30.2 C
São Paulo
segunda-feira, 20 setembro, 2021

Papa Francisco envia respiradores e máscaras para a Colômbia

Revista Mensal
Vitor Marcolinhttps://lletrasvirtuais.blogspot.com/
Apenas mais um dos milhares de alunos do COF. Non nobis Domine.

Em mais uma demonstração de caridade para com os países afetados pelo coronavírus, o Pontífice, através da Nunciatura Apostólica, envia material médico e cirúrgico para o tratamento dos infectados

Segundo o veículo de notícias oficial do Vaticano, o Vatican News, o Papa Francisco enviou, na última semana, material médico e cirúrgico para socorrer àqueles que foram infectados pelo coronavírus e que demandam tratamento intensivo. Desta vez a Colômbia foi o alvo da generosidade do Papa que, em diversas outras ocasiões, já demonstrou preocupação com a América do Sul região que, segundo os principais veículos de notícias do mundo, já ultrapassou a triste marca das 700 mil mortes.

Regiões pobres recebem material sanitário

O núncio apostólico Dom Luis Mariano Montemayor, segundo o site da Conferência Episcopal da Colômbia, encaminhou os presentes enviados pelo Papa às regiões do país que mais sofrem com as consequências da pobreza extrema e com os efeitos do coronavírus. As pessoas com evidente dificuldade de acesso aos serviços médicos foram principalmente contempladas com a assistência da Igreja.

A Força Aérea Colombiana e o Ordinariado Militar da Colômbia prestaram fundamental auxílio para que o material de assistência médica fosse entregue aos cuidados do bispo de Quibdó Dom Juan Carlos Barreto, através de quem o Hospital São Francisco de Assis e a Clínica Santiago, os centros de assistência hospitalar da cidade, receberam as doações do Vaticano.

“Este gesto se soma à preocupação contínua do Papa Francisco pela Colômbia em muitas áreas, expressando sua atenção a todas as Igrejas”.

— afirmam os bispos em uma nota, reiterando a gratidão e o carinho pelo Pontífice.

Um presente do Papa para as comunidades em dificuldade

Esta não é a primeira ocasião que o Papa Francisco tem a oportunidade de exercer a caridade para com as regiões vítimas de calamidades. Quando do dia do seu onomástico — festa de São Jorge Mártir, 23 de abril — há um ano, o Santo Padre doou respiradores e suprimentos médicos a hospitais da Romênia, do Reino da Espanha e da Itália que, já naquela época, enfrentavam grandes dificuldades decorrentes do coronavírus.

Naquela ocasião, a Santa Sé comprou 30 respiradores e os distribuiu para vários hospitais. Suceava, cidade romena foco de contágios na época, o hospital de Lecce, na região da Apúlia — Sul da Itália — e a cidade de Madrid receberam os aparelhos enviados pelo Vaticano. Além dos respiradores, o Papa enviou também máscaras, óculos de proteção e macacões, tudo para uso das equipes das Unidades de Terapia Intensiva, as UTI’s.

A Esmolaria Apostólica, sob a administração do cardeal Konrad Krajewski, coordenou a distribuição dos materiais de assistência médica. Krajewski, que entregou pessoalmente os presentes do Papa à Apúlia, também foi o responsável por coletar remédios em Nápoles destinados aos pobres de Roma. O cardeal, em declaração ao Vatican News, falou de “um belo sinal que cai em um determinado dia em que o Santo Padre não recebe um presente, mas o dá a outros“.

Respiradores também foram enviados ao Brasil

Novamente através da Nunciatura Apostólica e também no ano passado, o Santo Padre entregou no mês de agosto um pacote contendo 18 ventiladores Draeger para auxiliar nos tratamentos de terapia intensiva e 6 scanners de ultrassom portátil Fuji. O material foi enviado ao Brasil. A entrega foi intermediada pelos esforços da associação “Hope Onlus” que, altamente especializada em projetos humanitários em saúde e educação, atua na prospecção de doadores de equipamentos salva-vidas de alta tecnologia.

Com informações do Vatican News.

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

CRÔNICA丨Perda

Afrânio era um aprendiz de tipógrafo na Corte que, depois do trabalho nas oficinas da Rua da Guarda Velha,...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img