Ela disse que o motorista passava a mão em seu corpo, enquanto se masturbava e ejaculava em seu tênis

O motorista de app (42 anos) foi preso em flagrante na sexta-feira (23), após a adolescente contar para a mãe que o motorista teria parado o veículo próximo ao destino, passado a mão no seu corpo, enquanto se masturbava e ejaculado no seu tênis.

Na entrevista coletiva que ocorreu na manhã do dia 28, a delegada disse que a perícia da Polícia Civil analisou o veículo usado pelo motorista no suposto crime e constatou que seria impossível o trancar por dentro, como teria dito a adolescente. Os policiais também fizeram o trajeto da história narrada pela adolescente durante as investigações e constataram diversas incoerências, segundo o Top Mídia News.

Responsável pela Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) de Dourados (MS), a delegada Paula Ribeiro dos Santos, esclareceu que a adolescente de 15 anos mentiu e não foi estuprada pelo motorista de aplicativo. O motorista está em liberdade.

Segundo o jornal O Progresso, durante o processo de acolhimento com a psicóloga Regina Célia, a adolescente teria dito que o estupro não teria ocorrido e que o motorista é inocente. Porém, não foi divulgado o motivo da adolescente ter mentido sobre o estupro.

A família deve buscar atendimento de profissionais especializados pois a adolescente solicitou ajuda. Além disso, de acordo com o Dourado News, ela responderá criminalmente pelo ato infracional análogo ao crime de denunciação caluniosa, que pode ter pena de dois a oito anos, mas por ter 15 anos e não ter ocorrido violência ou grave ameaça, a adolescente não corre o risco de ser detida.

Homem preso por falsa acusação de estupro pede indenização após contrair HIV no presídio

Heberson Lima de Oliveira (37 anos) teve parte da sua vida roubada por causa de uma falsa acusação de estupro e erros da Justiça do Amazonas.

Ele foi preso em 2003, suspeito de estuprar uma menina de nove anos, e ficou três anos encarcerado, sem jamais ter sido julgado, até que teve a inocência provada (ônus da prova foi do acusado!) durante uma visita ao presídio feita pela defensora pública Ilmair Siqueira.

Siqueira conversou com o rapaz e acreditou em sua versão sobre os fatos. Heberson deixou a Unidade Prisional do Puraquequara, Manaus, em 2006.

A delegada que assumiu o caso na época pediu a prisão baseada na acusação do pai, porém a investigação apontava que outro homem havia cometido o crime, tanto, que as características do acusado eram outras. Dessa forma, o primeiro erro do processo foi cometido pela Polícia Civil, segundo a defensora Ilmair Siqueira.

O segundo erro foi da Justiça, que em três anos esqueceu o rapaz no presídio e não julgou o caso. A lei determina que a sentença seja dada em até 90 dias.

A criança foi abusada no bairro Nova Floresta, zona leste da capital, e o pai da menina acusou Heberson por conta de desavenças.

Antes da sonhada liberdade, Heberson ficava isolado em uma cela destinada a homens que cometeram crimes sexuais. Ele foi estuprado por esses homens e contraiu Aids, segundo o Portal R7.

Um relatório foi encaminhado a OEA (Comissão Interamericana de Direitos Humanos) e à Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República pedindo atenção ao caso. A ação movida pela defensora desde 2011 pede uma indenização de cerca de R$ 170 mil, valor nunca pago porque o Estado considerou alto para o caso.

Portal R7

Conforme reportagem do UOL, o advogado João Batista, que assumiu o caso de Heberson de forma voluntária, montou um grupo chamado ‘Pela dignidade de Heberson Oliveira’, conseguiu tratamento psicológico e médico e luta por uma pensão vitalícia ao violentado.

Heberson se tornou usuário de drogas dentro da prisão e, quando saiu, arrumou um trabalho, mas não conseguiu permanecer. A única renda é a pensão que sua mãe recebe no valor de um salário mínimo.

Com informações do Portal R7, O Progresso, Top Mídia News, UOL e Dourados News


Que vantagem têm os mentirosos? A de não serem acreditados quando dizem a verdade.

– Aristóteles

Gosta de nosso conteúdo? Assine Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude manter o Esmeril News no ar!

fim
Revista Esmeril - 2021 - Todos os Direitos Reservados

Leave a Comment

This div height required for enabling the sticky sidebar