19.4 C
São Paulo
quinta-feira, 28 outubro, 2021

NEGLIGLÊNCIA: Criança portadora de paralisia cerebral espera há meses por cadeira de rodas

Revista Mensal
Samara Barricellihttp://www.revistaesmeril.com.br
Samara Oliveira Barricelli é jornalista, Católica Apostólica Romana, mãe e esposa.

O Sistema Único de Saúde (SUS) ainda não atendeu a criança, que precisa do equipamento com urgência

O menino Miguel Rodrigues Moraes Macedo (3 anos), portador de paralisia cerebral que nasceu prematuramente com 6 meses de gestação, espera há nove meses por uma cadeira de rodas que deveria ter sido fornecida pelo Sistema Único de Saúde (SUS) do Município de São Vicente (SP), litoral paulista. De acordo com o G1, o menino, que nasceu prematuro, sofreu uma grave hemorragia e acabou por desenvolver paralisia cerebral, que só foi descoberta 1 ano e 4 meses após o parto, além de perda auditiva severa bilateral.

A criança tem se desenvolvido aos poucos e graças a ‘PediaSuit’ – um tratamento de reabilitação intensivo -, onde o menino é assistido por profissionais e faz fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e musicoterapia, que tem o objetivo de minimizar as sequelas da paralisia cerebral.

A criança não possui muita sustentação no tronco e por isso não consegue ficar em pé e nem sentado, sendo obrigado a utilizar um carrinho comum, tendo uma postura prejudicial ao seu corpo.

A mãe da criança, Carolina Rodrigues Moraes Macedo, está cansada de esperar e muito preocupada com as lesões que um carrinho comum pode causar no menino, decidiu recorrer e pedir ajuda nas redes sociais para conseguir comprar uma cadeira equipada para o filho, mas infelizmente até o momento não conseguiu angariar o valor. A mãe também relata que conseguiu uma cadeira de rodas especial para o filho, por meio da Rede de Reabilitação Lucy Montoro, de Santos, no litoral de São Paulo, vinculada ao governo estadual.

A criança foi levada ao local há nove meses onde tiraram suas medidas para a fabricação da cadeira. E a mãe foi informada que o tempo de espera para retirar a cadeira seria de dois a três meses, porém, após nove meses, ela ainda espera a retirada. Ao entrar em contato com a Rede para saber o motivo da demora, ela foi informada que um problema na fabricação teria causado o atraso.

Carolina precisou parar de trabalhar há um ano para cuidar de Miguel em tempo integral e como o valor da cadeira é alto, a família não tem condições de pagar.

São muitas cobranças, eu sei as condições dele, e os profissionais cobram esse carrinho adaptado, então, é uma necessidade, não tem mais tempo para esperar. Me sinto limitada.

– Carolina Rodrigues Moraes Macedo, Mãe.

A criança chegou a receber algumas doações, porém, até o momento só havia conseguido 1/3 do valor da cadeira.

Vitorioso

Miguel têm muitas lutas e felizmente uma já foi vencida. O menino, que passou os primeiros anos da sua vida sem poder escutar nada, acabou de realizar um procedimento para recuperar a audição. Em fevereiro deste ano ele foi submetido a um implante coclear bilateral que o possibilitou de ouvir “Eu te amo” da sua mãe pela primeira vez.

Foi muito bom, foi um momento maravilhoso, até hoje ele vai tendo, aos poucos, reações. É como se fosse um bebê recém-nascido, ele ainda está descobrindo os sons. É muito emocionante.

– Carolina Rodrigues Moraes Macedo, Mãe.

Miguel só consegue ouvir com a ajuda do aparelho auditivo. Por isso, a cada três meses, é realizado um mapeamento da audição, para que possa regular o aparelho e deixá-lo sempre mais apropriado para o menino. A mãe afirma que ele escuta muito bem e tem descoberto vários sons no dia a dia.

Resposta da Secretaria de Saúde do Estado

A Unidade de Reabilitação Lucy Montoro de Santos informa que a cadeira de rodas citada pela reportagem está em processo de compra. Fornecedores apontam dificuldades de aquisição de materiais em meio à pandemia. O serviço está em contato para que isso ocorra com agilidade, e a empresa sinaliza que a entrega deve acontecer ainda neste mês. Os familiares do paciente serão orientados assim que isso ocorrer.

Com informações do Portal G1


A todos os que sofrem e estão sós, dai sempre um sorriso de alegria. Não lhes proporciones apenas os vossos cuidados, mas também o vosso coração.

– Santa Teresa de Calcutá

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

Esmeril Editora e Cultura. Todos os direitos reservados. 2021
- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

Crie rotina e atividades para seus filhos na pandemia

Não deixe as crianças sem rotina e boas atividades.
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img