JOAO EIGEN丨Escancarando a hipocrisia marxista

Joao Eigen
Joao Eigenhttp://www.youtube.com/@joaoeigen
Escritor, Mestre em ciência política (UFSC), advogado e youtuber. Autor de "O fascismo como ideologia e a revolta totalitária", da Appris editora.

Os marxistas geralmente se gabam de serem “científicos”, afinal de contas, trata-se, em contraposição ao “socialismo utópico”, do “socialismo científico”. Nesse sentido, pode-se imaginar que eles dariam extrema importância às estatísticas econômicas e sociais para avalizarem a lisura das práticas e expectativas de suas ideias. Mas não é bem assim, e um exemplo histórico, infelizmente esquecido atualmente, pode ilustrar isso muito bem.

Com a morte de Friedrich Engels em 1895, o marxismo havia perdido seu último oficial gatekeeper, restando a dúvida: quem, agora, poderia tomar o lugar da dupla dinâmica e ditar o que é certo ou errado quando se trata de interpretar o marxismo? Essa pessoa foi o ex-secretário e amigo de Engels, Eduard Bernstein. Nessa posição, esperava-se que Bernstein fosse continuar com a tradição e avalizar o marxismo de acordo com a clássica interpretação do determinismo: a revolução, diziam os marxistas, era inevitável e, portanto, chegaria mais dia menos dia, oriunda da crise do capitalismo e do empobrecimento da classe trabalhadora. Bernstein, contudo, para o azar dos outros marxistas, possuía um mindset demasiado observador e científico. Observando a sociedade alemã de sua época, no finalzinho do século XIX, Bernstein começou a perceber que a qualidade de vida da classe trabalhadora, na verdade, estava melhorando, embora o capitalismo industrial continuava a se desenvolver rapidamente. Verdadeiro homem de ciência, Bernstein foi checar as estatísticas disponíveis e, para seu espanto, os dados novamente desmentiam a tendência da inevitabilidade da revolução como alardeado por seus colegas marxistas.

Bernstein encontrava-se diante de uma difícil escolha: deveria alertar seus colegas sobre a situação que aparentemente lhes escapava completamente? Confiando na sinceridade de sua intenção e apontamentos, Bernstein, em 1895, decidiu publicar a série de artigos intitulados Probleme des Sozialismus (problemas do socialismo) na revista do Partido Social Democrata da Alemanha. Esperando ser compreendido e celebrado como um precavido marxista, sua ingenuidade foi severamente punida: Bernstein foi expulso do partido. Sua polêmica série de artigos, contudo, incendiou o marxismo europeu por décadas e fragmentou o movimento revolucionário europeu.

Esse esquecido e importantíssimo episódio ilustra quão científicos são os marxistas até os dias de hoje – porque, naturalmente, o capitalismo continua e a revolução não chega. São tão científicos que decidiram punir o mensageiro que ousou olhar cientificamente a realidade.

Esmeril Editora e Cultura. Todos os direitos reservados. 2024

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Abertos

Últimos do Autor