A data de conscientização foi criada em 2007 pela Organização das Nações Unidas (ONU)

A data foi criada com o objetivo de conscientizar as pessoas a respeito do Transtorno do Espectro Autista (TEA) e reduzir cada vez mais o preconceito. Comemorado em 2 de abril, o Dia Mundial do Autismo traz uma corrente de fé e esperança para os familiares e amigos dos autistas que enfrentam inúmeros obstáculos antes mesmo do diagnóstico.

O diagnóstico normalmente é feito na infância e o acompanhamento adequado garante uma maior qualidade de vida, fato esse que vem sendo muito cobrado dos familiares em relação aos serviços oferecidos pelos órgãos públicos, isso quando há vagas.

O autismo se manifesta de diferentes formas em cada pessoa, por isso o termo espectro é adotado. De maneira geral, as pessoas com esse transtorno apresentam dificuldade de comunicação de interação social, bem como comportamentos ou interesses restritivos e repetitivos. Cerca de 10% dos autistas apresentam grandes habilidades.

Alguns podem se desenvolver de maneira totalmente independente; outras, no entanto, podem necessitar de atenção para a realização de atividades por toda a sua vida. O autismo não tem cura, por isso, as terapias são fundamentais para o desenvolvimento do indivíduo e sua maior independência.

Alguns sinais do Espectro Autista

  • Contato Visual —Um sinal muito comum na maioria das pessoas com autismo, é não manter contato visual, ou pelo menos não olhar nos olhos por mais de 2 segundos;
  • Alinhar objetos — Alinhar objetos, muitas vezes classificá-los por cor, por tamanho, ou categoria, por exemplo, é muito comum entre a maior parte das crianças com TEA (Transtorno do Espectro Autista);
  • Isolamento — Não se interessar em brincar ou interagir com outras crianças ou se isolar, ainda que esteja num ambiente com outras pessoas, é um comportamento comum entre as pessoas que estão dentro do TEA;
  • Rotinas — Ser preso a rotinas, querer sempre fazer as mesmas coisas, nos mesmos horários, ou ainda, ter os objetos nas mesmas posições e ordem é outra característica muito comum na maioria dos autistas. A rotina traz segurança e previsibilidade para todos nós. A maioria das pessoas com autismo, porém, tem isso potencializado e pode ficar preso a rotinas, de maneira inflexível;
  • Movimentos repetitivos — Fazer movimentos repetitivos é outro sinal em muitas crianças com TEA. Os mais comuns são os movimentos de balançar rapidamente as duas mãos soltas, chamado de “flapping”, e o balançar do tronco para frente e para trás. Muitas crianças também mudam seus movimentos repetitivos de tempos em tempos, como se fossem fases que se alteram;
  • Fala — Não falar ou não fazer gestos para se expressar é outra característica presente em muitos autistas. Estatísticas dão conta de que um terço das pessoas com TEA são não-verbais, ou seja, não usam a fala para se comunicar — apesar de, muitas vezes, terem a capacidade de falar, mas não se comunicam através da fala.

Para saber mais sobre O Transtorno Do Espectro Autista acesse o artigo do Manual MSD, clicando aqui.

O autismo no âmbito no legal

Legalmente o autismo é considerado uma deficiência e por isso há leis específicas que garantem os direitos dos portadores de TEA.I – a vida digna, a integridade física e moral, o livre desenvolvimento da personalidade, a segurança e o lazer.

I – a vida digna, a integridade física e moral, o livre desenvolvimento da
personalidade, a segurança e o lazer;

II – a proteção contra qualquer forma de abuso e exploração;

III – o acesso a ações e serviços de saúde, com vistas à atenção integral às
suas necessidades de saúde, incluindo:

  • A) o diagnóstico precoce, ainda que não definitivo;
  • B) o atendimento multiprofissional;
  • C) a nutrição adequada e a terapia nutricional;
  • D) os medicamentos;
  • E) informações que auxiliem no diagnóstico e no tratamento;

IV – o acesso

  • A) à educação e ao ensino profissionalizante;
  • B) à moradia, inclusive à residência protegida;
  • C) ao mercado de trabalho;
  • D) à previdência social e à assistência social.

Em 8 de janeiro de 2020, foi sancionada pelo Presidente Jair Messias Bolsonaro a Lei que cria a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea), de expedição gratuita. a Ciptea tem a finalidade de garantir atenção integral, pronto atendimento e prioridade no atendimento e no acesso aos serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social.” Essa lei também é conhecida como Lei Romeo Mion, em homenagem ao filho do apresentador Marcos Mion, em 8 de janeiro de 2020, que cria a Carteira de Identificação da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (Ciptea), de expedição gratuita.

De acordo com o texto da lei, a Ciptea tem por objetivo “garantir atenção integral, pronto atendimento e prioridade no atendimento e no acesso aos serviços públicos e privados, em especial nas áreas de saúde, educação e assistência social.

A lei é conhecida como Lei Romeo Mion, em homenagem ao filho do apresentador Marcos Mion, que possui TEA. Estima-se que existam cerca de 2 milhões de pessoas com TEA no Brasil, segundo dados do Ministério dos Direitos Humanos (MDH).

Com informações do Manual MSD e da Organização das Nações Unidas (ONU)


No amor do próximo o pobre é rico; sem amor do próximo o rico é pobre.

– Santo Agostinho

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

fim
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar