Declaração de assessor do alto escalão pode desencadear investigações federais sobre o governador Andrew Cuomo (Partido Democrata)

Líderes Democratas no Senado pelo Estado de New York se articulam para remover os poderes excepcionais que o governador Andrew Cuomo (Partido Democrata) recebeu durante o Estado de Emergência, por causa da COVID-19. 

Cuomo estaria a cada dia mais exilado dentro de seu partido e recebe críticas de legisladores democratas desde que um assessor do alto escalão assumiu a ocultação de dados da Saúde sobre idosos, para tentar evitar uma investigação federal. O governador democrata negou que tenha ocultado quaisquer dados.

Segundo o jornal americano The New York Times, os legisladores democratas retirariam os poderes emergenciais de Cuomo para impor uma “impressionante repressão” (nas palavras do jornal). Ainda segundo o The New York Times uma moção para retirada dos poderes emergenciais pode ocorrer na próxima semana. 

Investigação federal em curso?

Segundo a mídia de New York, o governador democrata está sob investigação do Departamento de Justiça e do Federal Bureau of Investigation (FBI); a Polícia Federal americana. Um Agente Federal está no bairro do Brooklyn, na capital New York City, investigando a administração de asilos pelo governo de Andrew Cuomo

O foco da investigação é a atuação da administração de Cuomo nos asilos daquela região durante a quarentena da Covid-19. 

Em 2020 o governador democrata emitiu uma ordem para que os asilos recebessem residentes que receberam alta em hospitais, mesmo que ainda estivessem com resultados positivos para outras doenças infecciosas. A diretiva era de que os asilos que recebessem pudessem cuidar deles adequadamente. Essa ordem foi revogada dois meses depois e recebeu inúmeras críticas, pois teria gerado o elevado número de mortes entre registradas entre os idosos nos asilos de New York. O Departamento de Saúde de Cuomo negou essas afirmações, em julho de 2020. 

Retirada dos poderes de Cuomo

Na semana passada, doze legisladores democratas emitiram comunicado exigindo a retirada dos poderes emergenciais de Cuomo, após a denúncia do Albany Times Union, relatando milhares de mortes de idosos nos asilos, muito superior aos dados oficiais do governo Democrata de New York. 

A ação também foi motivada pelo pedido de desculpas que teriam recebido da Secretária do Governador, Melissa DeRosa (foto), durante reunião com os legisladores democratas, pelo governo de Andrew Cuomo ter escondido dados de saúde dos idosos. 

Segundo o The New York Times, DeRosa justificou a ocultação afirmando que queriam evitar uma investigação federal do Departamento de Justiça durante a presidência de Donald Trump (Partido Republicano). Haveria receio de que os dados fossem usados contra os Democratas.

“A direita transformará isso num gigantesco jogo político de futebol americano (…)

Ele [o presidente Donald Trump] começará a twittar que matamos todos em asilos. Ele começará a perseguir [o governador de New Jersey, Phil] Murphy, começará a perseguir [o governador da Califórnia Gavin] Newsom, começará a perseguir [o governador de Michigan] Gretchen Whitmer”, teria falado DeRosa. 

Todas as declarações foram negadas por Cuomo, após a explosão do escândalo. 

“Quando você quer ajudar as pessoas, conte a verdade. Quando você quer ajudar a si próprio, conte o que elas querem ouvir”, Thomas Sowell.

Com informações do The New York Times, Daily Wire e Albany Times-Union

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar