maioria decide as regras.

– Elizabeth Warren, Senadora Democrata

Políticos do Partido Democrata quer derrubar regra

Outros senadores democratas do grupo de Warren desejam derrubar a regra que permite a obstrução. O receio é de que os republicanos usem dessa regra para barrar as reformas na legislação, agora que o Partido Democrata possui maioria no Parlamento e elegeu o presidente Joe Biden. Porém, alguns democratas estão resistentes em apoiar a derrubada da rega, como o Senador Joe Manchin, a Senadora Kirsten Sinema e o Senador Jon Tester.

Segundo a matéria de Alayna Treene, alegar origens racistas na regra pode ajudar o grupo de Warren a quebrar a resistência dos democratas “em cima do muro”. Joe Biden especulou reformar a regra de obstrução da minoria e trocar pela antiga “obstrução falada”, na qual os senadores falariam por horas para impedir que os adversários convocassem votações. Essa idéia foi rechaçada pelo Senador Mitt Romney.

O histórico obstrucionista de Elizabeth Warren

Segundo reportagem do portal Dailly Wire, a Senadora democrata utilizou a obstrução em mais de uma oportunidade, inclusive contra um senador republicano negro, Tim Scott, para impedir a reforma da legislação sobre a polícia, proposta após a morte de George Floyd, e que gerou muitos protestos “anti-racistas” por todo o país; alguns violentos, como os que vitimaram o policial negro aposentado David Dorn, em St. Louis, e Jéssica Doty-Whitaker, conforme apurou o The Guardian.

A senadora democrata também utilizou obstrução para impedir a votação do Ato de Proteção aos Sobreviventes de Abortos Nascidos Vivos, ou seja, um projeto de lei para garantir os direitos de bebês que sobrevivam aos abortos. Segundo reportagem da Fox News, publicada em 25 de Fevereiro de 2020, Warren votou em bloco, junto a outros 40 senadores democratas, para impedir que esse Ato fosse votado, permitindo que bebês que sobrevivam a abortos e nasçam vivos, possam ser descartados, sem receberem qualquer cuidado.

Em Setembro de 2020, Elizabeth Warren também ajudou a obstruir projeto de lei que previa ajuda a empresas sob os efeitos financeiros negativos de lockdowns, devido a Covid-19. O projeto de lei pretendia prover US$ 300 bilhões em “alívio” financeiro para esses negócios, segundo USA Today.

Em Maio de 2020, a senadora democrata declarou apoio a colega de partido Wendy Davis, para eleição no 21º Distrito Congressional do Texas. Na ocasião, Warren celebrou uma obstrução de Davis acerca de “direitos reprodutivos das mulheres”. A senadora voltou a citar o caso em Outubro de 2020, durante a campanha de Wendy.

Tradição do Partido Democrata?

O Dailly Wire afirmou que utilizar obstrução em proveito próprio é uma atitude comum do Partido Democrata, quando está em minoria, porém, se é utilizada contra o partido, taxam de “racismo”, e agora que são maioria no Senado, querem derrubar a regra.

Em 2019, a senadora democrata atacou a regra da obstrução, durante debate das primárias do Partido Democrata, conforme matéria da NPR. O ataque ocorreu por causa da utilização da regra para barrar uma tentativa democrata de alterar substancialmente as regras sobre armamento na América. Em 2020, não deixou de usar e de apoiar a regra em ao menos quatro oportunidades, quando foi utilizada para impedir a votação e aprovação de leis contrárias à agenda de seu partido.

Em entrevista à MSNBC, a senadora explicitou seu receio da utilização da regra pelo líder da minoria, Mitch McConell, para vetar a agenda democrata.

Com informações da Axios, The Guardian, Dailly Wire, USA Today, Fox News, Jornal da Cidade Online, NPR e MSNBC.


Se a hipocrisia é a homenagem que o vício presta à virtude, o cinismo é a afirmação ostensiva do vício como virtude.

– Olavo de Carvalho

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

Esmeril Editora e Cultura. Todos os direitos reservados. 2021
- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

PATRIMÔNIO E MEMÓRIA丨O lusotropicalismo em Gilberto Freyre

Roberto Lacerda recorda o clássico "O luso e o trópico" para honrar a memória de Gilberto Freyre, cuja reflexão...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img