Ela também mentiu sobre a idade da criança e já responde por outros crimes

Isabele de Sousa da Silva foi presa em flagrante nesta terça-feira (4), na comunidade do Urubu, zona norte do Rio de Janeiro. A prisão ocorreu em flagrante, após ela torturar o filho de apenas 2 anos, conforme reportagem do Portal G1.

Segundo os policiais da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (DCAV), o menino estava desidratado e desnutrido, possuía diversos ferimentos pelo corpo e foi encaminhado para o Hospital Municipal Souza Aguiar, localizado na região. O bebê precisou ficar internado devido ao seu estado de saúde.

Os agentes foram ao local após o irmão da mulher, que é policial militar, desconfiar das agressões e aparência subnutrida do sobrinho, denunciar o caso e repassar o endereço aos investigadores. Ele relatou acreditar que a criança estava passando por tortura física e psicológica.

A mulher foi autuada pelo crime de tortura majorada em razão de a vítima ser criança, com pena prevista de 2 a 8 anos de prisão, mas podendo ser aumentada de 1/3 a 1/6 de pena. O menino, que segue sob cuidados médicos, posteriormente será colocado aos cuidados do Conselho Tutelar, que determinará medidas sobre a guarda.

A polícia também informou que a mulher responde por crimes previstos no Estatuto do Idoso, tendo colocado em perigo a integridade e a saúde física e psíquica da própria mãe, além de se apropriar de bens e proventos da idosa. Os crimes estão sendo investigados pela Delegacia Especial de Atendimento à Pessoa da Terceira Idade (DEAPTI).

Inicialmente, ela disse que o filho teria 3 anos, porém foi descoberto que o menino tem apenas 2 anos. Nesta quarta-feira (5) a juíza Monique Correia Brandão dos Santos Moreira, da 17ª Vara Criminal, converteu a prisão da agressora de flagrante para preventiva, após audiência de custódia.

As lesões foram causadas em diversas partes do corpo da vítima, incluindo o rosto, mãos e costas. As agressões foram tão intensas e desproporcionais que a criança se encontra hospitalizada, com previsão de internação de, pelo menos, 10 dias, o que majora e muito a reprovabilidade dos fatos. Ante todo o exposto e, por considerar insuficientes quaisquer outras medidas cautelares diversas da prisão, indefiro o pedido de liberdade e converto a prisão em flagrante em preventiva.

– Escreveu a juíza Monique Correia Brandão, na sentença.

A juíza afirma em sua decisão a extrema gravidade dos fatos, além do risco de Isabela voltar a agredir o filho, colocando em risco sua integridade física.

Índice de violência contra menores no Estado do Rio de Janeiro

O jornal Extra mostrou Levantamentos feitos por órgãos de proteção à criança e ao adolescente que mostram números altos das violências sofridas por menores de idade dentro da própria casa e do seio familiar.

De acordo com o Instituto de Segurança Pública (ISP), somente em janeiro e fevereiro deste ano, estiveram submetidas ao menos 292 crianças de até 11 anos no Estado do Rio. Neste período, com a média de quase cinco casos por dia dos que chegam às delegacia, foram, ao todo, 209 de lesão corporal dolosa e 83 de maus-tratos. Os autores, muitas das vezes, eram as mães (13,7% dos casos), os pais (11,3%) ou os padrastos (3,8%).

– Jornal Extra

Segundo os dados dos casos recebidos pelo Disque-Denúncia, o primeiro trimestre de 2021 teve um total de 437 ligações, 42% a mais que no mesmo período de 2020. Os números também dobraram nos atendimentos da Fundação para a Infância e Adolescência (FIA-RJ), orgão que atende a maioria dos casos encaminhados pela Justiça e conselhos tutelares, de acordo com a presidente do órgão, Cléo Hernams.

Com informações do Portal G1 e Extra


Onde acaba o amor têm início o poder, a violência e o terror.

– Carl Jung

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

fim
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar