Junto ao Governador do Rio de Janeiro viram blocos serem vendidos acima da expectativa

Nesta sexta-feira (30), o governador do Rio de Janeiro, Cláudio Castro (PSC), participou do leilão da Companhia Estadual de Águas e Esgoto do Rio de Janeiro (CEDAE), na Bolsa de Valores de São Paulo (B3).

Castro recebeu o presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido) e os Ministros Paulo Guedes (Economia) e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional), no evento que marcou a maior concessão de saneamento do Brasil.

Discurso de Guedes

Durante o evento, o Ministro Paulo Guedes fez os agradecimentos ao governador, à equipe do Ministério da Economia, que trabalhou muito pelo novo marco do saneamento básico e aos empresários participantes.

Guedes enfatizou a confiança no Brasil, que é rico em recursos naturais e inicia o maior projeto de investimentos em saneamento básico de sua história. Segundo o ministro, esse projeto contemplará aos mais pobres, que terão acesso a água tratada e serviços de esgoto, além de promover melhorias na preservação do meio ambiente e na saúde da população.

O leilão

O Bloco 1 foi arrematado pela empresa Aégea por R$8,2 bilhões. Esse bloco se refere à Zona Sul do Estado e mais 18 municípios. O pedido mínimo era R$4,036 bilhões, portanto, foi superado em 103,13%.

O bloco 2 foi conquistado pelo consórcio Iguá, por R$7,286 bilhões. O valor mínimo era R$3,172 bilhões, sendo ultrapassado em 129,68%. Esse bloco continha a Barra da Tijuca, Jacarepaguá e mais dois municípios.

O bloco 3, referente a Zona Oeste do Rio de Janeiro e mais seis municípios, não teve vencedores. O governo não contava com essa possibilidade, mas deve aumentar o número de cidades, através de negociação com as prefeituras que não quiseram participar do leilão. Se conseguir articular essa alteração, o lote três voltará a leilão.

O lote 4 foi vencido pela Aégea, por R$7,2 bilhões, quase o triplo do pedido inicial de R$2,503 bilhões. São quase 188% de ágio no bloco, que segundo O Dia continha o Centro e Zona Norte do Rio de Janeiro e os municípios de Belford Roxo, Duque de Caxias, Japeri, Mesquita, Nilópolis, Nova Iguaçu, Queimados e São João de Meriti.

As concessionárias

Quatro concessionárias participaram do leilão: Aégea; da corretora Ativa, Iguá Projetos; da BTG Pactual, Rio Mais Saneamento; do Itaú, e Redentor; da Equatorial e XP Investimentos. A Equatorial, que integrava o consórcio Redentor e gerou expectativas no mercado, porém, não obteve vitórias.

Conforme matéria da InfoMoney, a derrota da Equatorial fez os papéis da CEDAE terminarem o dia com 3% de perda.

Investimentos

A modelagem do leilão ficou a cargo do BNDES. Segundo a CNN Brasil, devem ser investidos R$30 bilhões em saneamento básico nos próximos 35 anos, sendo metade nos primeiros cinco anos de contrato.

O leilão arrecadou R$22,69 bilhões, superando em 114% a estimativa de R$10,6 bilhões.

Com informações de O Dia, InfoMoney e CNN Brasil


Se colocarem o governo para administrar o deserto do Saara, em cinco anos faltará areia.

– Milton Friedman

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude manter o Esmeril News no ar!

fim
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar