O fundador do Grupo Gay da Bahia (GGB) afirmou que essa é a “explicação mais plausível” e também “culpa” os “bolsominions”

O fundador do Grupo Gay da Bahia (GGB), Luiz Mott, sugeriu que a queda nos homicídios de LGBT+ em 2019 tem relação a suposto discurso homofóbico do presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (Sem Partido). Segundo Mott, esses supostos “discursos homofóbicos” se somariam a supostas “mensagens aterrorizantes” de “bolsominions” nas redes sociais, fazendo os LGBT+ se acautelarem mais e evitarem “situações de risco”.

Essas informações sobre a diminuição dos casos e a declaração de Mott constam na página 12 do relatório ‘Mortes Violentas de LGBT+ no Brasil – 2019‘, na ‘Apresentação’, páginas 12 e 13. 

A explicação mais plausível para tal diminuição se deve ao persistente discurso homofóbico do Presidente da República e sobretudo às mensagens aterrorizantes dos “bolsominions” nas redes sociais no dia a dia,  levando o segmento LGBT a se acautelar mais, evitando situações de risco de ser a próxima vítima, exatamente como ocorreu quando da epidemia da Aids e a adoção de sexo seguro por parte dessa mesma população.

Luiz Mott – Grupo Gay da Bahia ( GGB) / relatório Mortes Violentas de LGBT+ no Brasil – 2019 / Apresentação / Página 13

Com informações do relatório ‘Mortes Violentas de LGBT+ no Brasil – 2019’, do Grupo Gay da Bahia (GGB)


Se existe no mundo coisa mais aborrecida do que ser alguém de quem se fala é certamente ser alguém de quem não se fala.

– Oscar Wilde

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude manter o Esmeril News no ar!

fim
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar