A Força Tarefa salvou dezenas de vidas e identificou várias pessoas envolvidas

Nesta sexta-feira (21), a Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos, da Polícia Civil em Brasília, junto com Agência de Investigações de Segurança Interna (Homeland Security Investigations ou HSI), deflagrou a Operação Shield, em desfavor de indivíduos que teriam a intenção de cometer graves atos de violência, incluindo massacres escolares.

A ação resultou na prisão de uma mulher de 19 anos, cuja identidade não foi divulgada, mas que foi ouvida e confessou que pretendia realizar atentados. Ainda de acordo com a investigação, foi possível identificar várias pessoas que teriam a intenção de cometer os atos violentos. Caso as ações fossem realizadas, poderiam deixar dezenas de vítimas na Capital Federal.

A Polícia Civil divulgou vídeos da Operação, encontrando no local diversas máscaras e simulacro de arma de fogo – air soft – usada para treinamento e que deveriam ser usados no dia dos atentados. A DRCC informou que o colégio que seria alvo do atentado fica localizado na Região Administrativa de Recanto das Emas.

De acordo com a Polícia Civil, a Agência de inteligência americana em Brasília informou que indivíduos teriam a intenção de cometer atos graves de violência no Distrito Federal. A Coordenação do Laboratório de Inteligência Cibernética do Ministério da Justiça e Segurança Pública realizou a investigação e repassou as informações à Delegacia Especial de Repressão aos Crimes Cibernéticos (DRCC/PCDF).

Temos essa parceria vinculada à Embaixada dos EUA no Brasil. Estamos fazemos um trabalho preventivo de forma permanente para antecipar e neutralizar o planejamento de ataques como esse que ocorreria na escola de Brasília.

Alessandro Barreto, Coordenador do Laboratório de Operações Cibernéticas da Secretaria de Operações Integradas do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

Com as informações, a Polícia Civil iniciou a investigação e, após identificar um dos suspeitos, representou na Justiça o pedido de expedição de mandado de busca e apreensão, que foi deferido pelo plantão judiciário rapidamente. Na delegacia, a mulher confessou que pretendia realizar os atos violentos.

O Portal Metrópoles afirmou que apesar do envolvimento da polícia norte-americana na investigação, os ataques não ocorreriam em colégios internacionais, como a Escola das Nações e a Escola Americana, mas em uma escola pública do Distrito Federal. O massacre ocorreria quando as aulas presenciais voltassem.

Massacre em Santa Catarina

Noticiamos aqui o massacre em Santa Catarina planejado por um homem de 18 anos que em 4 de maio a Escola Infantil e Berçário Pró-Infância Aquarela, localizada na rua Quintino Bocaiúva do bairro Industrial em Saudades, cidade no oeste de Santa Catarina, e matou três crianças com menos de dois anos e duas professoras com um facão.

A Escola Infantil e Berçário Pró-Infância Aquarela atende bebês de seis meses a dois anos de idade. O crime chocou o estado de Santa Catarina.

Com informações do Metrópoles, Correio Braziliense e Revista Esmeril


Quando não punimos nem reprovamos os malfeitores, não estamos simplesmente protegendo sua velhice trivial, estamos, portanto, arrancando os alicerces da justiça de debaixo das novas gerações.

– Aleksandr Solzhenitsyn

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

fim
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar