Durante quarentena da pandemia de Covid-19, doações de leite materno caíram em todo o país. 

Desde 2020 os estoques de leite materno estão em baixa constante, devido a queda das doações durante a quarentena da COVID-19. Uma possível explicação seria o medo da população, principalmente das mães com filhos em período de amamentação, em ir aos hospitais, ou mesmo sair de casa, e se expor ao novo Coronavírus.

Estoque baixo preocupa em vários Estados

Em 27 de julho de 2020, a Maternidade Escola Januário Cicco, a maior do Rio Grande do Norte, já apontava estoques de leite materno abaixo da demanda, de 10 litros diários. 

Segundo o jornal Metrópoles, em 04 de agosto de 2020, havia falta nos estoques da rede pública do Distrito Federal, que possui 14 bancos de leite materno. Um mês antes, o Portal G1 informou sobre possível Lockdown no Estado, que era analisado pela Secretaria Estadual da Saúde do Governador Ibaneis Rocha (MDB/DF). Entre 01 e 07 de agosto de 2020, a Secretaria Estadual da Saúde do Distrito Federal realizou campanha pedindo às mães lactantes a doação de leite materno. 

Hospitais e Maternidades no Espírito Santo registraram queda de 50% nas doações. Na capital, Vitória, o Hospital Evangélico precisou desativar freezers,por ausência de estoques. O mesmo problema surgiu em Vila Velha, no Hospital  Estadual Infantil e Maternidade Alzir Bernardino Alves, após a Quarentena do Coronavírus. Ambos os hospitais fazem o recolhimento do material nas casas das doadoras, não sendo necessário o deslocamento, segundo a Folha de Vitória

No Ceará a queda das doações de leite materno alcançou 20%, na época, segundo noticiou o Diário do Nordeste, em 22 de julho de 2020. 

Em São Paulo, o Centro de Referência da Grande São Paulo, na Maternidade Leonor Mendes de Barros, operou com estoques de leite materno suficientes para apenas três dias, segundo apurou o Portal G1, em 19 de maio de 2020. 

E em 2021?

Em Curitiba, a unidade do Hospital Evangélico Mackenzie registrou 28% de queda na doação de leite materno, em janeiro de 2021, enquanto houve aumento de 27% de bebês necessitando. Em 19 de maio de 2020, o jornal Bem Paraná noticiou o mesmo problema, porém, com aumento da necessidade de leite materno em 30%.

Também segundo o G1, a Fundação Hospitalar Dr. Moisés Magalhães Freire, em Pirapora, Minas Gerais, realiza a campanha ‘Leite por mais Vida’, devido ao baixo estoque das doações de leite materno.

Com forte presença do Corpo de  Bombeiros Militar do Distrito Federal, houve recuperação nos números e os bancos de leite conseguiram fechar 2020 com 5,7% de aumento da arrecadação total, segundo a Agência Brasília, iniciando 2021 mais tranquilamente, e de olho na suposta nova onda da COVID-19. 

A Santa Casa de São Paulo conseguiu conter a queda em aproximadamente 10%, em 2020, e seu banco de leite materno completa 7 anos em 2021

Como doar? 

Em geral, os hospitais e maternidades possuem serviços de recolhimento externo, não sendo necessário sair de casa. Entre em contato com o banco de leite materno em sua região (clique aqui). Falta de informações dos governos estaduais sobre o recolhimento do leite em casa, pode ter contribuído para a queda nas doações durante a quarentena do Covid-19 em 2020. 

Segundo o Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz, esse recolhimento é possível com segurança, desde que seguido o protocolo de higiene

Com informações do Ministério da Saúde (Governo Federal), Fundação Oswaldo Cruz, Bem Paraná, Portal G1, Metrópoles, Folha de Vitória, Agência Brasília, Diário do Nordeste e UOL.

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar