23.5 C
São Paulo
sábado, 28 maio, 2022

3D | Designer brasileiro reconstrói face de egípcia que viveu há 2600 anos

Revista Mensal
Vitor Marcolinhttps://lletrasvirtuais.blogspot.com/
Apenas mais um dos milhares de alunos do COF. Non nobis Domine.

Cícero Moraes, em conjunto com outros designers, valeu-se da tecnologia para reconstruir o rosto de Shep-en-Isis

No longínquo século VII a.C., na cidade de Tebas, localizada a 800 quilômetros ao Sul do delta do Nilo, vivera Shep-en-Isis. A tumba da egípcia de nome esquisito fora descoberta durante as primeiras ondas da febre arqueológica no Egito, em 1819; seus restos mortais estavam juntos aos do seu pai, Pa-es-tjenfi, na tumba da família. No ano seguinte à sua descoberta, a múmia de Shep-en-Isis fora levada para a Biblioteca da Abadia de São Galo, na Suíça, onde permaneceu desde então.

Detalhes do rosto de Shep-en-Isis. Crédito: Cícero Moraes

Na Itália, em um projeto levado a cabo pelo Centro de Pesquisas da FAPAB (antropologia forense), uma equipe de especialistas obteve sucesso em reconstruir o rosto da egípcia que vivera há 2600 anos. Um dos membros da equipe é o brasileiro Cícero Moraes, especialista em reconstrução facial forense. O rosto de Shep-en-Isis fora revelado num artigo de 84 páginas disponibilizado na Amazon sob o título de The Forensic Facial Reconstruction of Shep-en-Isis.

“Com base na idade anatômica de Shep-en-Isis e no estilo de seu caixão interno, ela deve ter nascido por volta de 650 a.C. e morrido entre 620 e 610 a.C.”.

Michael Habicht, pesquisador da Universidade de Flinders, na Austrália, à revista Aventuras na História

É provável que a egípcia tivesse algum grau de “instrução formal”, porque, segundo as antigas inscrições encontradas no seu sarcófago e estudadas por linguistas especialistas no idioma egípcio daquele período, a mulher era de uma família da elite egípcia da época. Shep-en-Isis provinha de uma longa linhagem de sacerdotes do deus Amon, em Tebas.

Etapas da reconstrução facial. Crédito: Cícero Moraes

Pesquisas embasadas em documentos históricos, topografias computadorizadas e dados morfológicos ajudaram os membros da equipe da FAPAB a reconstruir o rosto da mulher. Cícero Moraes que, segundo o portal Ancient Origins, aplicou o método de Manchester na reconstrução — considerado a melhor técnica forense para essa finalidade –, é conhecido mundialmente por já ter apresentado a face reconstruída de personagens como o faraó Akhenaton, Maria Magdalena e Jesus Christo.

Segundo uma declaração de Moraes à revista Aventuras na História, há uma característica peculiar no rosto de Shep-en-Isis: os dentes ligeiramente projetados, condição que é conhecida como prognatismo maxilar classe II.


Com informações das revistas Galileu e Aventuras na História; do portal Ancient Origins; e do currículo de Cícero Moraes.


“Aqueles que precisam ouvir os apelos e gritos de seu povo devem fazê-lo com paciência. Pois as pessoas querem muito mais atenção para o que dizem do que para o atendimento de suas reivindicações”.

PTAHHOTEP, Faraó

Gosta do nosso conteúdo? Assine a Esmeril, tenha acesso a uma revista de alta cultura e ajude a manter o Esmeril News no ar!

- Advertisement -spot_img

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Mais do Autor

CRÔNICA丨Perda

Afrânio era um aprendiz de tipógrafo na Corte que, depois do trabalho nas oficinas da Rua da Guarda Velha,...
- Advertisement -spot_img

Artigos Relacionados

- Advertisement -spot_img