Irmã Andree completará 117 anos nesta quinta-feira (11) e teve apenas sintomas leves.

Ser a pessoa mais velha da Europa e a segunda mais velha do mundo, com memória ainda funcionando, inclusive sobre as duas guerras mundiais, é algo a admiramos, porém, ter resistência à Covid-19, apresentando apenas sintomas leves, aos 117 anos, é um motivo para reforço de nossa fé e aumento da esperança, para todos os povos. 

A Irmã Andree era criança durante a Primeira Guerra Mundial, mas já dedicava sua vida aos serviços de caridade da Igreja Católica Apostólica Romana, após a Segunda Guerra Mundial, tendo perdido seus dois irmãos no campo de batalha pela liberdade; já estava convertida ao Catolicismo desde 1931, quando contava ainda meras 27 Primaveras.

Tendo servido aos cuidados dos órgãos e idosos durante 28 anos, no Hospital de Vichy, na França, se mantém serena e preocupada mais com os outros, do que consigo, mesmo cega e parcialmente surda; e isso é comprovado pelo depoimento de David Tavella, responsável pela comunicação da casa de saúde onde Lucile Randon (nome de batismo da Irmã Andree) vive, em Sainte Catherine Labouré, em Toulon, no país onde ela se dedicou a cuidar daqueles que mais precisavam.

“Ela não tinha medo da doença. Estava muito preocupada com os outros moradores”, disse Tavella. 

A casa de saúde teve dez falecimentos confirmados por Covid-19, entre os 81 idosos infectados, mas conseguiu controlar a situação e foram autorizados pela vigilância sanitária francesa a retomar as atividades da Capela, as refeições em grupos e os passeios no pátio. 

“Eu nem sabia que tinha”, disse a freira, segundo o Lavoix Du Nord.

Com informações da CNN, G1 e Lavoix Du Nord. 

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar