34.4 C
São Paulo
segunda-feira, 20 setembro, 2021

Ministra da Defesa da França pede punições aos generais signatários de Carta Aberta a Macron

Revista Mensal
Roberto Lacerda
Roberto Lacerda Barricelli é jornalista, assessor e historiador. Foi correspondente do Epoch Times e colaborador em diversos jornais, como Jornal da Cidade Online, O Fluminense, São Carlos Dia e Noite, Diário da Manhã, Folha de Angatuba e Jornal da Costa Norte.

Ministra se pronunciou após declaração de apoio aos generais da reserva por opositora

A Ministra da Defesa da França, Florence Parly, se pronunciou sobre a Carta Aberta ao presidente Emmanuel Macron, assinada por 20 generais aposentados, publicada no periódico Valeurs Actuelles e noticiada pela Esmeril News.

Segundo o Le Courrier del Atlas, Parly quer punir os generais aposentados, alegando que o estatuto militar proíbe a liberdade de expressão dos militares. O Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas de França, general François Lecointre, levará os generais aposentados a julgamento em Conselho Militar, de acordo com o La Razón. Esses generais correm o risco de perderem suas aposentadorias.

Cada um desses oficiais-generais irá perante um conselho militar superior. Ao final desse processo, é o Presidente da República quem assina o decreto de exclusão.

– Chefe do Estado-Maior das Forças Armadas de França, general François Lecointre

O primeiro pronunciamento de Parly foi publicado em seu perfil no Twitter, após a carta de Marine Le Pen en apoio aos generais aposentados, publicada na mesma plataforma. A Carta Aberta a Macron foi publicada em 21 de abril, aniversário de 61 anos do Putsch de Argel, quando quatro generais aposentados tentaram impedir as negociações secretas do primeiro-ministro francês, Michel Debré, e a Frente de Libertação Nacional (FLN), para encerrar a Guerra da Argélia e deixar o país, que seria posteriormente governado pela organização de orientação comunista.

Quatro dias depois da publicação da Carta Aberta, e após a declaração de apoio por Le Pen, no domingo (25), Florence Parly se manifestou.

Três dias antes da reação de Parly, a Fundação Jean-Jaurès divulgou um estudo apontando possibilidades significativas de Marine Le Pen vencer as eleições presidenciais en 2022, segundo o Le Courrier del Atlas.

Com informações do Le Courrier del Atlas, Valuers Actuelles, Esmeril News e La Razón


Na França, quem ateou fogo é deixado para descansar e quem soa o alarme é perseguido

– Nicolas de Chamfort

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

PATRIMÔNIO E MEMÓRIA丨O lusotropicalismo em Gilberto Freyre

Roberto Lacerda recorda o clássico "O luso e o trópico" para honrar a memória de Gilberto Freyre, cuja reflexão...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img