O último relatório com os dados sobre parentesco de denunciados por violência contra crianças e adolescentes é de 2017

Entre 2012 e 2017 o Ministério dos Direitos Humanos divulgou em seu site os dados do Disque 100 sobre as denúncias de violência contra crianças e adolescentes. 

Em todos esses anos, as principais denúncias ocorreram contra as mães. No último ano disponível para conferência (2017) 37,44% das denúncias foram contra mães, 17,58% foram os pais, 3,67% as avós e 3,51% tias e tios; em 19,46% das vezes não houve identificação. Nas demais denúncias foram indicados parentes, desconhecidos, chefes, companheiros etc. 

A maioria dos casos ocorrem dentro das casas das vítimas, segundo apurou o jornal Metrópoles, através dos dados do Disque 100. 

Abaixo, gráfico do Metrópoles sobre o percentual de denúncias nas quais as mães são as indicadas:

A apuração das denúncias no Brasil é lenta e pouco eficiente. Não a toa no próprio jornal se cita que apenas 8% dos homicídios são investigados. Porém, o dado não deixa de ser alarmante. 

Ontem, quinta-feira (25), publicamos matéria na seção de ‘Comportamento’, alertando para essa situação. Na matéria incluímos casos deste ano (2021) e questionamos a alegação de que sempre que uma mãe comete violência – física ou psicológica – contra seus filhos, seria motivada por problemas psiquiátricos. O mal não existe dentro das mães? 

Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos

Desde que o Governo Federal foi assumido pelo presidente Jair Bolsonaro (Sem Partido), que o nome mudou para Ministério da Mulher, Família e Direitos, e a pasta é chefiada pela Ministra Damares Alves. 

Também depois que a Ministra Damares Alves assumiu a pasta, em 2018, não houve o detalhamento dos dados do Disque 100. Um levantamento de 2019 do Disque 100 aponta que a maioria das crianças que sofrem abuso sexual estão no Norte e Nordeste, porém, não há detalhamento sobre o perfil das pessoas que abusam dessas crianças.

No primeiro ano à frente do Ministério, Damares disse que houve 76.216 denúncias de violência contra crianças e adolescentes, recebidas pelo Disque 100, sem quaisquer detalhes. 

Contudo, quando os casos são exclusivamente de abuso sexual, onde 19% das denúncias são contra os pais, 21% conte os padrastos e 14% contra as mães, Damares abre os dados detalhadamente

Não houve, no entanto, levantamento especificando em quantos desses casos de pais e (principalmente) padrastos, há conivência e até cumplicidade das mães; como a mãe que assassinou a filha por esta ter acusado o padrasto de abuso sexual, em 2020, como noticiado pelo Campo Grande News e o Portal G1; ou a mãe que pediu à sua filha de 14 que não denunciasse o padrasto de 43 anos, por abuso sexual, e o defendeu alegando que era culpa da filha porque “ela estava só de calcinha”, conforme apurou o jornal O Tempo. 

É preocupante a quantidade desses casos nas páginas policiais, porém, não levantados pelo Disque 100 desde 2018, apesar de ser uma discussão que preocupa analistas há anos. 

Com informações do Portal G1, Estadão, O Tempo, Campo Grande News, UOL e Metrópoles


“O mal da grandeza é quando ela separa a consciência do poder”.

– William Shakespeare
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar