Mãe foi presa em flagrante pelo assassinato da criança

Gael de Freitas Nunes (3 anos) morreu após sofrer uma parada cardiorrespiratória em sua residência, no décimo andar de um prédio na Alameda Joaquim Eugênio de Lima, no bairro dos Jardins, zona oeste de São Paulo, por volta das 12h desta segunda-feira (10).

A irmã de 13 anos do menino acionou a Polícia Militar. O menino foi encontrado com vários hematomas pelo corpo e sem batimentos cardíacos. Profissionais do SAMU tentaram reanimá-lo e ele foi encaminhado ao pronto-socorro da Santa Casa, mas morreu antes de chegar ao local, de acordo com o relato de um dos médicos ao Cidade Alerta, da Record TV. O médico disse ao chegarem a residência da criança a avó e a irmã afirmaram não saber o que tinha acontecido com a criança.

Segundo informações do portal G1, a tia-avó do menino disse à polícia que deu mamadeira para Gael por volta das 7hs e ficou com o menino assistindo televisão. Após alguns minutos, o menino foi até a cozinha, nesse momento a tia-avó começou a ouvir choros, mas acreditava que o garoto estava apenas pedindo colo para a mãe. Após uns dez minutos ela começou a ouvir barulhos de fortes batidas na parede, mas achava que seria de outro apartamento. Até que ela ouviu um barulho de vidro quebrando na cozinha e, quando chegou no local, a criança estava deitada no chão com vômito e coberta por uma toalha de mesa. Ela questionou a mãe do menino o que teria acontecido, mas não teve resposta.

A mãe da criança foi encontrada em estado de choque por policiais no banheiro do apartamento. Andreia de Freitas (37 anos) foi levada ao hospital do Mandaqui, após ser informada da morte do filho, sob escolta policial, onde passou por avaliação psicológica. Após a alta médica, ela foi encaminhada à 1ª Delegacia da Mulher (DDM), onde foi ouvida, indiciada e presa em flagrante por homicídio qualificado. A investigação pediu à Justiça a conversão da prisão em flagrante para prisão preventiva.

A polícia também apreendeu um anel que pertencia à mãe do menino, já que a perícia apontou ferimentos que podem ter sido causados pelo objeto na testa da criança

A mulher foi levada à carceragem feminina do 89º Distrito Policial, onde aguarda audiência de custódia. A polícia espera o resultado dos laudos periciais para esclarecer as circunstâncias da morte do menino, segundo informações do Jornal Extra.

O pai da criança, que é separado da mulher há seis meses, disse à polícia que no fim de semana a criança não aparentava nenhuma anormalidade ou comportamento estranho. O pai e os vizinhos podem ser ouvidos novamente pela investigação para dar mais detalhes sobre as circunstâncias da morte.

A tia-avó Maria Nanete de Freitas informou que Andreia já foi internada quatro vezes por distúrbios mentais, informa o portal R7. Ela afirmou em depoimento na 1ª Delegacia de Defesa da Mulher, que os problemas psiquiáricos de Andreia começaram quando a mesma passou a tomar remédios para emagrecimento. Ela também disse não ter conhecimento que a mãe do menino estivesse passando por tratamento.

Com informações do R7, G1 e Extra


Só é possível ensinar uma criança a amar, amando-a.

– Johann Goethe

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

fim
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar