Além dos banhos de Sol, há outras medidas possíveis e interessantes às gestantes para absorver Vitamina D

Conhecida como vitamina do sol, é produzida pelo organismo em resposta à exposição ao sol, mas também pode ser consumida em alimentos ou suplementos. A baixa ingestão de Vitamina D é considerada uma grande preocupação de saúde pública em todo o mundo. De fato, estima-se que a deficiência de vitamina D afeta 13% da população do mundo.

A Vitamina D ajuda principalmente na absorção de cálcio, promovendo o crescimento e a mineralização dos ossos. Também está envolvida em várias funções do sistema imunológico, digestivo, circulatório e nervoso. Algumas pesquisas sugerem que a vitamina pode ajudar a prevenir uma variedade de doenças. Entre elas estão a depressão, diabetes, câncer e doenças cardíacas.

Durante a gravidez a Vitamina D pode ajudar a diminuir o risco de aborto espontâneo, promovendo o crescimento saudável da placenta e podendo reduzir o risco de pré-eclâmpsia. Ela ajuda a regular a absorção de cálcio e fósforo, além de atuar na formação óssea, na liberação de insulina e no funcionamento do sistema imunológico.

Segundo a Revista Crescer:

Um estudo feito por pesquisadores da Universidade de Tel-Aviv (Israel) mostrou que mulheres com falta de vitamina D no organismo têm mais chances de serem inférteis ou sofrerem abortos espontâneos. Segundo o ginecologista Márcio Coslovsky, membro da Sociedade Brasileira de Reprodução Assistida (SBRA), essa descoberta reforça a importância de incluir o controle de vitamina D no planejamento da gravidez. A vitamina D tem um papel de modular a resposta imunológica. Se os níveis dessa vitamina estão baixos, o organismo pode reconhecer a gravidez como uma ‘coisa ruim’ e a gestação pode ser imperfeita.

Em outro estudo publicado no The Journal Of Nutrition, concentrações de vitamina D na gestação foram positivamente associadas ao quociente de inteligência (QI) da criança na idade de 4 a 6 anos, sugerindo que a vitamina D desempenha um papel importante na programação do desenvolvimento neurocognitivo.

Também é importante destacar que mulheres obesas passam uma menor quantidade de vitamina D para o bebê, o que aumenta o risco de problemas para o bebê.

Por esse motivo é importante manter não só a Vitamina D em dia, mas também as outras vitaminas que são importantes para a mãe e o bebê desde antes da gestação.

A forma mais eficaz de adquirir Vitamina D é a exposição à luz do sol: o corpo a produz em resposta aos raios UVB na pele. Mas é comum que a nossa exposição ao sol seja irregular, influenciada pelo uso de protetor solar, por isso o ideal é pegar sol pela manhã e somente por alguns minutos. Há também alguns alimentos que fornecem Vitamina D, mas são limitados, dentre eles estão os peixes oleosos e gemas de ovos. Na maioria dos casos é necessária a suplementação com prescrição médica.

O acompanhamento médico durante a gestação é essencial e qualquer medicação deve ser prescrita.

Com informações da Revista Crescer.


Os braços de uma mãe são feitos de ternura e os filhos dormem profundamente neles

– Victor Hugo

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

fim
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar